Fechar
Publicidade

Sábado, 18 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Suzano exclui empresas que exploram crianças


Marcelo Picolo
Da Redaçao

25/03/1999 | 08:22


A Companhia Suzano de Papel e Celulose pediu ontem a exclusao da José Joaquim Ferreira Rural e da Carvalho Comércio de Eucaliptos Ltda do quadro de empresas da Cooperativa de Produtores de Madeira. Essa organizaçao é composta por mais de 200 empreiteiras que fornece matéria-prima à indústria de Suzano. A medida foi tomada após a publicaçao da reportagem no Diário do último domingo que denuncia a exploraçao de mao-de-obra infantil no Sítio do Quilombo, localizado na Baixada Santista, próximo à divisa com o Grande ABC.
A área pertence ao Grupo Matarazzo (Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo), mas foi arrendada mediante contrato às duas empreiteiras acusadas de manter crianças trabalhadoras de 9 a 14 anos em meio às plantaçoes de eucaliptos. Meninos e meninas se especializaram em descascar eucaliptos com facoes em meio à Serra do Mar.
Segundo o sócio-proprietário da Carvalho Comércio de Eucaliptos Ltda Mario Sérgio de Azevedo, 44 anos, sua empresa jamais manteve crianças trabalhando no Sítio do Quilombo. "Posso dizer que nós nao temos qualquer responsabilidade nisso", disse. A empreiteira forneceria madeira apenas à Companhia Suzano de Papel e Celulose. "Somos uma pequena empresa e, se cancelarem nosso contrato, vamos quebrar", prevê. O Diário tentou contato telefônico com a José Joaquim Ferreira Rural durante toda a tarde de ontem, mas ninguém foi encontrado na empresa.
Dora Cavalcanti Cordani, 28 anos, advogada do Grupo Matarazzo, afirmou que a família Matarazzo irá esperar a apuraçao das denúncias pela fiscalizaçao do Ministério do Trabalho. "Se tudo for comprovado, já está certo que iremos cancelar imediatamente o contrato das duas empresas", explicou. A Companhia Suzano informou, por meio de seu departamento de comunicaçao, que só tomou ciência do que ocorria dentro da fazenda pela imprensa. Além disso, apenas cerca de 5% de toda a matéria-prima que chegaria à entidade viria de pequenos fornecedores, parcela onde estariam incluídas a José Joaquim Ferreira Rural e Carvalho Comércio de Eucaliptos.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;