Fechar
Publicidade

Domingo, 9 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Remédio para câncer de mama será dado pelo SUS

O medicamento Trastuzumabe (Herceptin) reduz em até 22% o risco de morte pela doença


Maíra Sanches
Do Diário do Grande ABC

24/07/2012 | 07:00


O Ministério da Saúde anunciou ontem que irá incluir na lista de medicamentos fornecidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) importante aliado no combate ao câncer de mama. A droga de alto custo Trastuzumabe (Herceptin) reduz em até 22% o risco de morte, além de ser eficaz contra o ressurgimento da doença.

No Grande ABC, a medicação já é utilizada em pacientes oncológicos do Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André, e do Hospital de Ensino Anchieta, em São Bernardo. A droga, injetável e de uso hospitalar, é repassada pelo governo estadual conforme demanda. Em até seis meses, prazo estipulado pelo Ministério da Saúde, o remédio será disponibilizado para tratamento em outros hospitais ou centros especializados da região.

A medicação é recomendada em cerca de 25% dos casos de câncer de mama. Essa porcentagem possui o tumor Her-2, agressivo e conhecido por se desenvolver mais rapidamente se comparado aos outros. "Essa medicação revolucionou o tratamento do câncer de mama. É efetiva e menos tóxica. É bem tolerada pelos pacientes, mas muito agressiva contra o tumor", comentou o oncologista da Faculdade de Medicina do ABC, Daniel Cubero. Para o especialista, no entanto, a inclusão foi tardia. "Antes do uso desse remédio, as pacientes tinham pouca evolução no tratamento. Agora, mais pessoas terão acesso." A medicação pode ser utilizada de forma preventiva e também após cirurgias. Normalmente a pessoa recebe uma aplicação a cada três semanas. A recomendação varia conforme o peso da paciente.

O câncer de mama é o segundo mais comum no mundo e o mais frequente entre as mulheres. No Brasil, estimam-se 52,6 mil novos casos entre 2012 e 2013. Em 2010, ocorreram 12,8 mil mortes por causa da doença.

A presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer de São Caetano, Lucia de Oliveira Leite, comemorou a notícia. A entidade atende mensalmente 80 mulheres. "Isso é uma bênção. Esperamos que favoreça todas as pacientes, especialmente as mais pobres."

O medicamento custa entre R$ 5.000 e R$ 10 mil e é um dos mais procurados. Em 2011, o governo federal gastou R$ 4,9 milhões para atender a 61 pedidos judiciais. Neste ano foram gastos R$ 12,6 milhões com a compra por demanda da Justiça.

No Grande ABC, a Prefeitura de Santo André teve de desembolsar, entre outubro de 2009 e agosto de 2011, R$ 369 mil para pagar o tratamento de uma paciente que moveu ação judicial para receber a medicação. Mauá não respondeu ao Diário. Nas demais cidades não houve demanda.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Remédio para câncer de mama será dado pelo SUS

O medicamento Trastuzumabe (Herceptin) reduz em até 22% o risco de morte pela doença

Maíra Sanches
Do Diário do Grande ABC

24/07/2012 | 07:00


O Ministério da Saúde anunciou ontem que irá incluir na lista de medicamentos fornecidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) importante aliado no combate ao câncer de mama. A droga de alto custo Trastuzumabe (Herceptin) reduz em até 22% o risco de morte, além de ser eficaz contra o ressurgimento da doença.

No Grande ABC, a medicação já é utilizada em pacientes oncológicos do Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André, e do Hospital de Ensino Anchieta, em São Bernardo. A droga, injetável e de uso hospitalar, é repassada pelo governo estadual conforme demanda. Em até seis meses, prazo estipulado pelo Ministério da Saúde, o remédio será disponibilizado para tratamento em outros hospitais ou centros especializados da região.

A medicação é recomendada em cerca de 25% dos casos de câncer de mama. Essa porcentagem possui o tumor Her-2, agressivo e conhecido por se desenvolver mais rapidamente se comparado aos outros. "Essa medicação revolucionou o tratamento do câncer de mama. É efetiva e menos tóxica. É bem tolerada pelos pacientes, mas muito agressiva contra o tumor", comentou o oncologista da Faculdade de Medicina do ABC, Daniel Cubero. Para o especialista, no entanto, a inclusão foi tardia. "Antes do uso desse remédio, as pacientes tinham pouca evolução no tratamento. Agora, mais pessoas terão acesso." A medicação pode ser utilizada de forma preventiva e também após cirurgias. Normalmente a pessoa recebe uma aplicação a cada três semanas. A recomendação varia conforme o peso da paciente.

O câncer de mama é o segundo mais comum no mundo e o mais frequente entre as mulheres. No Brasil, estimam-se 52,6 mil novos casos entre 2012 e 2013. Em 2010, ocorreram 12,8 mil mortes por causa da doença.

A presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer de São Caetano, Lucia de Oliveira Leite, comemorou a notícia. A entidade atende mensalmente 80 mulheres. "Isso é uma bênção. Esperamos que favoreça todas as pacientes, especialmente as mais pobres."

O medicamento custa entre R$ 5.000 e R$ 10 mil e é um dos mais procurados. Em 2011, o governo federal gastou R$ 4,9 milhões para atender a 61 pedidos judiciais. Neste ano foram gastos R$ 12,6 milhões com a compra por demanda da Justiça.

No Grande ABC, a Prefeitura de Santo André teve de desembolsar, entre outubro de 2009 e agosto de 2011, R$ 369 mil para pagar o tratamento de uma paciente que moveu ação judicial para receber a medicação. Mauá não respondeu ao Diário. Nas demais cidades não houve demanda.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;