Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Assessor de Serra aposta na 'racionalidade do povo' para vencer


Tatiana Freitas
Do Diário OnLine

23/10/2002 | 10:47


O coordenador de campanha de José Serra (PSDB), Luiz Paulo Vellozo Lucas, afirmou na manhã desta quarta-feira que a equipe ainda acredita numa reviravolta e na vitória do tucano no próximo domingo. “O jogo é no domingo. Nós confiamos muito na racionalidade que não esteve presente na campanha dos candidatos de oposição e no segundo turno, já que Luiz Inácio Lula da Silva vem fugindo dos debates”, afirmou.

Vellozo Lucas, que também é assessor econômico de Serra, afirmou que o voto em Serra “tem duas verdades: a permanência das conquistas do período FHC e a mudança com segurança, com os pés no chão”. Ele disse confiar na reflexão do povo nos últimos dias de campanha.

No caso de vitória de Serra, o assessor do tucano afirmou que a presidência do Banco Central deve continuar sendo ocupada por Armínio Fraga. No entanto, ele ressaltou que pode haver mudanças em outros níveis. “Serra vai montar uma equipe que terá inspiração na equipe de FHC, mas com características semelhantes ao seu jeito de trabalhar.”

Vellozo Lucas disse que a diferença entre os governos FHC e Serra será a agenda. Ele afirmou que a administração de Fernando Henrique Cardoso foi um sucesso e que graças a ela se pode sonhar com novas mudanças, com uma política voltada para a geração de empregos e o crescimento econômico.

Há dez anos, explicou, as preocupações eram “combater a hiperinflação, abrir a economia, introduzir a competição, a concorrência, construir uma economia moderna de mercado, trazer investimento privado para a área de infra-estrutura e equilibrar as finanças públicas”. Lucas disse que isto foi conseguido por FHC.

Lucas disse ainda que o eleito não conseguirá, de imediato, renegociar a dívida dos Estados. Ele afirmou que quem diz que vai fazer isto está “prometendo uma mercadoria que não pode entregar”.

As declarações foram dadas durante entrevista ao jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Assessor de Serra aposta na 'racionalidade do povo' para vencer

Tatiana Freitas
Do Diário OnLine

23/10/2002 | 10:47


O coordenador de campanha de José Serra (PSDB), Luiz Paulo Vellozo Lucas, afirmou na manhã desta quarta-feira que a equipe ainda acredita numa reviravolta e na vitória do tucano no próximo domingo. “O jogo é no domingo. Nós confiamos muito na racionalidade que não esteve presente na campanha dos candidatos de oposição e no segundo turno, já que Luiz Inácio Lula da Silva vem fugindo dos debates”, afirmou.

Vellozo Lucas, que também é assessor econômico de Serra, afirmou que o voto em Serra “tem duas verdades: a permanência das conquistas do período FHC e a mudança com segurança, com os pés no chão”. Ele disse confiar na reflexão do povo nos últimos dias de campanha.

No caso de vitória de Serra, o assessor do tucano afirmou que a presidência do Banco Central deve continuar sendo ocupada por Armínio Fraga. No entanto, ele ressaltou que pode haver mudanças em outros níveis. “Serra vai montar uma equipe que terá inspiração na equipe de FHC, mas com características semelhantes ao seu jeito de trabalhar.”

Vellozo Lucas disse que a diferença entre os governos FHC e Serra será a agenda. Ele afirmou que a administração de Fernando Henrique Cardoso foi um sucesso e que graças a ela se pode sonhar com novas mudanças, com uma política voltada para a geração de empregos e o crescimento econômico.

Há dez anos, explicou, as preocupações eram “combater a hiperinflação, abrir a economia, introduzir a competição, a concorrência, construir uma economia moderna de mercado, trazer investimento privado para a área de infra-estrutura e equilibrar as finanças públicas”. Lucas disse que isto foi conseguido por FHC.

Lucas disse ainda que o eleito não conseguirá, de imediato, renegociar a dívida dos Estados. Ele afirmou que quem diz que vai fazer isto está “prometendo uma mercadoria que não pode entregar”.

As declarações foram dadas durante entrevista ao jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;