Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

BNDES vai financiar metade dos projetos da Intelig


Do Diário do Grande ABC

14/09/1999 | 19:29


A Intelig (ex-Bonari), empresa-espelho da Embratel, vai financiar 50% de seus projetos com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e de agentes internacionais de crédito. A outra metade virá dos três acionistas: a inglesa National Grid, a americana Sprint e a France Telecom.

O BNDES já teve algumas reunioes com a diretoria da Intelig. "Já há contatos preliminares", afirmou a chefe do departamento de telecomunicaçoes do banco, Cristina Fontainha. Se a empresa se enquadrar nos índices de nacionalizaçao de fornecimento exigidos, o BNDES tem interesse em financiá-la. Por meio do Programa de Apoio a Investimentos em Telecomunicaçoes, o banco se propoe a emprestar dinheiro a operadoras que comprem equipamentos, componentes, partes e peças fabricados no Brasil, ou aos próprios fabricantes que produzirao localmente. "Mas nunca como únicos financiadores", lembrou Cristina.

O investimento da Intelig previsto para os próximos quatro anos é de R$ 2,8 bilhoes. Depois desse período, a empresa quer aumentar a proporçao dos financiamentos para 60% do investimento, segundo o presidente do Conselho Administrativo, Wob Gerretsen. A empresa, que entra em operaçao na segunda quinzena de dezembro, incluiu no contrato com os fornecedores a exigência do levantamento de recursos.

Nesta terça-feira a Intelig anunciou os fornecedores de infra-estrutura - dutos, sistemas de informática, equipamentos de transmissao, cabos de fibra óptica e centrais telefônicas - com os quais assinará um contrato final este mês, no valor total superior a R$ 500 milhoes: Alcatel do Brasil, Nortel Networks do Brasil, Hewlett Packard Brasil, Cap Gemini e a brasileira Engeset, do grupo mineiro Algar. Na escolha, a Intelig levou em consideraçao as especificaçoes dos serviços, o preço e o suporte técnico, além da capacidade de financiamento.

Apesar de nao ter assinado contratos definitivos, os fornecedores já estao trabalhando para a Intelig e os equipamentos das duas centrais telefônicas, que serao instaladas no Rio e em Sao Paulo, já foram embarcados para o Brasil. Até 2002, haverá 14 centrais.

A Engeset começou a instalar fibras ópticas fornecidas pela Alcatel no primeiro trecho de 500 quilômetros entre Rio e Sao Paulo, em dutos alugados da empresa de transmissao de dados, voz e imagem MetroRED. No ano que vem, uma segunda rota será construída entre Rio e Belo Horizonte.

A Intelig firmou outros contratos de aluguel, por exemplo, com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) - para permitir a conexao entre os cabos de fibra óptica e o centro de operaçoes em Sao Paulo. "Teremos 8,5 mil quilômetros até o final do ano que vem", afirmou o vice-presidente de operaçoes, Ben Buley. Embratel, Telefônica, CTBC Telecom, Telemar e Sercomtel estao alugando linhas para a Intelig, até que toda a estrutura própria esteja pronta.

Em dezembro, a Intelig estará disponibilizando ligaçoes interurbanas e internacionais. A empresa já começou a conversar com empresas de todos os portes e acredita que, antes da entrada em operaçao, já terá contratos firmados com clientes. A partir do segundo trimestre de 2000, a Intelig deverá explorar os serviços de 0800 com telefonista e cartoes pré e pós-pagos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

BNDES vai financiar metade dos projetos da Intelig

Do Diário do Grande ABC

14/09/1999 | 19:29


A Intelig (ex-Bonari), empresa-espelho da Embratel, vai financiar 50% de seus projetos com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e de agentes internacionais de crédito. A outra metade virá dos três acionistas: a inglesa National Grid, a americana Sprint e a France Telecom.

O BNDES já teve algumas reunioes com a diretoria da Intelig. "Já há contatos preliminares", afirmou a chefe do departamento de telecomunicaçoes do banco, Cristina Fontainha. Se a empresa se enquadrar nos índices de nacionalizaçao de fornecimento exigidos, o BNDES tem interesse em financiá-la. Por meio do Programa de Apoio a Investimentos em Telecomunicaçoes, o banco se propoe a emprestar dinheiro a operadoras que comprem equipamentos, componentes, partes e peças fabricados no Brasil, ou aos próprios fabricantes que produzirao localmente. "Mas nunca como únicos financiadores", lembrou Cristina.

O investimento da Intelig previsto para os próximos quatro anos é de R$ 2,8 bilhoes. Depois desse período, a empresa quer aumentar a proporçao dos financiamentos para 60% do investimento, segundo o presidente do Conselho Administrativo, Wob Gerretsen. A empresa, que entra em operaçao na segunda quinzena de dezembro, incluiu no contrato com os fornecedores a exigência do levantamento de recursos.

Nesta terça-feira a Intelig anunciou os fornecedores de infra-estrutura - dutos, sistemas de informática, equipamentos de transmissao, cabos de fibra óptica e centrais telefônicas - com os quais assinará um contrato final este mês, no valor total superior a R$ 500 milhoes: Alcatel do Brasil, Nortel Networks do Brasil, Hewlett Packard Brasil, Cap Gemini e a brasileira Engeset, do grupo mineiro Algar. Na escolha, a Intelig levou em consideraçao as especificaçoes dos serviços, o preço e o suporte técnico, além da capacidade de financiamento.

Apesar de nao ter assinado contratos definitivos, os fornecedores já estao trabalhando para a Intelig e os equipamentos das duas centrais telefônicas, que serao instaladas no Rio e em Sao Paulo, já foram embarcados para o Brasil. Até 2002, haverá 14 centrais.

A Engeset começou a instalar fibras ópticas fornecidas pela Alcatel no primeiro trecho de 500 quilômetros entre Rio e Sao Paulo, em dutos alugados da empresa de transmissao de dados, voz e imagem MetroRED. No ano que vem, uma segunda rota será construída entre Rio e Belo Horizonte.

A Intelig firmou outros contratos de aluguel, por exemplo, com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) - para permitir a conexao entre os cabos de fibra óptica e o centro de operaçoes em Sao Paulo. "Teremos 8,5 mil quilômetros até o final do ano que vem", afirmou o vice-presidente de operaçoes, Ben Buley. Embratel, Telefônica, CTBC Telecom, Telemar e Sercomtel estao alugando linhas para a Intelig, até que toda a estrutura própria esteja pronta.

Em dezembro, a Intelig estará disponibilizando ligaçoes interurbanas e internacionais. A empresa já começou a conversar com empresas de todos os portes e acredita que, antes da entrada em operaçao, já terá contratos firmados com clientes. A partir do segundo trimestre de 2000, a Intelig deverá explorar os serviços de 0800 com telefonista e cartoes pré e pós-pagos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;