Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Constituição da Coreia do Norte proclama status nuclear



31/05/2012 | 03:52


A nova Constituição da Coreia do Norte estabelece o status de uma nação com armas nucleares, o que complica os esforços internacionais para persuadir Pyongyang a abandonar seu programa atômico, disseram hoje analistas. A Constituição foi revista durante a sessão parlamentar de 13 de abril.

 

"O presidente da Comissão de Defesa Nacional, Kim Jong-il, transformou a nossa pátria em um estado invencível de ideologia política, um Estado nuclearmente armado e uma indomável potência militar, preparando o terreno para a construção de uma nação forte e próspera", diz parte do preâmbulo constitucional, que está disponível na internet.

 

A Constituição anterior, datada de 9 de abril de 2010, não trazia o termo "Estado nuclearmente armado". Após a morte de Kim Jong-il, em dezembro do ano passado, o país asiático revisou a Carta para consagrar as conquistas do falecido líder, que foi sucedido por seu filho Kim Jong-un.

 

"Isso deixa claro que o Norte tem pouca intenção de desistir de seu programa nuclear sob quaisquer circunstâncias", afirmou Cheon Sung-whun, do estatal Instituto Coreano para a Unificação Nacional. "Se houver uma demanda à mesa de negociação para desistir das armas nucleares, a Coreia do Norte poderá dizer que isso seria uma violação à Constituição", completou. As informações são da Dow Jones.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Constituição da Coreia do Norte proclama status nuclear


31/05/2012 | 03:52


A nova Constituição da Coreia do Norte estabelece o status de uma nação com armas nucleares, o que complica os esforços internacionais para persuadir Pyongyang a abandonar seu programa atômico, disseram hoje analistas. A Constituição foi revista durante a sessão parlamentar de 13 de abril.

 

"O presidente da Comissão de Defesa Nacional, Kim Jong-il, transformou a nossa pátria em um estado invencível de ideologia política, um Estado nuclearmente armado e uma indomável potência militar, preparando o terreno para a construção de uma nação forte e próspera", diz parte do preâmbulo constitucional, que está disponível na internet.

 

A Constituição anterior, datada de 9 de abril de 2010, não trazia o termo "Estado nuclearmente armado". Após a morte de Kim Jong-il, em dezembro do ano passado, o país asiático revisou a Carta para consagrar as conquistas do falecido líder, que foi sucedido por seu filho Kim Jong-un.

 

"Isso deixa claro que o Norte tem pouca intenção de desistir de seu programa nuclear sob quaisquer circunstâncias", afirmou Cheon Sung-whun, do estatal Instituto Coreano para a Unificação Nacional. "Se houver uma demanda à mesa de negociação para desistir das armas nucleares, a Coreia do Norte poderá dizer que isso seria uma violação à Constituição", completou. As informações são da Dow Jones.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;