Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 26 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Começa reunião entre Irã e UE sobre crise nuclear, em Lisboa


Da AFP

23/06/2007 | 17:11


O Alto Representante da UE (União Européia) para a Política Externa e Segurança, Javier Solana, e o principal negociador nuclear iraniano, Ali Larijani, iniciaram neste sábado, em Lisboa, uma reunião para buscar uma saída para a crise provocada pela negativa de Teerã de suspender seu enriquecimento de urânio.

O encontro começou pouco depois das 17h (13h de Brasília) na sede do Ministério das Relações Exteriores, de Portugal. Nenhum deles quis fazer declarações à imprensa antes do início do encontro.

A reunião, a segunda em menos de um mês, ocorre no momento em que as grandes potências avaliam a possibilidade de adotar uma nova resolução contra o Irã para reforçar as que já estão em vigor.

Há menos de 24 horas, Larijani já se reuniu, em Viena, com o diretor da AEIA (Agência Internacional de Energia Atômica), Mohamed ElBaradei.

As grandes potências estimam que o Irã quer desenvolver bombas atômicas, ocultando suas verdadeiras intenções por trás de seu programa nuclear civil, uma acusação desmentida por Teerã.

Em Lisboa, Cristina Gallach, porta-voz de Solana, destacou a "vontade" da UE de "fazer as coisas avançarem rapidamente" na questão nuclear iraniana.

"Queremos criar as condições para o desenrolar das negociações", disse Gallach, antes de destacar que esta fase preparatória está se alongando, "porque o Irã não respondeu às demandas da comunidade internacional" sobre a suspensão de seu programa de enriquecimento de urânio.

"Somos realistas, esta é uma questão muito difícil. Vamos abordá-la com realismo, tenacidade e vontade de avançar nas negociações. Devemos manter as vias do diálogo abertas".

A porta-voz ressaltou que "é fundamental que as resoluções da ONU (organização das Nações Unidas) sejam respeitadas" por Teerã antes do início da negociação formal. O Irã teria, assim, a possibilidade de desenvolver um programa nuclear civil totalmente aceito pela comunidade internacional.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Começa reunião entre Irã e UE sobre crise nuclear, em Lisboa

Da AFP

23/06/2007 | 17:11


O Alto Representante da UE (União Européia) para a Política Externa e Segurança, Javier Solana, e o principal negociador nuclear iraniano, Ali Larijani, iniciaram neste sábado, em Lisboa, uma reunião para buscar uma saída para a crise provocada pela negativa de Teerã de suspender seu enriquecimento de urânio.

O encontro começou pouco depois das 17h (13h de Brasília) na sede do Ministério das Relações Exteriores, de Portugal. Nenhum deles quis fazer declarações à imprensa antes do início do encontro.

A reunião, a segunda em menos de um mês, ocorre no momento em que as grandes potências avaliam a possibilidade de adotar uma nova resolução contra o Irã para reforçar as que já estão em vigor.

Há menos de 24 horas, Larijani já se reuniu, em Viena, com o diretor da AEIA (Agência Internacional de Energia Atômica), Mohamed ElBaradei.

As grandes potências estimam que o Irã quer desenvolver bombas atômicas, ocultando suas verdadeiras intenções por trás de seu programa nuclear civil, uma acusação desmentida por Teerã.

Em Lisboa, Cristina Gallach, porta-voz de Solana, destacou a "vontade" da UE de "fazer as coisas avançarem rapidamente" na questão nuclear iraniana.

"Queremos criar as condições para o desenrolar das negociações", disse Gallach, antes de destacar que esta fase preparatória está se alongando, "porque o Irã não respondeu às demandas da comunidade internacional" sobre a suspensão de seu programa de enriquecimento de urânio.

"Somos realistas, esta é uma questão muito difícil. Vamos abordá-la com realismo, tenacidade e vontade de avançar nas negociações. Devemos manter as vias do diálogo abertas".

A porta-voz ressaltou que "é fundamental que as resoluções da ONU (organização das Nações Unidas) sejam respeitadas" por Teerã antes do início da negociação formal. O Irã teria, assim, a possibilidade de desenvolver um programa nuclear civil totalmente aceito pela comunidade internacional.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;