Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Salles promete zerar deficit nas creches ampliando convênios

Ricardo Trida/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeiturável andreense pela terceira vez, popular-socialista parte para o ataque aos adversários e volta a cogitar aposentadoria nas urnas


Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

01/09/2016 | 07:00


Candidato à Prefeitura de Santo André pela terceira vez consecutiva, Raimundo Salles (PDT) prometeu zerar o deficit de vagas em creche, hoje estimado em 3.800 vagas. Para isso, o popular-socialista sugeriu ampliar o número de unidades conveniadas, acompanhado do aumento das subvenções às entidades filantrópicas.

Salles fechou o terceiro dia de sabatinas com os prefeituráveis do Grande ABC, entrevista realizada ontem na sede do Diário e transmitida ao vivo pelo Facebook, pelo site www.dgabc.com.br/tv e pelo canal do Diário no YouTube (www.youtube.com/dgabcjornal).

“Esse deficit pode ser sanado sim, porque as entidades filantrópicas desta cidade, muitas religiosas ou não, atendem essa demanda. Algumas atendem mais de 400 crianças e recebem subvenção da Prefeitura de R$ 350 (por criança). Eu não quero nenhuma mãe sem a possibilidade de poder trabalhar por não ter com quem deixar o filho. Quero zerar esse deficit não aumentando novas unidades, mas com entidades sérias”, discorreu Salles.

O candidato criticou o custo do Ensino Infantil aos cofres públicos.
“A pré-escola de Santo André é a mais cara da história. Cada criança, para ficar meio período, custa R$ 1.900. Isso é um assalto ao Tesouro municipal”, disse. Ele também se comprometeu a, caso eleito, autorizar a Prefeitura a financiar cursos pré-vestibulares aos estudantes de baixa renda do município.

Salles aproveitou os 30 minutos que teve para, além de apresentar propostas, criticar todos os adversários. O popular-socialista se embaraçou ao explicar sua passagem pelo governo do prefeito e hoje candidato à reeleição, Carlos Grana (PT) – foi secretário de Cultura por um ano e nove meses. “Eu não sou petista nem votei no PT (...) Eu votei, no segundo turno (das eleições de 2012), no Carlos Grana. Havia uma posição do meu grupo político de apoiar o (então prefeito, hoje candidato do PSB ao Paço) Aidan Ravin. Infelizmente eu não fui para o segundo turno e, diferentemente do Paulinho Serra (então vereador, hoje prefeiturável do PSDB), que apoiou o PT e o Grana desde o primeiro turno.”

SEGURANÇA

Salles reiterou a promessa de, para a área da Segurança Pública, comprar um helicóptero. “É absolutamente necessária (a compra do veículo). Não é só para a Segurança, mas para a mobilidade das pessoas. (O helicóptero) Custa muito menos que a corrupção em muitos órgãos públicos que existem”, comparou.

Candidato a prefeito em 2008 (ficou em terceiro lugar, com 70.918 votos) e em 2012 (também em terceiro, com 48.744), Salles voltou a cogitar aposentadoria nas urnas. “Eu não vejo perspectiva de candidatura”, resumiu o popular-socialista, que também refutou apoiar outro nome em eventual segundo turno.

O Diário encerrou a rodada com os candidatos ao Paço andreense e inicia hoje, às 13h, as sabatinas com os prefeituráveis de São Caetano. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Salles promete zerar deficit nas creches ampliando convênios

Prefeiturável andreense pela terceira vez, popular-socialista parte para o ataque aos adversários e volta a cogitar aposentadoria nas urnas

Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

01/09/2016 | 07:00


Candidato à Prefeitura de Santo André pela terceira vez consecutiva, Raimundo Salles (PDT) prometeu zerar o deficit de vagas em creche, hoje estimado em 3.800 vagas. Para isso, o popular-socialista sugeriu ampliar o número de unidades conveniadas, acompanhado do aumento das subvenções às entidades filantrópicas.

Salles fechou o terceiro dia de sabatinas com os prefeituráveis do Grande ABC, entrevista realizada ontem na sede do Diário e transmitida ao vivo pelo Facebook, pelo site www.dgabc.com.br/tv e pelo canal do Diário no YouTube (www.youtube.com/dgabcjornal).

“Esse deficit pode ser sanado sim, porque as entidades filantrópicas desta cidade, muitas religiosas ou não, atendem essa demanda. Algumas atendem mais de 400 crianças e recebem subvenção da Prefeitura de R$ 350 (por criança). Eu não quero nenhuma mãe sem a possibilidade de poder trabalhar por não ter com quem deixar o filho. Quero zerar esse deficit não aumentando novas unidades, mas com entidades sérias”, discorreu Salles.

O candidato criticou o custo do Ensino Infantil aos cofres públicos.
“A pré-escola de Santo André é a mais cara da história. Cada criança, para ficar meio período, custa R$ 1.900. Isso é um assalto ao Tesouro municipal”, disse. Ele também se comprometeu a, caso eleito, autorizar a Prefeitura a financiar cursos pré-vestibulares aos estudantes de baixa renda do município.

Salles aproveitou os 30 minutos que teve para, além de apresentar propostas, criticar todos os adversários. O popular-socialista se embaraçou ao explicar sua passagem pelo governo do prefeito e hoje candidato à reeleição, Carlos Grana (PT) – foi secretário de Cultura por um ano e nove meses. “Eu não sou petista nem votei no PT (...) Eu votei, no segundo turno (das eleições de 2012), no Carlos Grana. Havia uma posição do meu grupo político de apoiar o (então prefeito, hoje candidato do PSB ao Paço) Aidan Ravin. Infelizmente eu não fui para o segundo turno e, diferentemente do Paulinho Serra (então vereador, hoje prefeiturável do PSDB), que apoiou o PT e o Grana desde o primeiro turno.”

SEGURANÇA

Salles reiterou a promessa de, para a área da Segurança Pública, comprar um helicóptero. “É absolutamente necessária (a compra do veículo). Não é só para a Segurança, mas para a mobilidade das pessoas. (O helicóptero) Custa muito menos que a corrupção em muitos órgãos públicos que existem”, comparou.

Candidato a prefeito em 2008 (ficou em terceiro lugar, com 70.918 votos) e em 2012 (também em terceiro, com 48.744), Salles voltou a cogitar aposentadoria nas urnas. “Eu não vejo perspectiva de candidatura”, resumiu o popular-socialista, que também refutou apoiar outro nome em eventual segundo turno.

O Diário encerrou a rodada com os candidatos ao Paço andreense e inicia hoje, às 13h, as sabatinas com os prefeituráveis de São Caetano. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;