Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Santo André resgata a história de Paulo Chaves

Esta é uma semana importante para a memória artística de Santo André e Grande ABC


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

13/04/2010 | 00:00


Este livro o autor dedica a Maria José Chaves Lucatto, "que guardou lembranças e carinho pelo irmão Paulo", e em memória de Philadelpho Braz, "que desejava ver esse trabalho pronto".
* * *
Esta é uma semana importante para a memória artística de Santo André e Grande ABC: sábado será lançado o livro Paulo Chaves, andamentos da cor, de José Armando Pereira da Silva.

Paulo Chaves (1921-1989) foi um pintor importante que nasceu em Iguape e veio moço para Santo André. Aqui trabalhou no INPS e desenvolveu toda a sua obra de artista, que o levou muitas vezes aos tempos de infância e adolescência no Litoral, repassando para a tela paisagens antigas vivenciadas.

O que fez Zé Armando: selecionou e reproduziu mais de 50 obras de Paulo Chaves, reuniu fotos pessoais do artista e nos presenteia com um livro que traz a sua marca e que pode ser avaliado em trabalhos anteriores, como o da biografia de João Suzuki e Guido Poianas, outros expoentes da pintura desenvolvida no Grande ABC e que tem um tom universal.

Mais do que isso: Zé Armando recupera a memória artística do Grande ABC. O livro é sobre Paulo Chaves (a obra e o homem), mas focaliza mestres do próprio artista. Gente que também viveu e respirou o ar do Grande ABC. São os casos de Ary Saponara e Waldemar Kurt Freysleben.

Paulo Chaves participou de salões e bienais de renome. Tornou-se um nome nacional. Conquistou generosos espaços no Diário e em outros grandes jornais brasileiros. E tudo isso está presente na obra de José Armando Pereira da Silva.

PAULO CHAVES, ANDAMENTOS DA COR. Alpharrabio Edições, Fundo de Cultura de Santo André. Lançamento: 17 de abril, das 11h às 14h. Local: Casa da Palavra de Santo André. Endereço: Praça do Carmo, 171, Centro. Telefone: 4992-7218.

EM 13 DE ABRIL DE..
1945 - Vila Metalúrgica, em Utinga, tem o seu plano de loteamento aprovado pela Prefeitura de Santo André.
1994 - Fundada a CCTA (Casa Cultural Todas as Artes), em Santo André, ONG sem fins lucrativos que tem levado cultura à periferia da cidade, dos idealistas Carlos André Sereno e Salvador Santos. Contato: www.ccta.hpg.com.br .

Turma da esquina e do Napolitano
Aqueles jovens da Vila Assunção e cercanias
Hoje é o aniversário de Moacir Anselmo, nascido em 13 de abril de 1946.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS
Domingo, 13 de abril de 1980
Manchete - Partidos asseguram o adiamento para as eleições municipais
Campanha salarial - Macedo (ministro do Trabalho) pode intervir, acredita Luiz Inácio.
Lions - Inaugurada ontem a sede própria do Corpo de Patrulheiras Mirins de Santo André.

Agenda da Fundação Pró-Memória
86 anos da posse do padre João Baptista Pelanda, o primeiro vigário de São Caetano (1924).

Trabalhadores
Nasce em 13 de abril:
1898 - João Chaparin. Natural de Mogi Mirim. Associado nº 386 do Sindicato dos Químicos. Ajudante de foguista da Rhodia Química. Residência: Avenida Portugal, 732, Santo André.
1907 - João de Deus Caetano. Português. Apontador da firma Sociedade de Produtos Agrícolas e Industriais. Associado nº 110 do Sindicato dos Químicos. Residência: Várzea Capitão João.

Capital brasileira
Fortaleza (CE). Fundada em 13 de abril de 1726.

HOJE
Dia do Hino Nacional Brasileiro, Dia do Jovem, Dia do Beijo e Dia do Office-Boy.

SANTOS DO DIA
Hermenegildo, Márcio, Martinho I, Quintiliano, Sabás Reys Salazar e Vitor de Braga.
Na estampa, Santo Hermenegildo. Religioso, foi decapitado no ano 586, em Sevilha, por ordem do próprio pai, o rei Leovigildo, que professava a heresia.
Crédito da estampa: acervo Vangelista Bazani (Gili) e João de Deus Martinez.

FALECIMENTOS
Ainda mocinho, Fernando Soto Ruiz veio para São Paulo e viveu pelas décadas seguintes no bairro da Mooca. Trabalhou em várias empresas, das quais permaneceu mais tempo na Zogbi, como estoquista.

"Ele gostava muito de trabalhar. Mesmo depois de aposentado e até recentemente sempre encontrava uma atividade para desenvolver. Este foi o maior exemplo que ele nos deixou, o amor ao trabalho", comenta Alexandre Heideker, neto de Fernando.

Outros exemplos deixados por Fernando Soto Ruiz também são importantes: ele nunca bebeu e nem fumou. Isso com certeza influenciou na formação dos netos e bisnetos, concorda Alexandre.

Seu contato com Santo André deveu-se sempre à filha Maria Virginia, que aqui vive há 34 anos. Seo Fernando vinha sempre visitar os familiares, até que, há 20 anos, mudou-se para cá também, residindo no Parque Jaçatuba.

Fernando Soto Ruiz era casado com dona Paschoa. Sua mulher faleceu há sete anos, com 90 anos. O casal teve dois filhos, Walter (já falecido) e Maria Virginia. Eram cinco netos e cinco bisnetos. Ele partiu aos 99 anos e está sepultado no Cemitério Curuçá.

SANTO ANDRÉ
Milton Hermínio Lombardi, 82.
Cemitério Saudade.
Daisy Tomdi Maiorano, 87.
Cemitério Saudade.
Valdemir Rodrigues dos Anjos, 76.
Cemitério Curuçá.
Giuseppina de Capitani Fresia, 84.
Cemitério Vila Pires.
Cirila Ferreira da Coneição, 91.
Cemitério Santa Lídia.
Benedito Belarmino da Silva, 72.
Cemitério São José.
Emilia de Jesus Almeida, 71.
Crematório Vila Alpina.
João Panta da Siklva, 61.
Cemitério Curuçá.
Alberico Palomares, 44.
Cemitério Vila Euclides.
Miguel Achajo Monroy, 68.
Cemitério Curuçá.
Raimunad de Souza Nunes, 78.
Cemitério Jardim da Colina.

DIADEMA
Nazir Silva de Souza, 65.
Cemitério Municipal.
Katsutaro Miyamoto, 87.
Cemitério Municipal.
Carolina Conceição Araujo, 76.
Cemitério Municipal.
Maria Gonçalves Reis, 79.
Cemitério Vale da Paz
Helena Marcelo Santana de Souza,72
Cemitério Municipal.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santo André resgata a história de Paulo Chaves

Esta é uma semana importante para a memória artística de Santo André e Grande ABC

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

13/04/2010 | 00:00


Este livro o autor dedica a Maria José Chaves Lucatto, "que guardou lembranças e carinho pelo irmão Paulo", e em memória de Philadelpho Braz, "que desejava ver esse trabalho pronto".
* * *
Esta é uma semana importante para a memória artística de Santo André e Grande ABC: sábado será lançado o livro Paulo Chaves, andamentos da cor, de José Armando Pereira da Silva.

Paulo Chaves (1921-1989) foi um pintor importante que nasceu em Iguape e veio moço para Santo André. Aqui trabalhou no INPS e desenvolveu toda a sua obra de artista, que o levou muitas vezes aos tempos de infância e adolescência no Litoral, repassando para a tela paisagens antigas vivenciadas.

O que fez Zé Armando: selecionou e reproduziu mais de 50 obras de Paulo Chaves, reuniu fotos pessoais do artista e nos presenteia com um livro que traz a sua marca e que pode ser avaliado em trabalhos anteriores, como o da biografia de João Suzuki e Guido Poianas, outros expoentes da pintura desenvolvida no Grande ABC e que tem um tom universal.

Mais do que isso: Zé Armando recupera a memória artística do Grande ABC. O livro é sobre Paulo Chaves (a obra e o homem), mas focaliza mestres do próprio artista. Gente que também viveu e respirou o ar do Grande ABC. São os casos de Ary Saponara e Waldemar Kurt Freysleben.

Paulo Chaves participou de salões e bienais de renome. Tornou-se um nome nacional. Conquistou generosos espaços no Diário e em outros grandes jornais brasileiros. E tudo isso está presente na obra de José Armando Pereira da Silva.

PAULO CHAVES, ANDAMENTOS DA COR. Alpharrabio Edições, Fundo de Cultura de Santo André. Lançamento: 17 de abril, das 11h às 14h. Local: Casa da Palavra de Santo André. Endereço: Praça do Carmo, 171, Centro. Telefone: 4992-7218.

EM 13 DE ABRIL DE..
1945 - Vila Metalúrgica, em Utinga, tem o seu plano de loteamento aprovado pela Prefeitura de Santo André.
1994 - Fundada a CCTA (Casa Cultural Todas as Artes), em Santo André, ONG sem fins lucrativos que tem levado cultura à periferia da cidade, dos idealistas Carlos André Sereno e Salvador Santos. Contato: www.ccta.hpg.com.br .

Turma da esquina e do Napolitano
Aqueles jovens da Vila Assunção e cercanias
Hoje é o aniversário de Moacir Anselmo, nascido em 13 de abril de 1946.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS
Domingo, 13 de abril de 1980
Manchete - Partidos asseguram o adiamento para as eleições municipais
Campanha salarial - Macedo (ministro do Trabalho) pode intervir, acredita Luiz Inácio.
Lions - Inaugurada ontem a sede própria do Corpo de Patrulheiras Mirins de Santo André.

Agenda da Fundação Pró-Memória
86 anos da posse do padre João Baptista Pelanda, o primeiro vigário de São Caetano (1924).

Trabalhadores
Nasce em 13 de abril:
1898 - João Chaparin. Natural de Mogi Mirim. Associado nº 386 do Sindicato dos Químicos. Ajudante de foguista da Rhodia Química. Residência: Avenida Portugal, 732, Santo André.
1907 - João de Deus Caetano. Português. Apontador da firma Sociedade de Produtos Agrícolas e Industriais. Associado nº 110 do Sindicato dos Químicos. Residência: Várzea Capitão João.

Capital brasileira
Fortaleza (CE). Fundada em 13 de abril de 1726.

HOJE
Dia do Hino Nacional Brasileiro, Dia do Jovem, Dia do Beijo e Dia do Office-Boy.

SANTOS DO DIA
Hermenegildo, Márcio, Martinho I, Quintiliano, Sabás Reys Salazar e Vitor de Braga.
Na estampa, Santo Hermenegildo. Religioso, foi decapitado no ano 586, em Sevilha, por ordem do próprio pai, o rei Leovigildo, que professava a heresia.
Crédito da estampa: acervo Vangelista Bazani (Gili) e João de Deus Martinez.

FALECIMENTOS
Ainda mocinho, Fernando Soto Ruiz veio para São Paulo e viveu pelas décadas seguintes no bairro da Mooca. Trabalhou em várias empresas, das quais permaneceu mais tempo na Zogbi, como estoquista.

"Ele gostava muito de trabalhar. Mesmo depois de aposentado e até recentemente sempre encontrava uma atividade para desenvolver. Este foi o maior exemplo que ele nos deixou, o amor ao trabalho", comenta Alexandre Heideker, neto de Fernando.

Outros exemplos deixados por Fernando Soto Ruiz também são importantes: ele nunca bebeu e nem fumou. Isso com certeza influenciou na formação dos netos e bisnetos, concorda Alexandre.

Seu contato com Santo André deveu-se sempre à filha Maria Virginia, que aqui vive há 34 anos. Seo Fernando vinha sempre visitar os familiares, até que, há 20 anos, mudou-se para cá também, residindo no Parque Jaçatuba.

Fernando Soto Ruiz era casado com dona Paschoa. Sua mulher faleceu há sete anos, com 90 anos. O casal teve dois filhos, Walter (já falecido) e Maria Virginia. Eram cinco netos e cinco bisnetos. Ele partiu aos 99 anos e está sepultado no Cemitério Curuçá.

SANTO ANDRÉ
Milton Hermínio Lombardi, 82.
Cemitério Saudade.
Daisy Tomdi Maiorano, 87.
Cemitério Saudade.
Valdemir Rodrigues dos Anjos, 76.
Cemitério Curuçá.
Giuseppina de Capitani Fresia, 84.
Cemitério Vila Pires.
Cirila Ferreira da Coneição, 91.
Cemitério Santa Lídia.
Benedito Belarmino da Silva, 72.
Cemitério São José.
Emilia de Jesus Almeida, 71.
Crematório Vila Alpina.
João Panta da Siklva, 61.
Cemitério Curuçá.
Alberico Palomares, 44.
Cemitério Vila Euclides.
Miguel Achajo Monroy, 68.
Cemitério Curuçá.
Raimunad de Souza Nunes, 78.
Cemitério Jardim da Colina.

DIADEMA
Nazir Silva de Souza, 65.
Cemitério Municipal.
Katsutaro Miyamoto, 87.
Cemitério Municipal.
Carolina Conceição Araujo, 76.
Cemitério Municipal.
Maria Gonçalves Reis, 79.
Cemitério Vale da Paz
Helena Marcelo Santana de Souza,72
Cemitério Municipal.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;