Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

PT faz coro a Marinho por chapa pura

Partido defende método para disputas ao Paço e ao Legislativo; nove são cotados para vice


Rogério Santos
Do Diário do Grande ABC

27/01/2012 | 07:03


A primeira reunião do diretório do PT de São Bernardo focando a eleição de outubro, realizada ontem, ratificou a possibilidade de o partido ter chapa pura no pleito majoritário e proporcional.

A proposta foi defendida por unanimidade entre os petistas. A deliberação saiu um dia após o prefeito Luiz Marinho (PT) se mostrar disposto a discutir a possibilidade de chapa pura, mesmo já tendo defendido publicamente chapa mista.

Entretanto, a definição sobre compor ou não sairá apenas dia 25, quando os cardeais petistas se reunirão para o veredicto final. Apesar da disposição, ainda não há nome definido para eventual chapa pura, mas muitas sondagens.

Segundo o presidente do diretório local da legenda, Wanderley Salatiel, os vereadores Zé Ferreira, Paulo Dias e Antonio Carlos da Silva, o Toninho da Lanchonete, os secretários de Saúde, Arthur Chioro, e de Coordenação Governamental, Tarcísio Secoli, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre, a ex-primeira-dama do Brasil Marisa Letícia, a deputada estadual Ana do Carmo e o deputado federal Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho, são cotados.

A busca por um vice para Marinho começou após Frank Aguiar (PTB) anunciar no fim do ano passado que não disputará a reeleição. "Se o Frank não tivesse anunciado isso, esse debate não existiria", disse Salatiel.

Com a sinalização do PT em não abrir espaço para outras legendas, a tendência é que ocorra um mal-estar com os partidos que estão na base aliada de Marinho. Salatiel, no entanto, descarta a hipótese. "Essa é uma discussão que sairá daqui e chegará aos partidos aliados, que participarão desse debate."

Marinho tem falado que as definições sobre a eleição serão tomadas em conjunto com os partidos que compõem a sustentação ao seu projeto de reeleição. A próxima reunião do petista sobre o assunto será dia 6, com o PSB.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PT faz coro a Marinho por chapa pura

Partido defende método para disputas ao Paço e ao Legislativo; nove são cotados para vice

Rogério Santos
Do Diário do Grande ABC

27/01/2012 | 07:03


A primeira reunião do diretório do PT de São Bernardo focando a eleição de outubro, realizada ontem, ratificou a possibilidade de o partido ter chapa pura no pleito majoritário e proporcional.

A proposta foi defendida por unanimidade entre os petistas. A deliberação saiu um dia após o prefeito Luiz Marinho (PT) se mostrar disposto a discutir a possibilidade de chapa pura, mesmo já tendo defendido publicamente chapa mista.

Entretanto, a definição sobre compor ou não sairá apenas dia 25, quando os cardeais petistas se reunirão para o veredicto final. Apesar da disposição, ainda não há nome definido para eventual chapa pura, mas muitas sondagens.

Segundo o presidente do diretório local da legenda, Wanderley Salatiel, os vereadores Zé Ferreira, Paulo Dias e Antonio Carlos da Silva, o Toninho da Lanchonete, os secretários de Saúde, Arthur Chioro, e de Coordenação Governamental, Tarcísio Secoli, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre, a ex-primeira-dama do Brasil Marisa Letícia, a deputada estadual Ana do Carmo e o deputado federal Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho, são cotados.

A busca por um vice para Marinho começou após Frank Aguiar (PTB) anunciar no fim do ano passado que não disputará a reeleição. "Se o Frank não tivesse anunciado isso, esse debate não existiria", disse Salatiel.

Com a sinalização do PT em não abrir espaço para outras legendas, a tendência é que ocorra um mal-estar com os partidos que estão na base aliada de Marinho. Salatiel, no entanto, descarta a hipótese. "Essa é uma discussão que sairá daqui e chegará aos partidos aliados, que participarão desse debate."

Marinho tem falado que as definições sobre a eleição serão tomadas em conjunto com os partidos que compõem a sustentação ao seu projeto de reeleição. A próxima reunião do petista sobre o assunto será dia 6, com o PSB.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;