Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Tunico Vieira propõe municipalização do Ensino Médio


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

20/09/2016 | 07:00


Representante do PMDB de São Bernardo na disputa pela Prefeitura, o ex-vereador e ex-secretário Tunico Vieira destacou que, se eleito, vai colocar em prática plano para municipalizar o Ensino Médio, hoje de atribuição do Estado.

A proposta do peemedebista foi anunciada na noite de ontem, na última rodada de sabatinas com postulantes aos Executivos locais promovidas pelo Diário, iniciada no dia 29.

Debutante como prefeiturável, Tunico acrescentou que a proposta para Educação irá buscar também uma parceria com o Sesi (Serviço Social da Indústria), detalhando que pretende implementar o ensino integral nas demais escolas do município para o Ensino Fundamental.

“Hoje o aluno da rede pública custa o dobro dos estudantes das escolas particulares. Quero equilibrar isso e assim trabalhar pela municipalização. Acredito que quanto mais o serviço está próximo de quem usa, mais eficiente, menores o desperdício e corrupção. Quero trazer o modelo do Sesi para rede municipal. Não tenho ainda apurado se vamos conseguir dar essa Educação por causa do custo, porque não sei como pegarei a Prefeitura (no que tange a situação financeira). Mas quero ampliar formato de rede nossa com ensino integral”, pontuou o peemedebista, buscando enfatizar elo com o presidente do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e que coordena o sistema Sesi, Paulo Skaf (PMDB).

Ainda no campo das promessas, Tunico garantiu ter conhecimento para modificar o sistema de gestão da administração local, citando sua própria experiência e conhecimento em estudos e pesquisas com cidades de outros países. “Eu acredito que o prefeito tenha duas funções fundamentais. Primeiro a de zeladoria, garantindo que todo o serviço público funcione. A segunda é preparar a cidade para o futuro. Porque o mundo hoje vive de controle de gestão. O que quero fazer é que o serviço aconteça e isso vai acontecer quanto mais pessoas fiscalizarem”, disse.

Formado em Direito e Gestão Pública, Tunico foi vereador por dois mandatos (2001 a 2004 e 2009 a 2012). Foi secretário em governos dos ex-prefeitos Mauricio Soares (PHS) e William Dib (PSDB) e até março esteve à frente da Pasta de Relações Internacionais do governo de Luiz Marinho (PT).

O peemedebista assegurou que, em eventual mandato no Executivo, vai enxugar a máquina pública, citando que reduzirá de 33 para 15 o número de secretarias. Ele confirmou que vai manter o projeto de construção do Museu do Trabalho e do Trabalhador, ponto de discussão entre os principais candidatos ao Paço. Nomes da oposição, como o deputado estadual Orlando Morando (PSDB) e Alex Manente (PPS), falam em outra finalidade do complexo, caso não fique pronto até o fim do ano. “O que incomoda as pessoas é que se tornou o Museu do Lula (ex-presidente). Então, quero acabar essa obra e dar a ele uma visão ampla e histórica, porque todo mundo de São Bernardo é trabalhador.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tunico Vieira propõe municipalização do Ensino Médio

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

20/09/2016 | 07:00


Representante do PMDB de São Bernardo na disputa pela Prefeitura, o ex-vereador e ex-secretário Tunico Vieira destacou que, se eleito, vai colocar em prática plano para municipalizar o Ensino Médio, hoje de atribuição do Estado.

A proposta do peemedebista foi anunciada na noite de ontem, na última rodada de sabatinas com postulantes aos Executivos locais promovidas pelo Diário, iniciada no dia 29.

Debutante como prefeiturável, Tunico acrescentou que a proposta para Educação irá buscar também uma parceria com o Sesi (Serviço Social da Indústria), detalhando que pretende implementar o ensino integral nas demais escolas do município para o Ensino Fundamental.

“Hoje o aluno da rede pública custa o dobro dos estudantes das escolas particulares. Quero equilibrar isso e assim trabalhar pela municipalização. Acredito que quanto mais o serviço está próximo de quem usa, mais eficiente, menores o desperdício e corrupção. Quero trazer o modelo do Sesi para rede municipal. Não tenho ainda apurado se vamos conseguir dar essa Educação por causa do custo, porque não sei como pegarei a Prefeitura (no que tange a situação financeira). Mas quero ampliar formato de rede nossa com ensino integral”, pontuou o peemedebista, buscando enfatizar elo com o presidente do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e que coordena o sistema Sesi, Paulo Skaf (PMDB).

Ainda no campo das promessas, Tunico garantiu ter conhecimento para modificar o sistema de gestão da administração local, citando sua própria experiência e conhecimento em estudos e pesquisas com cidades de outros países. “Eu acredito que o prefeito tenha duas funções fundamentais. Primeiro a de zeladoria, garantindo que todo o serviço público funcione. A segunda é preparar a cidade para o futuro. Porque o mundo hoje vive de controle de gestão. O que quero fazer é que o serviço aconteça e isso vai acontecer quanto mais pessoas fiscalizarem”, disse.

Formado em Direito e Gestão Pública, Tunico foi vereador por dois mandatos (2001 a 2004 e 2009 a 2012). Foi secretário em governos dos ex-prefeitos Mauricio Soares (PHS) e William Dib (PSDB) e até março esteve à frente da Pasta de Relações Internacionais do governo de Luiz Marinho (PT).

O peemedebista assegurou que, em eventual mandato no Executivo, vai enxugar a máquina pública, citando que reduzirá de 33 para 15 o número de secretarias. Ele confirmou que vai manter o projeto de construção do Museu do Trabalho e do Trabalhador, ponto de discussão entre os principais candidatos ao Paço. Nomes da oposição, como o deputado estadual Orlando Morando (PSDB) e Alex Manente (PPS), falam em outra finalidade do complexo, caso não fique pronto até o fim do ano. “O que incomoda as pessoas é que se tornou o Museu do Lula (ex-presidente). Então, quero acabar essa obra e dar a ele uma visão ampla e histórica, porque todo mundo de São Bernardo é trabalhador.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;