Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Festival Favela em Casa SP estreia hoje

Idealizado por mauaense e paulistana, evento tem parceria com Sesc e será exibido virtualmente


Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

18/09/2020 | 00:01


Com foco na arte produzida na periferia, tem início hoje e termina domingo o Festival Favela em Casa SP. Idealizado pelo mauaense Marcelo Rocha e pela paulistana Andressa Oliveira, integrantes do Coletivo Favela em Casa, o evento é virtual, gratuito e realizado em parceria com o Sesc São Paulo.
O festival conta com cerca de 35 nomes, entre músicos, artistas visuais, de teatro e dança, profissionais do cinema e literatura e pensadores.

Quem abre a programação hoje, às 19h, é a rapper Drika Barbosa. Ela é acompanhada por Kelly Souza (voz de apoio) e pelo DJ Faul. Ela aposta em temas dos trabalhos Espelho (2018) e Drik Barbosa (2019). A transmissão do show será feita pelo Instagram Sesc Ao Vivo e pelo canal do Sesc São Paulo no YouTube.
As demais atrações serão exibidas pela página do Facebook e pelo canal do YouTube do Festival Favela em Casa, além dos perfis no Facebook de nove unidades do Sesc: Santo André , São Caetano, Campo Limpo, Carmo, Itaquera, Ipiranga, Parque Dom Pedro II, Santana e Vila Mariana. Amanhã, a agenda vai das 19h às 23h e domingo, das 15h às 19h.

Do cenário musical listam ainda nomes como Caue Gas, Emcee lê e Jota Pê, por exemplo. Da dança participam Aline Constantino (Afrobreak), Babiy Querino e Djalma Moura, entre outros. Além dos espetáculos, há bate-papos com convidados, como a escritora Helena Silvestre, a curadora, poeta, escritora e ativista Abigail Santos Leal e o educador social Mestre Gildásio.

Segundo Marcelo Rocha, o evento surgiu a partir do sonho de movimentar e incentivar “artistas das nossas comunidades”, especialmente neste momento de pandemia. “Nosso sonho se tornou maior com a parceria do Sesc, que foi fundamental para a visibilidade dos nossos artistas e da nossa causa, que também passa pela sustentabilidade socioeconômica dos trabalhadores da cultura nas favelas”, explica. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Festival Favela em Casa SP estreia hoje

Idealizado por mauaense e paulistana, evento tem parceria com Sesc e será exibido virtualmente

Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

18/09/2020 | 00:01


Com foco na arte produzida na periferia, tem início hoje e termina domingo o Festival Favela em Casa SP. Idealizado pelo mauaense Marcelo Rocha e pela paulistana Andressa Oliveira, integrantes do Coletivo Favela em Casa, o evento é virtual, gratuito e realizado em parceria com o Sesc São Paulo.
O festival conta com cerca de 35 nomes, entre músicos, artistas visuais, de teatro e dança, profissionais do cinema e literatura e pensadores.

Quem abre a programação hoje, às 19h, é a rapper Drika Barbosa. Ela é acompanhada por Kelly Souza (voz de apoio) e pelo DJ Faul. Ela aposta em temas dos trabalhos Espelho (2018) e Drik Barbosa (2019). A transmissão do show será feita pelo Instagram Sesc Ao Vivo e pelo canal do Sesc São Paulo no YouTube.
As demais atrações serão exibidas pela página do Facebook e pelo canal do YouTube do Festival Favela em Casa, além dos perfis no Facebook de nove unidades do Sesc: Santo André , São Caetano, Campo Limpo, Carmo, Itaquera, Ipiranga, Parque Dom Pedro II, Santana e Vila Mariana. Amanhã, a agenda vai das 19h às 23h e domingo, das 15h às 19h.

Do cenário musical listam ainda nomes como Caue Gas, Emcee lê e Jota Pê, por exemplo. Da dança participam Aline Constantino (Afrobreak), Babiy Querino e Djalma Moura, entre outros. Além dos espetáculos, há bate-papos com convidados, como a escritora Helena Silvestre, a curadora, poeta, escritora e ativista Abigail Santos Leal e o educador social Mestre Gildásio.

Segundo Marcelo Rocha, o evento surgiu a partir do sonho de movimentar e incentivar “artistas das nossas comunidades”, especialmente neste momento de pandemia. “Nosso sonho se tornou maior com a parceria do Sesc, que foi fundamental para a visibilidade dos nossos artistas e da nossa causa, que também passa pela sustentabilidade socioeconômica dos trabalhadores da cultura nas favelas”, explica. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;