Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 29 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Musa dos musicais morre nos EUA


Dojival Filho
Do Diário do Grande ABC

19/06/2008 | 07:04


Estrela de clássicos musicais dos anos 1950, entre eles Dançando na Chuva e A Roda da Fortuna, a atriz e dançarina norte-americana Cyd Charisse morreu anteontem em Los Angeles, aos 87 anos. A artista havia sido internada no Centro Médico Cedars-Sinai, após sofrer um ataque cardíaco.

Charisse ganhou reconhecimento internacional por suas atuações ao lado de astros como Gene Kelly e Fred Astaire, que a descreveu em seu livro de memórias como ‘linda dinamite'.

Nascida Tula Ellice Finklea, em 8 de março de 1921, no Estado do Texas, ela começou sua carreira na adolescência. Na época, integrou a companhia Ballet Russe, em que atuava como nomes falsos como Maria Iatomina e Fella Sidorova.

Foi casada com o professor de dança Nico Charisse, com quem protagonizou diversos filmetes chamados soundies, precursores dos videoclipes. O casal teve um filho e permaneceu unido até 1947. No ano seguinte, a dançarina casou-se com o cantor Tony Martin, com quem também teve um filho.

CONSAGRAÇÃO
A estréia da diva ocorreu em 1943, no musical Canta Coração, com trilha sonora assinada por Cole Porter. Mas a consagração profissional aconteceu em 1952, com Cantando na Chuva, em que dividiu os holofotes com Kelly. Outro momento importante de sua trajetória foi a atuação em A Roda da Fortuna. Dirigido por Vincente Minnelli, o musical apresenta ótimas performances de Charisse, que contracena com Astaire.

"Quando estávamos dançando, nós nem sabíamos que horas eram", declarou o lendário dançarino em uma entrevista sobre a parceira.

No auge da fama, a MGM, companhia da qual ela era contratada, informou que a musa fez um seguro para suas belas e famosas pernas orçado em US$ 1 milhão. O gênero musical já estava em decadência quando protagonizou Meias de Seda (1957), em que interpretou uma comunista linha dura que é tentada por um norte-americano a experimentar os prazeres de Paris.

Na década de 1960, diminuiu seus trabalhos cinematográficos e passou a se dedicar a programas de TV e aos shows. Em 1992, finalmente estreou na Broadway, no musical Grand Hotel.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;