Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Atividade econômica cresce 0,3% em setembro ante agosto



24/11/2010 | 07:20


A atividade econômica no Brasil registrou alta de 0,3% em setembro ante agosto, já descontadas as influências sazonais, segundo informou ontem a Serasa Experian, empresa especializada em análise de crédito.

Em relação a setembro do ano passado, no entanto, houve expansão de 5,9%. Com o resultado, a projeção da Serasa Experian para o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) no terceiro trimestre é de estabilidade em relação ao trimestre anterior.

VARIAÇÃO - "A variação nula da atividade econômica ao longo do terceiro trimestre confirmou o processo de desaceleração do ritmo de crescimento após o forte avanço registrado durante o primeiro trimestre do ano (alta de 2,7% frente ao quarto trimestre do ano passado)", registraram os técnicos da empresa no documento de divulgação da pesquisa, referente ao indicador Serasa Experian de atividade econômica - chamado de PIB Mensal.

Para os economistas responsáveis pelo levantamento da empresa de crédito, o ritmo de crescimento econômico diminuiu ao longo do terceiro trimestre por conta da atividade industrial mais deprimida.

"Houve também uma contribuição negativa do setor externo, tendo em vista uma expansão mais intensa das importações em detrimento das exportações brasileiras", revela o documento de divulgação do estudo. Este movimento, ainda de acordo com a Serasa Experian, está ligado à valorização do real ante o dólar.

RETOMADA - No quarto trimestre, os técnicos esperam que haja a retomada da atividade econômica do País.

Para chegar a essa estimativa, os especialistas levam em consideração, entre outros, fatores como o "fim do processo de ajustamento de estoques no setor industrial, as condições de crédito e de consumo favoráveis, o avanço da massa real de rendimentos, a reversão - ainda que parcial - da valorização cambial e os gastos públicos mais elevados.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atividade econômica cresce 0,3% em setembro ante agosto


24/11/2010 | 07:20


A atividade econômica no Brasil registrou alta de 0,3% em setembro ante agosto, já descontadas as influências sazonais, segundo informou ontem a Serasa Experian, empresa especializada em análise de crédito.

Em relação a setembro do ano passado, no entanto, houve expansão de 5,9%. Com o resultado, a projeção da Serasa Experian para o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) no terceiro trimestre é de estabilidade em relação ao trimestre anterior.

VARIAÇÃO - "A variação nula da atividade econômica ao longo do terceiro trimestre confirmou o processo de desaceleração do ritmo de crescimento após o forte avanço registrado durante o primeiro trimestre do ano (alta de 2,7% frente ao quarto trimestre do ano passado)", registraram os técnicos da empresa no documento de divulgação da pesquisa, referente ao indicador Serasa Experian de atividade econômica - chamado de PIB Mensal.

Para os economistas responsáveis pelo levantamento da empresa de crédito, o ritmo de crescimento econômico diminuiu ao longo do terceiro trimestre por conta da atividade industrial mais deprimida.

"Houve também uma contribuição negativa do setor externo, tendo em vista uma expansão mais intensa das importações em detrimento das exportações brasileiras", revela o documento de divulgação do estudo. Este movimento, ainda de acordo com a Serasa Experian, está ligado à valorização do real ante o dólar.

RETOMADA - No quarto trimestre, os técnicos esperam que haja a retomada da atividade econômica do País.

Para chegar a essa estimativa, os especialistas levam em consideração, entre outros, fatores como o "fim do processo de ajustamento de estoques no setor industrial, as condições de crédito e de consumo favoráveis, o avanço da massa real de rendimentos, a reversão - ainda que parcial - da valorização cambial e os gastos públicos mais elevados.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;