Fechar
Publicidade

Sábado, 6 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ataque terrorista na Somália deixa mais de 300 mortos e 400 feridos

EBC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


16/10/2017 | 13:03


Subiu para mais de 300 o número de mortos no ataque com caminhões-bomba na Somália no sábado, segundo o ministro da informação do país, Abdirahman Osman, sendo ao menos 15 crianças. Outras 400 pessoas ficaram feridas, muitas com gravidade. Ainda, cerca de 70 pessoas estariam desaparecidas.

O governo responsabiliza o grupo extremista al-Shabab, que ainda não se pronunciou. Em publicação no Twitter, Osman classificou o ataque como cruel e disse que países como Turquia e Quênia ofereceram ajuda médica. O atentado teve como alvo uma rua movimentada próxima de vários ministérios do governo.

O presidente da Somália, Mohamed Abdullahi Mohamed, declarou três dias de luto e pediu que a população doe sangue aos hospitais.

Os Estados Unidos condenaram o ataque na Somália. "Ataques covardes como este revigoram o compromisso dos EUA em ajudar nossos parceiros africanos no combate ao terrorismo", diz comunicado. O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Antonio Guterres, pediu "união diante do terrorismo". Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ataque terrorista na Somália deixa mais de 300 mortos e 400 feridos


16/10/2017 | 13:03


Subiu para mais de 300 o número de mortos no ataque com caminhões-bomba na Somália no sábado, segundo o ministro da informação do país, Abdirahman Osman, sendo ao menos 15 crianças. Outras 400 pessoas ficaram feridas, muitas com gravidade. Ainda, cerca de 70 pessoas estariam desaparecidas.

O governo responsabiliza o grupo extremista al-Shabab, que ainda não se pronunciou. Em publicação no Twitter, Osman classificou o ataque como cruel e disse que países como Turquia e Quênia ofereceram ajuda médica. O atentado teve como alvo uma rua movimentada próxima de vários ministérios do governo.

O presidente da Somália, Mohamed Abdullahi Mohamed, declarou três dias de luto e pediu que a população doe sangue aos hospitais.

Os Estados Unidos condenaram o ataque na Somália. "Ataques covardes como este revigoram o compromisso dos EUA em ajudar nossos parceiros africanos no combate ao terrorismo", diz comunicado. O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Antonio Guterres, pediu "união diante do terrorismo". Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;