Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Diretório do PT de S.Caetano é despejado e Pio é cobrado por dívida

Ricardo Trida/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Proprietário de prédio onde ficava sede da sigla exige saída após R$ 16 mil em aluguéis atrasados


Junior Carvalho

30/01/2017 | 07:00


O diretório do PT de São Caetano foi despejado no ano passado do prédio onde funcionava sua sede, na Rua Espírito Santo, no bairro Santo Antônio, região central da cidade, por falta de pagamento de oito meses de aluguel e uma dívida total de R$ 16 mil.

O curioso é que o presidente do partido na cidade, Márcio Della Bella, não foi cobrado pelo proprietário do local. A dívida bateu à porta do ex-vereador pelo PT e hoje parlamentar e presidente da Câmara pelo PMDB, Pio Mielo, que, quando integrava os quadros de filiados do PT são-caetanense, era fiador do contrato de locação.

O Diário apurou que o hoje peemedebista entrou em contato com os ex-correligionários para regularizar a situação, mas teria ouvido dos petistas que deveria honrar com a dívida, que incluí aluguéis referentes aos meses de abril a novembro do ano passado. “Esse é um problema da atual direção do partido. Até março de 2016, quando saí da legenda, deixei as obrigações partidárias e financeiras estritamente em dia. Tenho tudo isso documentado em recibos e contratos. Se após a minha saída houve descompasso financeiro, cabe à direção do partido responder, não eu” reclamou Pio.

Eleito pelo PT em 2012, o parlamentar cumpriu um mandato pelo petismo e deixou o partido no ano passado para concorrer à reeleição pelo PMDB – obteve 2.694 votos. A saída do então único vereador do partido na cidade criou mal-estar entre Pio e a cúpula da legenda, que passaram a trocar farpas publicamente.

Della Bella confirmou que Pio foi cobrado pela dívida, mas garantiu que a situação já foi resolvida. “Entregamos a sede porque tinha um valor do aluguel muito alto. Ficaram algumas pendências, mas já vão ser regularizadas”, salientou.

Apesar de sustentar que a sigla arcará com os débitos, o que se comenta é que o dirigente deixou o passivo sob responsabilidade de Pio. “A região deu vários deputados ao PT e também ex-prefeitos, que devem arcar com essa dívida irrisória. A responsabilidade é da legenda ‘13’ e não da ‘15’”, disparou Pio, ao emendar que não teme responder judicialmente pela dívida.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diretório do PT de S.Caetano é despejado e Pio é cobrado por dívida

Proprietário de prédio onde ficava sede da sigla exige saída após R$ 16 mil em aluguéis atrasados

Junior Carvalho

30/01/2017 | 07:00


O diretório do PT de São Caetano foi despejado no ano passado do prédio onde funcionava sua sede, na Rua Espírito Santo, no bairro Santo Antônio, região central da cidade, por falta de pagamento de oito meses de aluguel e uma dívida total de R$ 16 mil.

O curioso é que o presidente do partido na cidade, Márcio Della Bella, não foi cobrado pelo proprietário do local. A dívida bateu à porta do ex-vereador pelo PT e hoje parlamentar e presidente da Câmara pelo PMDB, Pio Mielo, que, quando integrava os quadros de filiados do PT são-caetanense, era fiador do contrato de locação.

O Diário apurou que o hoje peemedebista entrou em contato com os ex-correligionários para regularizar a situação, mas teria ouvido dos petistas que deveria honrar com a dívida, que incluí aluguéis referentes aos meses de abril a novembro do ano passado. “Esse é um problema da atual direção do partido. Até março de 2016, quando saí da legenda, deixei as obrigações partidárias e financeiras estritamente em dia. Tenho tudo isso documentado em recibos e contratos. Se após a minha saída houve descompasso financeiro, cabe à direção do partido responder, não eu” reclamou Pio.

Eleito pelo PT em 2012, o parlamentar cumpriu um mandato pelo petismo e deixou o partido no ano passado para concorrer à reeleição pelo PMDB – obteve 2.694 votos. A saída do então único vereador do partido na cidade criou mal-estar entre Pio e a cúpula da legenda, que passaram a trocar farpas publicamente.

Della Bella confirmou que Pio foi cobrado pela dívida, mas garantiu que a situação já foi resolvida. “Entregamos a sede porque tinha um valor do aluguel muito alto. Ficaram algumas pendências, mas já vão ser regularizadas”, salientou.

Apesar de sustentar que a sigla arcará com os débitos, o que se comenta é que o dirigente deixou o passivo sob responsabilidade de Pio. “A região deu vários deputados ao PT e também ex-prefeitos, que devem arcar com essa dívida irrisória. A responsabilidade é da legenda ‘13’ e não da ‘15’”, disparou Pio, ao emendar que não teme responder judicialmente pela dívida.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;