Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Novas atrações para comemorar


Cristie Buchdid
Do Diário do Grande ABC

12/11/2007 | 07:03


A Fundação Padre Anchieta – mantenedora da TV Cultura, das rádios Cultura AM e FM e do canal pago Rá-Tim-Bum – completa 40 anos com novos projetos para a TV aberta.

A TV Cultura, que tem 38 anos, exibe, desde ontem até o dia 25, A Cor da Cultura, programetes de um minuto e meio em homenagem ao Dia da Consciência Negra (20). “Atores como Taís Araújo e Lázaro Ramos interpretam e falam sobre negros que marcaram a história”, diz o coordenador dos núcleos de conteúdo e qualidade da TV, Pola Galé.

No dia 28, às 22h40, estreará trilogia com um programa novo e dois reformulados, com 25 minutos cada. Balanço Social, Ação Consciente e Planeta Cidade são jornalísticos com temas como responsabilidade social e sustentabilidade.

“Queremos relançar o Nossa Língua Portuguesa, com o professor Pasquale, em 2008. Também pretendemos fazer algo com Cao Hamburguer (que dirigiu Castelo Rá-Tim-Bum). Estamos conversando”, diz.

O teleteatro Direções entrará na segunda fase, em março de 2008. “Serão oito peças. A TV também busca patrocínio para uma série inédita de monólogos e poesias, com dois ou três minutos, para serem exibidos entre os programas”, disse o coordenador de dramaturgia da TV Cultura, Jefferson Del Rios.

Problemas - O presidente do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, Jorge da Cunha Lima, revelou um problema grave na TV Cultura: “Temos pouco dinheiro para investir em produção e transmissão digitais. Acho que R$ 10 milhões resolveriam a questão da compra de equipamentos, de ilhas de edição e preparo de pessoal. Já temos parte da produção digitalizada.”

É uma corrida contra o tempo. “No dia 2 de dezembro todas as emissoras começam a fazer a transmissão digital”, disse Lima. Para sintonizar a TV digital é preciso um televisor específico ou um transformador, que custa em média R$ 600.

Num primeiro momento, a diferença para a TV analógica (atual) é que a digital tem melhor qualidade de imagem. “Num futuro breve, TV e Internet vão se fundir num mesmo aparelho. Uma das possibilidades da TV digital será a multiprogramação, na qual o telespectador escolhe o que quer assistir”, disse Lima.

Seminário - Como parte dos festejos, a Fundação promove hoje, às 10h, o Seminário Internacional de Cidadania, no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo (tel.: 2182-3061). O evento é gratuito e aberto ao público em geral.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Novas atrações para comemorar

Cristie Buchdid
Do Diário do Grande ABC

12/11/2007 | 07:03


A Fundação Padre Anchieta – mantenedora da TV Cultura, das rádios Cultura AM e FM e do canal pago Rá-Tim-Bum – completa 40 anos com novos projetos para a TV aberta.

A TV Cultura, que tem 38 anos, exibe, desde ontem até o dia 25, A Cor da Cultura, programetes de um minuto e meio em homenagem ao Dia da Consciência Negra (20). “Atores como Taís Araújo e Lázaro Ramos interpretam e falam sobre negros que marcaram a história”, diz o coordenador dos núcleos de conteúdo e qualidade da TV, Pola Galé.

No dia 28, às 22h40, estreará trilogia com um programa novo e dois reformulados, com 25 minutos cada. Balanço Social, Ação Consciente e Planeta Cidade são jornalísticos com temas como responsabilidade social e sustentabilidade.

“Queremos relançar o Nossa Língua Portuguesa, com o professor Pasquale, em 2008. Também pretendemos fazer algo com Cao Hamburguer (que dirigiu Castelo Rá-Tim-Bum). Estamos conversando”, diz.

O teleteatro Direções entrará na segunda fase, em março de 2008. “Serão oito peças. A TV também busca patrocínio para uma série inédita de monólogos e poesias, com dois ou três minutos, para serem exibidos entre os programas”, disse o coordenador de dramaturgia da TV Cultura, Jefferson Del Rios.

Problemas - O presidente do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, Jorge da Cunha Lima, revelou um problema grave na TV Cultura: “Temos pouco dinheiro para investir em produção e transmissão digitais. Acho que R$ 10 milhões resolveriam a questão da compra de equipamentos, de ilhas de edição e preparo de pessoal. Já temos parte da produção digitalizada.”

É uma corrida contra o tempo. “No dia 2 de dezembro todas as emissoras começam a fazer a transmissão digital”, disse Lima. Para sintonizar a TV digital é preciso um televisor específico ou um transformador, que custa em média R$ 600.

Num primeiro momento, a diferença para a TV analógica (atual) é que a digital tem melhor qualidade de imagem. “Num futuro breve, TV e Internet vão se fundir num mesmo aparelho. Uma das possibilidades da TV digital será a multiprogramação, na qual o telespectador escolhe o que quer assistir”, disse Lima.

Seminário - Como parte dos festejos, a Fundação promove hoje, às 10h, o Seminário Internacional de Cidadania, no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo (tel.: 2182-3061). O evento é gratuito e aberto ao público em geral.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;