Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Fórum da Cidadania tem novo colégio executivo


Vinícius Casagrande
Do Diário do Grande ABC

13/09/2002 | 00:24


  Em meio a um processo de esvaziamento das discussões do Fórum da Cidadania do Grande ABC, tomou posse ontem o novo colégio executivo da entidade. No comando do Fórum para o próximo ano, assumiu o novo coordenador Eugênio Belmonte, representante da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de São Caetano, para o lugar de Clodoaldo Lima Leite.

Logo após a cerimônia de posse, Belmonte afirmou que a entidade precisa se tornar mais popular para estar mais presente junto à sociedade civil. “A tarefa é difícil, mas temos de nos empenhar para aproximar o Fórum do cidadão e chegar aos anseios da sociedade”, afirmou.

Para o novo coordenador, o esvaziamento da entidade é “fruto de um descontentamento da população com as políticas nacionais”. Belmonte afirmou que o Fórum precisa se revigorar para voltar a ter ação com o Poder Público. Para isso, avalia que será preciso levar de volta ex-coordenadores que estão ausentes da entidade. “Só com união forte é que se faz um Fórum produtivo”, disse.

A ausência de ex-coordenadores foi uma das justificativas apresentadas por Clodoaldo para o declínio da entidade nos últimos tempos. Para ele, muitas pessoas estiveram atuantes dentro do Fórum da Cidadania apenas quando a entidade vivia sob “luzes e holofotes”. “Esses que se afastaram vão entender que sociedade civil organizada significa também arregaçar as mangas e não apenas ficar debaixo das luzes e dos holofotes”, afirmou.

Clodoaldo avaliou, no entanto, que o esvaziamento das discussões dentro do Fórum da Cidadania é também conseqüência de uma menor ação das demais entidades regionais, com a Câmara Regional do Grande ABC, o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e dos sindicatos.

Para ele, após os ataques terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos as pessoas passaram a ser preocupar mais com os interesses pessoais que coletivos, o que também colaborou para o enfraquecimento da entidade.

Ao lado de Belmonte, também tomaram posse no colégio executivo do Fórum da Cidadania o vice-coordenador, Waldir Nicoluche; o primeiro secretário, Dalton Edson Messa; o segundo secretário, André José de Andrade; o primeiro tesoureiro, José Alberto Lima da Paixão e o segundo tesoureiro, José Braz da Silva. No conselho fiscal da entidade, os empossados foram Paulo Nishikawa, Ivan Vasconcelos, Elzir dos Santos Almeida Saracino, Luiz Antonio Andreazi e José Gomes.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fórum da Cidadania tem novo colégio executivo

Vinícius Casagrande
Do Diário do Grande ABC

13/09/2002 | 00:24


  Em meio a um processo de esvaziamento das discussões do Fórum da Cidadania do Grande ABC, tomou posse ontem o novo colégio executivo da entidade. No comando do Fórum para o próximo ano, assumiu o novo coordenador Eugênio Belmonte, representante da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de São Caetano, para o lugar de Clodoaldo Lima Leite.

Logo após a cerimônia de posse, Belmonte afirmou que a entidade precisa se tornar mais popular para estar mais presente junto à sociedade civil. “A tarefa é difícil, mas temos de nos empenhar para aproximar o Fórum do cidadão e chegar aos anseios da sociedade”, afirmou.

Para o novo coordenador, o esvaziamento da entidade é “fruto de um descontentamento da população com as políticas nacionais”. Belmonte afirmou que o Fórum precisa se revigorar para voltar a ter ação com o Poder Público. Para isso, avalia que será preciso levar de volta ex-coordenadores que estão ausentes da entidade. “Só com união forte é que se faz um Fórum produtivo”, disse.

A ausência de ex-coordenadores foi uma das justificativas apresentadas por Clodoaldo para o declínio da entidade nos últimos tempos. Para ele, muitas pessoas estiveram atuantes dentro do Fórum da Cidadania apenas quando a entidade vivia sob “luzes e holofotes”. “Esses que se afastaram vão entender que sociedade civil organizada significa também arregaçar as mangas e não apenas ficar debaixo das luzes e dos holofotes”, afirmou.

Clodoaldo avaliou, no entanto, que o esvaziamento das discussões dentro do Fórum da Cidadania é também conseqüência de uma menor ação das demais entidades regionais, com a Câmara Regional do Grande ABC, o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e dos sindicatos.

Para ele, após os ataques terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos as pessoas passaram a ser preocupar mais com os interesses pessoais que coletivos, o que também colaborou para o enfraquecimento da entidade.

Ao lado de Belmonte, também tomaram posse no colégio executivo do Fórum da Cidadania o vice-coordenador, Waldir Nicoluche; o primeiro secretário, Dalton Edson Messa; o segundo secretário, André José de Andrade; o primeiro tesoureiro, José Alberto Lima da Paixão e o segundo tesoureiro, José Braz da Silva. No conselho fiscal da entidade, os empossados foram Paulo Nishikawa, Ivan Vasconcelos, Elzir dos Santos Almeida Saracino, Luiz Antonio Andreazi e José Gomes.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;