Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Candidatos tentam saídas sobre dívida com CPTM

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Tossato
Do Diário OnLine

13/09/2016 | 11:20


Suspenso por causa de uma dívida da Prefeitura de Mauá com a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), o desconto que os usuários da integração na cidade tinham corre o risco de não retornar nesta gestão. Mesmo após ser retirada da lista do Cadin (Cadastro Informativo de Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais), a administração de Donisete Braga (PT) ainda quita parte da dívida.

Acompanhando o caso desde o início e aproveitando o momento eleitoral, o Diário questionou os candidatos à prefeitura da cidade, mais o atual prefeito, para que o leitor saiba qual será o projeto de cada postulante para a resolução deste problema.

O candidato à reeleição, Doniste Braga, reafirmou que a Prefeitura não se encontra mais na lista do Cadin e explicou que a empresa de transporte público de passageiros Suzantur e a CPTM estão analisando os novos termos do convênio a ser firmado, visaa retomada da integração.

Rejane Moura, que disputa a vaga pelo PSOL, sugere realizar um levantamento e avaliação da atual situação com profissionais da Prefeitura e da CPTM para que analisem a melhor maneira para que a dívida seja paga. “Espero que esse fato não ocorra na minha gestão, pois caso haja alguma dificuldade em relação a pagamento é importante que se converse antes com responsáveis para que não prejudique o trabalhador”, relatou.

Rogério Santana (Rede) quer discutir a dívida com a CPTM, tentando uma negociação com o órgão. “Quero elaborar uma gestão junto ao governo do Estado para a implantação da política pública do bilhete metropolitano, considerando que o transporte público é um direito do cidadão e um dever do Estado”, explicou.

O candidato Márcio Chaves, do PSD, reitera que não há clareza nas informações da atual administração, já que a Prefeitura não divulga o valor correto da dívida. “A atual gestão informa apenas que as dívidas estão sendo pagas.”

Átila Jacomussi, que concorre à cadeira do Executivo pelo PSB afirma que a dívida da Prefeitura com a CPTM é de quase R$ 1,5 milhão. “Vamos organizar as finanças, sanar essa dívida e restabelecer integração tarifária entre as linhas municipais de ônibus e os trens estaduais”, disse.

Clóvis Volpi, do PSDB, também debuta pela disputa à cadeira da administração e relata que toda dívida contraída pelo município deve estar em rubrica própria no orçamento subsequente para ser quitada de acordo com o compromisso firmado com o credor. “Se isso não acontecer, a Prefeitura estará se omitindo”, disse. O candidato ainda lembrou que, se caso, a dívida não for programada para 2017 e a CPTM não atender um novo acordo, o jeito será anular algumas despesas e criar créditos para quitá-la. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Candidatos tentam saídas sobre dívida com CPTM

Daniel Tossato
Do Diário OnLine

13/09/2016 | 11:20


Suspenso por causa de uma dívida da Prefeitura de Mauá com a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), o desconto que os usuários da integração na cidade tinham corre o risco de não retornar nesta gestão. Mesmo após ser retirada da lista do Cadin (Cadastro Informativo de Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais), a administração de Donisete Braga (PT) ainda quita parte da dívida.

Acompanhando o caso desde o início e aproveitando o momento eleitoral, o Diário questionou os candidatos à prefeitura da cidade, mais o atual prefeito, para que o leitor saiba qual será o projeto de cada postulante para a resolução deste problema.

O candidato à reeleição, Doniste Braga, reafirmou que a Prefeitura não se encontra mais na lista do Cadin e explicou que a empresa de transporte público de passageiros Suzantur e a CPTM estão analisando os novos termos do convênio a ser firmado, visaa retomada da integração.

Rejane Moura, que disputa a vaga pelo PSOL, sugere realizar um levantamento e avaliação da atual situação com profissionais da Prefeitura e da CPTM para que analisem a melhor maneira para que a dívida seja paga. “Espero que esse fato não ocorra na minha gestão, pois caso haja alguma dificuldade em relação a pagamento é importante que se converse antes com responsáveis para que não prejudique o trabalhador”, relatou.

Rogério Santana (Rede) quer discutir a dívida com a CPTM, tentando uma negociação com o órgão. “Quero elaborar uma gestão junto ao governo do Estado para a implantação da política pública do bilhete metropolitano, considerando que o transporte público é um direito do cidadão e um dever do Estado”, explicou.

O candidato Márcio Chaves, do PSD, reitera que não há clareza nas informações da atual administração, já que a Prefeitura não divulga o valor correto da dívida. “A atual gestão informa apenas que as dívidas estão sendo pagas.”

Átila Jacomussi, que concorre à cadeira do Executivo pelo PSB afirma que a dívida da Prefeitura com a CPTM é de quase R$ 1,5 milhão. “Vamos organizar as finanças, sanar essa dívida e restabelecer integração tarifária entre as linhas municipais de ônibus e os trens estaduais”, disse.

Clóvis Volpi, do PSDB, também debuta pela disputa à cadeira da administração e relata que toda dívida contraída pelo município deve estar em rubrica própria no orçamento subsequente para ser quitada de acordo com o compromisso firmado com o credor. “Se isso não acontecer, a Prefeitura estará se omitindo”, disse. O candidato ainda lembrou que, se caso, a dívida não for programada para 2017 e a CPTM não atender um novo acordo, o jeito será anular algumas despesas e criar créditos para quitá-la. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;