Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Estrelas norte-americanas esquentam rixa em Veneza


Veneza
Da AE

03/09/2000 | 17:12


Personalidades norte-americanas no Festival de Cinema de Veneza esquentam a discussao entre a rivalidade da produçao cinematográfica da Itália e dos Estados Unidos. Em tese, Harrison Ford e Michelle Pfeiffer foram as últimas estrelas a visitar esta ediçao do festival. A dupla acompanhou a projeçao, fora de concurso, de Revelaçao (What Lies Beneath, EUA, 2000), de Robert Zemeckis (o mesmo de Forrest Gump e De Volta para o Futuro), que estréia quinta-feira no Brasil. Desta vez, Ford faz um vilao, numa trama que mistura fantasmas, traiçao conjugal e disputas profissionais.

Na conversa com os jornalistas, repleta de banalidades, Ford confessou que às vezes se torna cúmplice da mídia e dos clichês com sua imagem. E, para confirmar o que diz, avisou que, aos 58 anos, voltará mais uma vez ao papel de Indiana Jones.

A presença de astros e estrelas como Clint Eastwood, Harrison Ford, Michelle Pfeiffer e Sharon Stone sempre provoca reaçoes diversas no Lido. Há um misto de atraçao e repulsao dos italianos em relaçao ao cinema de Hollywood e seus representantes.

Nos jornais, os norte-americanos puxaram todas as manchetes, apesar da representaçao pífia desse ano, com apenas dois longas na disputa pelo Leao de Ouro. Já o mal-estar em relaçao aos Estados Unidos aparece do lado dos realizadores italianos e parte da crítica, que vêem o cinema local, outrora uma das potências do mundo, perder cada vez mais espaço.

Um encontro, previsto entre italianos e norte-americanos, foi boicotado pelos primeiros. Os cineastas locais compareceram ao local determinado, leram um manifesto e foram embora. A nota, com a chancela da Associazione Nazionale Autori Cinematografici, pronuncia-se contra a presença no Lido da poderosa MPA (Motion Pictures Association), dos Estados Unidos.

Os italianos dizem que se recusam a dialogar com os interlocutores norte-americanos representados por uma associaçao como a MPA, tida como responsável pela brutal queda da participaçao do cinema local em seu próprio mercado.

A ministra da Cultura, Giovanna Melandri, que havia organizado o encontro, rebateu. Disse que os diretores locais fariam melhor em examinar a própria crise de criatividade e incapacidade de produzir filmes que sensibilizem o público.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estrelas norte-americanas esquentam rixa em Veneza

Veneza
Da AE

03/09/2000 | 17:12


Personalidades norte-americanas no Festival de Cinema de Veneza esquentam a discussao entre a rivalidade da produçao cinematográfica da Itália e dos Estados Unidos. Em tese, Harrison Ford e Michelle Pfeiffer foram as últimas estrelas a visitar esta ediçao do festival. A dupla acompanhou a projeçao, fora de concurso, de Revelaçao (What Lies Beneath, EUA, 2000), de Robert Zemeckis (o mesmo de Forrest Gump e De Volta para o Futuro), que estréia quinta-feira no Brasil. Desta vez, Ford faz um vilao, numa trama que mistura fantasmas, traiçao conjugal e disputas profissionais.

Na conversa com os jornalistas, repleta de banalidades, Ford confessou que às vezes se torna cúmplice da mídia e dos clichês com sua imagem. E, para confirmar o que diz, avisou que, aos 58 anos, voltará mais uma vez ao papel de Indiana Jones.

A presença de astros e estrelas como Clint Eastwood, Harrison Ford, Michelle Pfeiffer e Sharon Stone sempre provoca reaçoes diversas no Lido. Há um misto de atraçao e repulsao dos italianos em relaçao ao cinema de Hollywood e seus representantes.

Nos jornais, os norte-americanos puxaram todas as manchetes, apesar da representaçao pífia desse ano, com apenas dois longas na disputa pelo Leao de Ouro. Já o mal-estar em relaçao aos Estados Unidos aparece do lado dos realizadores italianos e parte da crítica, que vêem o cinema local, outrora uma das potências do mundo, perder cada vez mais espaço.

Um encontro, previsto entre italianos e norte-americanos, foi boicotado pelos primeiros. Os cineastas locais compareceram ao local determinado, leram um manifesto e foram embora. A nota, com a chancela da Associazione Nazionale Autori Cinematografici, pronuncia-se contra a presença no Lido da poderosa MPA (Motion Pictures Association), dos Estados Unidos.

Os italianos dizem que se recusam a dialogar com os interlocutores norte-americanos representados por uma associaçao como a MPA, tida como responsável pela brutal queda da participaçao do cinema local em seu próprio mercado.

A ministra da Cultura, Giovanna Melandri, que havia organizado o encontro, rebateu. Disse que os diretores locais fariam melhor em examinar a própria crise de criatividade e incapacidade de produzir filmes que sensibilizem o público.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;