Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Aprovados em curso desistem de efetuar matrícula


Angela Martins
Do Diário do Grande ABC

27/01/2012 | 07:00


Apesar de possuir o segundo curso mais concorrido do país no Sistema de Seleção Unificada, a Universidade Federal do ABC não conseguiu preencher 20,5% das vagas para bacharelado em Ciência e Tecnologia. Foram 19.751 inscrições para as 1.525 vagas oferecidas nos campi de São Bernardo e Santo André. Após a primeira rodada de inscrições, em aberto ficaram 314 cadeiras.
Ontem, o Ministério da Educação liberou para consulta pela internet o resultado da segunda chamada do Sisu. No total, 641 candidatos a seis cursos da Universidade Federal do ABC e Universidade Federal de São Paulo - Campus Diadema, devem fazer a matrícula entre segunda e terça-feira. O prazo de adesão vai até dia 1º.
A UFABC é a instituição da região com maior número de vagas na segunda chamada, com 430. Os cursos são Ciência e Tecnologia (314) e Ciência e Humanidades (116). Na Unifesp, são 211 vagas em aberto para os cursos de Farmácia e Bioquímica (69), Licenciatura Plena em Ciências (96), Química Industrial (22) e Química (24).
"Ainda estamos tentando entender por que não conseguimos preencher as vagas do curso, que foi muito concorrido em todo País. O que levaria um candidato a fazer o Enem, se inscrever no Sisu e não fazer a matrícula na universidade escolhida? Para nós, isso também é mistério", diz o vice-reitor da UFABC, Gustavo Dalpian. A federal pretende pedir ao Inep levantamento dos candidatos inscritos para esclarecer as dúvidas.
Segundo o vice-reitor, uma das hipóteses é de que alguns dos candidatos sejam de outros Estados, o que dificultaria o ingresso em uma universidade da região. "Pode ser que eles não tenham como sustentar-se longe de casa. Também é possível que muitos não tenham entendido como funciona o Sisu", argumenta.
A taxa de vagas não preenchidas na primeira chamada é comemorada, já que no ano passado o índice foi de 45%. Na Universidade Federal do Ceará, a instituição com maior número de inscrições no Sisu deste ano, 43% dos alunos convocados na primeira leva não fizeram matrícula.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aprovados em curso desistem de efetuar matrícula

Angela Martins
Do Diário do Grande ABC

27/01/2012 | 07:00


Apesar de possuir o segundo curso mais concorrido do país no Sistema de Seleção Unificada, a Universidade Federal do ABC não conseguiu preencher 20,5% das vagas para bacharelado em Ciência e Tecnologia. Foram 19.751 inscrições para as 1.525 vagas oferecidas nos campi de São Bernardo e Santo André. Após a primeira rodada de inscrições, em aberto ficaram 314 cadeiras.
Ontem, o Ministério da Educação liberou para consulta pela internet o resultado da segunda chamada do Sisu. No total, 641 candidatos a seis cursos da Universidade Federal do ABC e Universidade Federal de São Paulo - Campus Diadema, devem fazer a matrícula entre segunda e terça-feira. O prazo de adesão vai até dia 1º.
A UFABC é a instituição da região com maior número de vagas na segunda chamada, com 430. Os cursos são Ciência e Tecnologia (314) e Ciência e Humanidades (116). Na Unifesp, são 211 vagas em aberto para os cursos de Farmácia e Bioquímica (69), Licenciatura Plena em Ciências (96), Química Industrial (22) e Química (24).
"Ainda estamos tentando entender por que não conseguimos preencher as vagas do curso, que foi muito concorrido em todo País. O que levaria um candidato a fazer o Enem, se inscrever no Sisu e não fazer a matrícula na universidade escolhida? Para nós, isso também é mistério", diz o vice-reitor da UFABC, Gustavo Dalpian. A federal pretende pedir ao Inep levantamento dos candidatos inscritos para esclarecer as dúvidas.
Segundo o vice-reitor, uma das hipóteses é de que alguns dos candidatos sejam de outros Estados, o que dificultaria o ingresso em uma universidade da região. "Pode ser que eles não tenham como sustentar-se longe de casa. Também é possível que muitos não tenham entendido como funciona o Sisu", argumenta.
A taxa de vagas não preenchidas na primeira chamada é comemorada, já que no ano passado o índice foi de 45%. Na Universidade Federal do Ceará, a instituição com maior número de inscrições no Sisu deste ano, 43% dos alunos convocados na primeira leva não fizeram matrícula.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;