Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 3 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Felipão acha que está sendo perseguido pela arbitragem

O treinador, que já havia sido expulso na 14ª rodada,
foi novamente colocado para fora no último domingo


Carlos Tadeu
Especial para o Diário

20/09/2010 | 07:04


O técnico palmeirense Luiz Felipe Scolari, expulso no clássico de ontem no Pacaembu, disse que não entende o que acontece com a arbitragem no Brasil e falou que está sendo perseguido desde quando voltou a comandar o Palmeiras, há dois meses.

O treinador, que já havia sido expulso na 14ª rodada, na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, mês passado, foi novamente colocado para fora ontem pelo árbitro José Henrique de Carvalho.

O lance aconteceu ainda no primeiro tempo, após uma falta cobrada por Marcos Assunção - o técnico reclamou que a barreira são-paulina não respeitou a distância regulamentar.

"Pessoas viram que não aconteceu nada", defendeu-se Felipão. Segundo algumas testemunhas, o treinador falou para o atacante palmeirense Tadeu dizer ao árbitro que até uma criança de cinco anos sabe contar. E aí veio a expulsão. Já outras pessoas ouviram xingamentos e palavrões. "Vocês da imprensa têm o dever de informar o que acontece com o meu time, mas está na hora de alguém levantar o microfone e dizer que estou sendo perseguido. E muito", declarou o comandante do Palmeiras.

"Mesmo que eu olhe só para o lado, já estou errado. Quero saber quando árbitros e bandeiras vão ser solicitados para depor. Podemos fazer processo contra eles? Será que existe pena para eles ou é só do lado de cá?", Indagou Felipão, que está cada vez mais irritado com as arbitragens. "Se tiver que ver tudo isso passivamente, é melhor eu ir embora", completou.

Além da bronca de Felipão com a arbitragem, o Palmeiras não conseguia achar explicações para mais uma derrota no Pacaembu. Na sua entrevista, Felipão ficou mais centrado em reclamar da arbitragem do que falar nos erros do time. "Nós perdemos porque o São Paulo foi melhor", resumiu o treinador. "A primeira bola que foi ao gol teve a qualidade do São Paulo. Depois eles jogaram no contra-ataque e liquidaram o jogo."

O zagueiro Maurício Ramos também tentou achar um motivo para a fraca atuação do time. "Não sei o que acontece. Mais uma vez perdemos aqui em casa e saímos chateado", falou o jogador.

Para a próxima partida, diante do Grêmio Prudente, quarta-feira, às 19h30, em Presidente Prudente, o Palmeiras não poderá contar com Valdivia e Tinga, que receberam o terceiro cartão amarelo no clássico de ontem.

 

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Felipão acha que está sendo perseguido pela arbitragem

O treinador, que já havia sido expulso na 14ª rodada,
foi novamente colocado para fora no último domingo

Carlos Tadeu
Especial para o Diário

20/09/2010 | 07:04


O técnico palmeirense Luiz Felipe Scolari, expulso no clássico de ontem no Pacaembu, disse que não entende o que acontece com a arbitragem no Brasil e falou que está sendo perseguido desde quando voltou a comandar o Palmeiras, há dois meses.

O treinador, que já havia sido expulso na 14ª rodada, na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, mês passado, foi novamente colocado para fora ontem pelo árbitro José Henrique de Carvalho.

O lance aconteceu ainda no primeiro tempo, após uma falta cobrada por Marcos Assunção - o técnico reclamou que a barreira são-paulina não respeitou a distância regulamentar.

"Pessoas viram que não aconteceu nada", defendeu-se Felipão. Segundo algumas testemunhas, o treinador falou para o atacante palmeirense Tadeu dizer ao árbitro que até uma criança de cinco anos sabe contar. E aí veio a expulsão. Já outras pessoas ouviram xingamentos e palavrões. "Vocês da imprensa têm o dever de informar o que acontece com o meu time, mas está na hora de alguém levantar o microfone e dizer que estou sendo perseguido. E muito", declarou o comandante do Palmeiras.

"Mesmo que eu olhe só para o lado, já estou errado. Quero saber quando árbitros e bandeiras vão ser solicitados para depor. Podemos fazer processo contra eles? Será que existe pena para eles ou é só do lado de cá?", Indagou Felipão, que está cada vez mais irritado com as arbitragens. "Se tiver que ver tudo isso passivamente, é melhor eu ir embora", completou.

Além da bronca de Felipão com a arbitragem, o Palmeiras não conseguia achar explicações para mais uma derrota no Pacaembu. Na sua entrevista, Felipão ficou mais centrado em reclamar da arbitragem do que falar nos erros do time. "Nós perdemos porque o São Paulo foi melhor", resumiu o treinador. "A primeira bola que foi ao gol teve a qualidade do São Paulo. Depois eles jogaram no contra-ataque e liquidaram o jogo."

O zagueiro Maurício Ramos também tentou achar um motivo para a fraca atuação do time. "Não sei o que acontece. Mais uma vez perdemos aqui em casa e saímos chateado", falou o jogador.

Para a próxima partida, diante do Grêmio Prudente, quarta-feira, às 19h30, em Presidente Prudente, o Palmeiras não poderá contar com Valdivia e Tinga, que receberam o terceiro cartão amarelo no clássico de ontem.

 

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;