Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Bebê sofre queimadura após curativo malfeito

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Maíra Sanches
Do Diário do Grande ABC

14/12/2012 | 07:00


Uma bebê de apenas 16 dias sofreu queimaduras de primeiro grau após ser medicada por uma auxiliar de enfermagem na UBS (Unidade Básica de Saúde) da Vila Magini, em Mauá. O caso, que ocorreu na semana passada, foi parar na delegacia e provocou afastamento da funcionária.

A mãe da criança, Agata Raynara Cajazeiras, 18 anos, levou a filha ao posto de Saúde do bairro onde mora para curar um ferimento próximo ao umbigo. A orientação dada era para que, durante sete dias, fosse aplicado nitrato de prata em bastão na barriga da menina.

No segundo dia, diz a família, a auxiliar, identificada como Marcia Norberto da Silva, não enfaixou o abdômen da bebê após a aplicação do remédio, que escorreu para as pernas e virilha. Em 20 minutos começaram os sintomas. "Ela só chorava. Achamos que era fome ou que precisava trocar a fralda. Quando abrimos, parecia queimadura de moto. Estava preto", relata a avó da criança, Sandra Maria dos Santos, 35.

Às pressas, mãe e filha retornaram com a criança ao posto. Lá receberam a orientação para medicar o bebê com pomada contra assaduras. Porém, horas depois, a situação piorou. "Já estava em carne viva", lembra a mãe.

A criança foi levada ao Hospital Nardini, onde foi medicada, ficou internada até sábado e foi liberada. As manchas da queimadura já foram suavizadas e o quadro dela é estável. Agora, parentes pedem punição à funcionária e ajuda para dar sequência ao tratamento. "Temos que ir a pé duas vezes por dia ao posto para fazer curativo. Foram eles que erraram e precisam dar assistência em casa", critica a avó. A família já acionou advogado para entrar com ação judicial contra a Prefeitura.

PROVIDÊNCIAS - Procurada, a administração municipal informa que abriu sindicância para apurar o caso, além de ter afastado a auxiliar de enfermagem até a conclusão da investigação. Ninguém na UBS da Vila Magini quis comentar o assunto. O boletim de ocorrência no 1º DP (Centro) da cidade foi registrado como lesão corporal culposa, quando não há intenção de provocar o ferimento.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bebê sofre queimadura após curativo malfeito

Maíra Sanches
Do Diário do Grande ABC

14/12/2012 | 07:00


Uma bebê de apenas 16 dias sofreu queimaduras de primeiro grau após ser medicada por uma auxiliar de enfermagem na UBS (Unidade Básica de Saúde) da Vila Magini, em Mauá. O caso, que ocorreu na semana passada, foi parar na delegacia e provocou afastamento da funcionária.

A mãe da criança, Agata Raynara Cajazeiras, 18 anos, levou a filha ao posto de Saúde do bairro onde mora para curar um ferimento próximo ao umbigo. A orientação dada era para que, durante sete dias, fosse aplicado nitrato de prata em bastão na barriga da menina.

No segundo dia, diz a família, a auxiliar, identificada como Marcia Norberto da Silva, não enfaixou o abdômen da bebê após a aplicação do remédio, que escorreu para as pernas e virilha. Em 20 minutos começaram os sintomas. "Ela só chorava. Achamos que era fome ou que precisava trocar a fralda. Quando abrimos, parecia queimadura de moto. Estava preto", relata a avó da criança, Sandra Maria dos Santos, 35.

Às pressas, mãe e filha retornaram com a criança ao posto. Lá receberam a orientação para medicar o bebê com pomada contra assaduras. Porém, horas depois, a situação piorou. "Já estava em carne viva", lembra a mãe.

A criança foi levada ao Hospital Nardini, onde foi medicada, ficou internada até sábado e foi liberada. As manchas da queimadura já foram suavizadas e o quadro dela é estável. Agora, parentes pedem punição à funcionária e ajuda para dar sequência ao tratamento. "Temos que ir a pé duas vezes por dia ao posto para fazer curativo. Foram eles que erraram e precisam dar assistência em casa", critica a avó. A família já acionou advogado para entrar com ação judicial contra a Prefeitura.

PROVIDÊNCIAS - Procurada, a administração municipal informa que abriu sindicância para apurar o caso, além de ter afastado a auxiliar de enfermagem até a conclusão da investigação. Ninguém na UBS da Vila Magini quis comentar o assunto. O boletim de ocorrência no 1º DP (Centro) da cidade foi registrado como lesão corporal culposa, quando não há intenção de provocar o ferimento.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;