Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Proprietária da Asseplim vai ser indiciada por estelionato


Carolina Rodriguez
Do Diário do Grande ABC

13/11/2001 | 00:21


A proprietária da administradora Asseplim, de Santo André, Cinira Vieira Pinto, será indiciada por crimes de estelionato e apropriação indébita. O delegado Marcos Alexandre Cattani, do 1º Distrito do Policial do município, onde foi aberto o inquérito policial contra ela, disse que a empresária não foi convincente em seu depoimento na última sexta-feira.

Cinira chegou à delegacia por volta das 19h e permaneceu até as 21h30. Segundo ela, o desfalque estimado entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões nas contas de cerca de 140 condomínios do Grande ABC foi conseqüência da má administração da empresa. A proprietária teria feito um empréstimo há 14 anos, quando iniciou a carreira na Asseplim, para se tornar sócia. Este ano foram feitos mais dois empréstimos, no total de R$ 500 mil, para cobrir a antiga dívida. Na visão da empresária, o empréstimo não afetaria a conta dos condomínios.

O delegado considerou, no entanto, que a atividade desempenhada por Cinira oferecia lucro certo à empresa e que não havia como ela ter prejuízos. O dinheiro a ser empregado nas despesas dos edifícios era arrecadado dos próprios moradores e ela ainda recebia dois salários mínimos para administrar os condomínios. “Ela tinha um lucro líquido de R$ 20 mil por mês. Se fosse má administração, por exemplo, ela teria uma receita de R$ 10 mil, e não prejuízo. As contas dos prédios estão praticamente zeradas, e o dinheiro deve ter sido desviado para cobrir compromissos pessoais dela”, disse Cattani.

Nesta semana, o delegado deve pedir a quebra de sigilo fiscal da empresária, além do bloqueio de bens e um mandado de busca e apreensão na Asseplim. Ontem, ele encaminhou o ofício de quebra de sigilo bancário ao Banco Real, no qual a empresa mantinha as contas dos clientes, e determinou prazo de cinco dias para que a agência forneça os extratos das transações da empresa. Assim que a documentação chegar à delegacia, Cinira deverá ser intimada e indiciada. “Os extratos são a prova de que houve desvio de dinheiro”, afirmou o delegado.

Síndicos – A Associação dos Condomínios do Grande ABC deveria se reunir ontem para analisar a possibilidade de uma ação cível coletiva contra a Asseplim. A idéia, segundo o representante da comissão dos síndicos lesados pela empresa, Odair Perego, é reunir todos os moradores em uma única entidade perante a Justiça. Na reunião entre os síndicos no último sábado, ficou definido que a comissão iria recolher informações e documentos necessários para fundamentar as ações judiciais e extrajudiciais contra todas as pessoas físicas e jurídicas envolvidas, inclusive no Banco Real.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Proprietária da Asseplim vai ser indiciada por estelionato

Carolina Rodriguez
Do Diário do Grande ABC

13/11/2001 | 00:21


A proprietária da administradora Asseplim, de Santo André, Cinira Vieira Pinto, será indiciada por crimes de estelionato e apropriação indébita. O delegado Marcos Alexandre Cattani, do 1º Distrito do Policial do município, onde foi aberto o inquérito policial contra ela, disse que a empresária não foi convincente em seu depoimento na última sexta-feira.

Cinira chegou à delegacia por volta das 19h e permaneceu até as 21h30. Segundo ela, o desfalque estimado entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões nas contas de cerca de 140 condomínios do Grande ABC foi conseqüência da má administração da empresa. A proprietária teria feito um empréstimo há 14 anos, quando iniciou a carreira na Asseplim, para se tornar sócia. Este ano foram feitos mais dois empréstimos, no total de R$ 500 mil, para cobrir a antiga dívida. Na visão da empresária, o empréstimo não afetaria a conta dos condomínios.

O delegado considerou, no entanto, que a atividade desempenhada por Cinira oferecia lucro certo à empresa e que não havia como ela ter prejuízos. O dinheiro a ser empregado nas despesas dos edifícios era arrecadado dos próprios moradores e ela ainda recebia dois salários mínimos para administrar os condomínios. “Ela tinha um lucro líquido de R$ 20 mil por mês. Se fosse má administração, por exemplo, ela teria uma receita de R$ 10 mil, e não prejuízo. As contas dos prédios estão praticamente zeradas, e o dinheiro deve ter sido desviado para cobrir compromissos pessoais dela”, disse Cattani.

Nesta semana, o delegado deve pedir a quebra de sigilo fiscal da empresária, além do bloqueio de bens e um mandado de busca e apreensão na Asseplim. Ontem, ele encaminhou o ofício de quebra de sigilo bancário ao Banco Real, no qual a empresa mantinha as contas dos clientes, e determinou prazo de cinco dias para que a agência forneça os extratos das transações da empresa. Assim que a documentação chegar à delegacia, Cinira deverá ser intimada e indiciada. “Os extratos são a prova de que houve desvio de dinheiro”, afirmou o delegado.

Síndicos – A Associação dos Condomínios do Grande ABC deveria se reunir ontem para analisar a possibilidade de uma ação cível coletiva contra a Asseplim. A idéia, segundo o representante da comissão dos síndicos lesados pela empresa, Odair Perego, é reunir todos os moradores em uma única entidade perante a Justiça. Na reunião entre os síndicos no último sábado, ficou definido que a comissão iria recolher informações e documentos necessários para fundamentar as ações judiciais e extrajudiciais contra todas as pessoas físicas e jurídicas envolvidas, inclusive no Banco Real.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;