Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ex-candidata francesa pede indenização por livro


Da AFP

31/05/2007 | 13:35


A ex-candidata socialista Ségolène Royal, derrotada nas eleições presidenciais de abril e maio na França, e seu companheiro sentimental, o primeiro-secretário do partido, François Hollande, exigem na justiça 150 mil euros (quase US$ 200 mil) das jornalistas que escreveram um livro sobre eles.

Segundo informaram nesta quinta-feira fontes ligadas ao caso, a quantia é exigida na denúncia apresentada pelo casal por "atentado contra a vida privada" e difamação.

As duas jornalistas em questão trabalham no Le Monde e são autoras de ‘A mulher fatal’, livro publicado pela editora Albin Michel, que bateu recordes de vendas desde sua chegada às livrarias em meados de maio.

Entre os trechos citados como atentado contra a vida privada está um em que se assegura que Royal se submeteu em 2005 a uma cirurgia para corrigir sua arcada dentária, para que seu sorriso se tornasse mais atraente.

O livro assegura que Hollande mantém um relacionamento com uma jornalista, o que faz com que Royal tenha aumentado o ciúme.

No capítulo de difamação pública, o livro assegura que um ‘amigo do casal’, Julien Dray, convertido em porta-voz da candidata durante a campanha, assegurou aos jornalistas que Royal ameaçou não deixar Hollande ver seus quatro filhos ‘nunca mais’ caso apoiasse o líder socialista Lionel Jospin como candidato do partido nas presidenciais.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ex-candidata francesa pede indenização por livro

Da AFP

31/05/2007 | 13:35


A ex-candidata socialista Ségolène Royal, derrotada nas eleições presidenciais de abril e maio na França, e seu companheiro sentimental, o primeiro-secretário do partido, François Hollande, exigem na justiça 150 mil euros (quase US$ 200 mil) das jornalistas que escreveram um livro sobre eles.

Segundo informaram nesta quinta-feira fontes ligadas ao caso, a quantia é exigida na denúncia apresentada pelo casal por "atentado contra a vida privada" e difamação.

As duas jornalistas em questão trabalham no Le Monde e são autoras de ‘A mulher fatal’, livro publicado pela editora Albin Michel, que bateu recordes de vendas desde sua chegada às livrarias em meados de maio.

Entre os trechos citados como atentado contra a vida privada está um em que se assegura que Royal se submeteu em 2005 a uma cirurgia para corrigir sua arcada dentária, para que seu sorriso se tornasse mais atraente.

O livro assegura que Hollande mantém um relacionamento com uma jornalista, o que faz com que Royal tenha aumentado o ciúme.

No capítulo de difamação pública, o livro assegura que um ‘amigo do casal’, Julien Dray, convertido em porta-voz da candidata durante a campanha, assegurou aos jornalistas que Royal ameaçou não deixar Hollande ver seus quatro filhos ‘nunca mais’ caso apoiasse o líder socialista Lionel Jospin como candidato do partido nas presidenciais.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;