Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Lauro engatilha reforma de prédio antigo em vez de construir hospital

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeito de Diadema prometia erguer nova unidade, mas agora fala em reaproveitar imóvel


Júnior Carvalho
do dgabc.com.br

06/04/2019 | 07:00


O prefeito Lauro Michels (PV) recuou e, agora, cogita reformar prédio antigo para instalar novo hospital municipal, em vez de construir outra unidade, como havia prometido no pleito de 2016, quando foi reeleito. A proposta é de realizar melhorias em um imóvel que, no passado, já abrigou pronto-socorro municipal – antes da inauguração do Quarteirão da Saúde, em 2008 – e que atualmente dá lugar a unidade de saúde mental. O prédio está localizado na Rua Oriente Monti, no Centro.

A ideia foi apresentada na terça-feira por Lauro ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e prevê que os governos federal e estadual ajudem a custear a reforma do prédio e a instalação do equipamento. Na ocasião, o verde ouviu a confirmação do ministro de que o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) desistiu de despejar o HM (Hospital Municipal), em Piraporinha, como antecipou o Diário no mês passado. A instituição, que é atual proprietária do imóvel onde está instalado o hospital, vai transferir a titularidade do prédio à União, que, por sua vez, admitiu a possibilidade de repassá-la à Prefeitura de Diadema, seja por concessão ou doação.

Foi a primeira vez que Lauro, que está a um ano e nove meses do fim do seu segundo mandato, reconheceu que pode não construir outro hospital, sua principal promessa durante a campanha à reeleição. No mês passado, mesmo diante da possibilidade de o Paço receber o atual prédio do HM como doação, Lauro descartou reformar o local, classificou o equipamento como “remendo” e bancou a necessidade de erguer uma unidade nova. “Preciso de um novo hospital, com modelo mais benéfico para a população e mais inteligente”, disse o prefeito recentemente. No passado, a principal justificativa do governo era a de que, por não ser dona do imóvel, a Prefeitura não tinha permissão para realizar intervenções no arcaico edifício.

Na reunião com o ministro, Lauro ainda manteve a alternativa de construir outro equipamento, mas pleiteou ao governo federal recursos para o projeto. “O encontro foi positivo e saio desta reunião com a certeza de que a União ajudará Diadema a ter um novo hospital, seja uma construção ou adaptação de um prédio já existente na cidade. Também continuaremos cobrando o Estado em relação a essa demanda, já que o hospital tem caráter regional. A população merece e não pode esperar”, defendeu o prefeito.

No ano passado, após meses de impasse, a Câmara aprovou projeto que autoriza o governo Lauro a contrair empréstimo na ordem de R$ 125 milhões junto à Caixa para financiar a construção de outro hospital. Porém, desde a aprovação legislativa, nada avançou.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lauro engatilha reforma de prédio antigo em vez de construir hospital

Prefeito de Diadema prometia erguer nova unidade, mas agora fala em reaproveitar imóvel

Júnior Carvalho
do dgabc.com.br

06/04/2019 | 07:00


O prefeito Lauro Michels (PV) recuou e, agora, cogita reformar prédio antigo para instalar novo hospital municipal, em vez de construir outra unidade, como havia prometido no pleito de 2016, quando foi reeleito. A proposta é de realizar melhorias em um imóvel que, no passado, já abrigou pronto-socorro municipal – antes da inauguração do Quarteirão da Saúde, em 2008 – e que atualmente dá lugar a unidade de saúde mental. O prédio está localizado na Rua Oriente Monti, no Centro.

A ideia foi apresentada na terça-feira por Lauro ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e prevê que os governos federal e estadual ajudem a custear a reforma do prédio e a instalação do equipamento. Na ocasião, o verde ouviu a confirmação do ministro de que o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) desistiu de despejar o HM (Hospital Municipal), em Piraporinha, como antecipou o Diário no mês passado. A instituição, que é atual proprietária do imóvel onde está instalado o hospital, vai transferir a titularidade do prédio à União, que, por sua vez, admitiu a possibilidade de repassá-la à Prefeitura de Diadema, seja por concessão ou doação.

Foi a primeira vez que Lauro, que está a um ano e nove meses do fim do seu segundo mandato, reconheceu que pode não construir outro hospital, sua principal promessa durante a campanha à reeleição. No mês passado, mesmo diante da possibilidade de o Paço receber o atual prédio do HM como doação, Lauro descartou reformar o local, classificou o equipamento como “remendo” e bancou a necessidade de erguer uma unidade nova. “Preciso de um novo hospital, com modelo mais benéfico para a população e mais inteligente”, disse o prefeito recentemente. No passado, a principal justificativa do governo era a de que, por não ser dona do imóvel, a Prefeitura não tinha permissão para realizar intervenções no arcaico edifício.

Na reunião com o ministro, Lauro ainda manteve a alternativa de construir outro equipamento, mas pleiteou ao governo federal recursos para o projeto. “O encontro foi positivo e saio desta reunião com a certeza de que a União ajudará Diadema a ter um novo hospital, seja uma construção ou adaptação de um prédio já existente na cidade. Também continuaremos cobrando o Estado em relação a essa demanda, já que o hospital tem caráter regional. A população merece e não pode esperar”, defendeu o prefeito.

No ano passado, após meses de impasse, a Câmara aprovou projeto que autoriza o governo Lauro a contrair empréstimo na ordem de R$ 125 milhões junto à Caixa para financiar a construção de outro hospital. Porém, desde a aprovação legislativa, nada avançou.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;