Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Inglaterra e Alemanha fazem o clássico dos gigantes em crise


Do Diário do Grande ABC

16/06/2000 | 13:02


Inglaterra e Alemanha disputarao neste sábado, em Charleroi, no Sul da Bélgica, um grande clássico do futebol mundial. Mas num duelo de duas equipes em crise, o futebol pode passar para segundo plano, dependendo dos hooligans dos dois lados.

Fora o risco de violência extra-campo, que está mobilizando 3 mil policiais na cidade, o que nao falta sao aspectos atraentes neste duelo de gigantes do futebol mundial. A principal preocupaçao dos dois lados é afastar a crise, depois dos maus resultados de suas primeiras partidas na Eurocopa.

A Inglaterra quer se livrar do estigma de freguês da Alemanha, a quem nao derrota desde a final da Copa do Mundo de 1966, fato que gerou uma frase marcante do ex-artilheiro Gary Lineker, cansado de perder para os alemaes nos anos 80: ``O futebol é um esporte de onze contra onze, em que sempre vencem os alemaes''.

O treinador alemao, Erich Ribbek, respalda a frase de Lineker. ``Nenhum, salvo um, que era um menino, tem idade para se lembrar de uma derrota para a Inglaterra'', afirma, em óbvia referência a Lothar Matthaeus.

As duas seleçoes coincidem na péssima estréia dentro da competiçao, dentro do grupo A da Eurocopa, o que provocou uma onda de críticas como poucas vezes havia acontecido antes em seus países.

A Inglaterra, depois de estar vencendo Portugal por 2 a 0, acabou perdendo por 3 a 2. Mas ainda nao era tudo. A seleçao de Kevin Keegan ficou mal na foto, por causa da malcriaçao do meia David Beckham contra a torcida, ao final da partida, o que valeu a primeira página dos jornais ingleses.

Mas os problemas da Inglaterra sao pequenos, comparados com os da Alemanha. A imprensa alema, apesar do empate contra a Romênia (1 a 1), nao teve pena com sua seleçao.

A crise piorou com a reaçao de seu capitao, o recordista mundial de partidas por uma seleçao, Lothar Matthaus, que ameaçou deixar a equipe, diante dos maus-tratos que vem sofrendo nos meios de comunicaçao em seu país.

Como se nao bastasse, o atacante do Milan, herói da final da Eurocopa de 1996, Oliver Bierhoff, sofreu uma séria distensao muscular e está fora do restante da competiçao.

As seguidas críticas levaram o treinador Erich Ribbeck a realizar quatro mudanças na equipe que empatou com a Romênia. Os atacantes Carsten Jancker e Ulf Kirsten e os meias Sebastian Deisler e Dietmar Hamann serao escalados de saída. Os sacrificados, além do contundido Bierhoff, sao o brasileiro naturalizado alemao Paulo Rink, Thomas Linke e Thomas Haessler.

A Inglaterra, por sua vez, entra desfalcada de Steve McManaman e Tony Adams, machucados. Eles serao substituídos por Dennis Wise e Martin Keown. Por causa da saraivada de críticas, o jovem Michael Owen, sensaçao da Copa de 98, que teve péssima atuaçao contra Portugal, pode esquentar o banco, dando a vez a um de seus colegas do Liverpool, Emile Heskey - que enlouqueceu Nestor Sensini, no amistoso com a Argentina em Wembley, em março (0 a 0) - ou Robbie Fowler.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Inglaterra e Alemanha fazem o clássico dos gigantes em crise

Do Diário do Grande ABC

16/06/2000 | 13:02


Inglaterra e Alemanha disputarao neste sábado, em Charleroi, no Sul da Bélgica, um grande clássico do futebol mundial. Mas num duelo de duas equipes em crise, o futebol pode passar para segundo plano, dependendo dos hooligans dos dois lados.

Fora o risco de violência extra-campo, que está mobilizando 3 mil policiais na cidade, o que nao falta sao aspectos atraentes neste duelo de gigantes do futebol mundial. A principal preocupaçao dos dois lados é afastar a crise, depois dos maus resultados de suas primeiras partidas na Eurocopa.

A Inglaterra quer se livrar do estigma de freguês da Alemanha, a quem nao derrota desde a final da Copa do Mundo de 1966, fato que gerou uma frase marcante do ex-artilheiro Gary Lineker, cansado de perder para os alemaes nos anos 80: ``O futebol é um esporte de onze contra onze, em que sempre vencem os alemaes''.

O treinador alemao, Erich Ribbek, respalda a frase de Lineker. ``Nenhum, salvo um, que era um menino, tem idade para se lembrar de uma derrota para a Inglaterra'', afirma, em óbvia referência a Lothar Matthaeus.

As duas seleçoes coincidem na péssima estréia dentro da competiçao, dentro do grupo A da Eurocopa, o que provocou uma onda de críticas como poucas vezes havia acontecido antes em seus países.

A Inglaterra, depois de estar vencendo Portugal por 2 a 0, acabou perdendo por 3 a 2. Mas ainda nao era tudo. A seleçao de Kevin Keegan ficou mal na foto, por causa da malcriaçao do meia David Beckham contra a torcida, ao final da partida, o que valeu a primeira página dos jornais ingleses.

Mas os problemas da Inglaterra sao pequenos, comparados com os da Alemanha. A imprensa alema, apesar do empate contra a Romênia (1 a 1), nao teve pena com sua seleçao.

A crise piorou com a reaçao de seu capitao, o recordista mundial de partidas por uma seleçao, Lothar Matthaus, que ameaçou deixar a equipe, diante dos maus-tratos que vem sofrendo nos meios de comunicaçao em seu país.

Como se nao bastasse, o atacante do Milan, herói da final da Eurocopa de 1996, Oliver Bierhoff, sofreu uma séria distensao muscular e está fora do restante da competiçao.

As seguidas críticas levaram o treinador Erich Ribbeck a realizar quatro mudanças na equipe que empatou com a Romênia. Os atacantes Carsten Jancker e Ulf Kirsten e os meias Sebastian Deisler e Dietmar Hamann serao escalados de saída. Os sacrificados, além do contundido Bierhoff, sao o brasileiro naturalizado alemao Paulo Rink, Thomas Linke e Thomas Haessler.

A Inglaterra, por sua vez, entra desfalcada de Steve McManaman e Tony Adams, machucados. Eles serao substituídos por Dennis Wise e Martin Keown. Por causa da saraivada de críticas, o jovem Michael Owen, sensaçao da Copa de 98, que teve péssima atuaçao contra Portugal, pode esquentar o banco, dando a vez a um de seus colegas do Liverpool, Emile Heskey - que enlouqueceu Nestor Sensini, no amistoso com a Argentina em Wembley, em março (0 a 0) - ou Robbie Fowler.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;