Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Festival de Gramado prova sua vitalidade

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


23/08/2021 | 08:41


O criativo cinema pernambucano se impôs e levou o prêmio principal no Festival de Gramado com a ficção científica e distópica Carro Rei, de Renata Pinheiro. Emocionada, a cineasta agradeceu ao festival e também protestou contra a política governamental "que tenta nos destruir, acabar com uma indústria como o audiovisual, que gera milhares de empregos". Ergueu um cartaz com as palavras SOS Cinemateca, alusivas ao abandono da Cinemateca Brasileira, que sofreu um incêndio recente. O longa recebeu mais três troféus: trilha sonora (DJ Dolores), direção de arte (Karen Araújo) e desenho de som (Guile Martins), além de um prêmio especial para o ator Matheus Nachtergaele.

Com esta premiação, destacou-se a criatividade de uma história de corte fantástico, em que automóveis falam e podem até amar. Mas também se aglutinam em torno de um líder carismático que pode se tornar um déspota. O trabalho de Matheus Nachtergaele como o mecânico Zé Macaco é simplesmente genial.

Jesus Kid (PR) rendeu os prêmios de melhor direção e roteiro, ambos de Aly Muritiba, e ator coadjuvante (Leandro Daniel Colombo). Baseado no livro de Lourenço Mutarelli, conta a história de um escritor (Paulo Miklos) que precisa se isolar num hotel para escrever o roteiro de um filme. O enredo incorpora elementos da atualidade brasileira, com um presidente autoritário, a volta da censura e do militarismo. Dialoga com o cinema dos irmãos Coen e Quentin Tarantino. Como comédia de humor negro tem lá seus altos e baixos.

O drama familiar Novelo (SP) levou os prêmios de júri popular, ator (Nando Cunha) e menções honrosas ao coletivo de atores juvenis e à atriz Isabel Zuaa. Conta a história de cinco irmãos que se reúnem num hospital em que o suposto pai deles está internado.

O delicado A Primeira Morte de Joana (RS), história de iniciação amorosa de uma adolescente, levou os troféus de fotografia (Bruno Polidoro) e montagem (Tula Anagnostopoulos). Um filme que sabe encenar as paixões e conflitos em um ambiente em aparência plácido.

O mais "comercial" dos concorrentes, o thriller A Suspeita, deu o troféu de melhor atriz a Glória Pires. Ela interpreta uma policial que investiga um crime enquanto luta com a perda de memória pelo Mal de Alzheimer. Tem qualidades, mas poderia ter aprofundado mais a sua proposta.

Homem Onça ganhou apenas o troféu de melhor atriz coadjuvante (Bianca Byington) e foi o grande injustiçado do festival. Conta a história de um funcionário de estatal (Chico Diaz) cuja vida entra em parafuso com a privatização da empresa. Embora ambientado no final dos anos 1990, fala do Brasil de hoje e com muita sofisticação. Chico Diaz está maravilhoso no papel.

Na parte internacional, o uruguaio La Teoría de los Vidrios Rotos levou os troféus de melhor filme pelo júri oficial e pelo popular, mas talvez seja o mais fraco entre os quatro concorrentes. Fala de um perito em seguros que vai trabalhar numa pequena e inóspita cidade. Tem seus momentos, como comédia suave e crítica de costumes. Planta Permanente (ARG) ganhou os prêmios Especial do Júri e da Crítica. Em sua simplicidade, é bastante denso com sua história de duas amigas tornadas rivais quando decidem montar um restaurante numa repartição pública. Roteiro afiado e grande trabalho de atrizes como Liliana Juarez, Rosário Blefari e Veronica Perrotta.

O melhor longa gaúcho foi Cavalo de Santo, documentário sobre a presença de religiões de matriz africana no Rio Grande do Sul. Um filme revelador.

O melhor curta foi A Fome de Lázaro (PB), registro de uma incrível cerimônia no interior paraibano em que, por um dia, as posições de seres humanos e animais se invertem. Pelo segundo ano consecutivo em formato híbrido, com parte da transmissão pela TV (Canal Brasil), parte por streaming, o Festival de Gramado deu provas de vitalidade em sua 49ª edição.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;