Fechar
Publicidade

Domingo, 25 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Em rede social, Atila Jacomussi diz que Mauá não terá aulas na rede municipal neste ano

Caio Arruda/ Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Município anunciou medida no início da noite desta quarta-feira (29); Santo André e São Bernardo anunciaram ontem que aulas não voltarão no dia 8 de setembro


da Redação

29/07/2020 | 20:05


A Prefeitura de Mauá anunciou, no início da noite desta quarta-feira (29), que as aulas presenciais da rede municipal de ensino da cidade não retornará neste ano. O anúncio foi feito em uma live realizada pelo prefeito Átila Jacomussi (PSB). A decisão vai contra ao Plano São Paulo, em que as aulas estaduais podem retornar no dia 8 de setembro. 

De acordo com o prefeito, Mauá possui 45 escolas de educação infantil, sendo 42 municipais e três conveniadas, ou seja, os alunos possuem entre 0 a 5 anos. "Imagine bebês voltando às escolas diante desta pandemia, mesmo que tenhamos baixos índices de evolução da doença, eles são possíveis transmissores para pais, irmãos e avós. Precisamos preservar as vidas, que são o bem mais importante da nossa cidade", destacou Atila.

O prefeito ainda afirmou que o formato de retomada do Governo do Estado contempla o rodízio de alunos, com dois ou três dias de aula na semana, o que não recupera o ano letivo de qualquer forma. "Queremos que o Governo do Estado crie protocolos diferentes para escolas públicas e particulares, assim, os pais e as escolas particulares podem decidir sobre a volta dos seus filhos ou continuar com as aulas remotas. Na rede pública continuaremos com as aulas à distância", disse o prefeito.

As cidades de Santo André e São Bernardo também barraram o retorno das aulas presenciais, porém, a diferença com a cidade de Mauá, é a de que Santo André e São Bernardo apenas anunciaram que as aulas não voltam dia 8 de setembro e Mauá anunciou que as aulas não voltam neste ano. 

Os tucanos também realizaram lives, transmitidas pelas redes sociais. E ambos argumentaram que o cenário atual não permite que haja a volta das aulas. Em Santo André são 38 mil alunos matriculados. Em São Bernardo, 82 mil.

“Estamos discutindo o cenário, avaliando os números, a ciência e vamos ainda sentar e conversar definitivamente. Mas, atualmente, não há como voltar (o ano letivo presencial). O risco ainda é grande de disseminação do novo coronavírus”, discorreu Paulo Serra. “Autorização (do Estado) não é determinação. Neste caso, estou avisando, vamos postergar o retorno. Não há segurança para isso. Sei que é uma medida que não vai agradar a todos. Mas estou aqui para cuidar de vidas”, listou Morando.

O prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), há duas semanas, já havia admitido que não iria autorizar o regresso das atividades presenciais justamente por falta de segurança sanitária.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em rede social, Atila Jacomussi diz que Mauá não terá aulas na rede municipal neste ano

Município anunciou medida no início da noite desta quarta-feira (29); Santo André e São Bernardo anunciaram ontem que aulas não voltarão no dia 8 de setembro

da Redação

29/07/2020 | 20:05


A Prefeitura de Mauá anunciou, no início da noite desta quarta-feira (29), que as aulas presenciais da rede municipal de ensino da cidade não retornará neste ano. O anúncio foi feito em uma live realizada pelo prefeito Átila Jacomussi (PSB). A decisão vai contra ao Plano São Paulo, em que as aulas estaduais podem retornar no dia 8 de setembro. 

De acordo com o prefeito, Mauá possui 45 escolas de educação infantil, sendo 42 municipais e três conveniadas, ou seja, os alunos possuem entre 0 a 5 anos. "Imagine bebês voltando às escolas diante desta pandemia, mesmo que tenhamos baixos índices de evolução da doença, eles são possíveis transmissores para pais, irmãos e avós. Precisamos preservar as vidas, que são o bem mais importante da nossa cidade", destacou Atila.

O prefeito ainda afirmou que o formato de retomada do Governo do Estado contempla o rodízio de alunos, com dois ou três dias de aula na semana, o que não recupera o ano letivo de qualquer forma. "Queremos que o Governo do Estado crie protocolos diferentes para escolas públicas e particulares, assim, os pais e as escolas particulares podem decidir sobre a volta dos seus filhos ou continuar com as aulas remotas. Na rede pública continuaremos com as aulas à distância", disse o prefeito.

As cidades de Santo André e São Bernardo também barraram o retorno das aulas presenciais, porém, a diferença com a cidade de Mauá, é a de que Santo André e São Bernardo apenas anunciaram que as aulas não voltam dia 8 de setembro e Mauá anunciou que as aulas não voltam neste ano. 

Os tucanos também realizaram lives, transmitidas pelas redes sociais. E ambos argumentaram que o cenário atual não permite que haja a volta das aulas. Em Santo André são 38 mil alunos matriculados. Em São Bernardo, 82 mil.

“Estamos discutindo o cenário, avaliando os números, a ciência e vamos ainda sentar e conversar definitivamente. Mas, atualmente, não há como voltar (o ano letivo presencial). O risco ainda é grande de disseminação do novo coronavírus”, discorreu Paulo Serra. “Autorização (do Estado) não é determinação. Neste caso, estou avisando, vamos postergar o retorno. Não há segurança para isso. Sei que é uma medida que não vai agradar a todos. Mas estou aqui para cuidar de vidas”, listou Morando.

O prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), há duas semanas, já havia admitido que não iria autorizar o regresso das atividades presenciais justamente por falta de segurança sanitária.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;