Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Cartaz de bingo revela telefone do S.Bernardo

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Número usado na divulgação do evento ilegal é de linha que fica no Estádio 1º de Maio


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

07/12/2018 | 07:00


Telefone usado em cartaz de divulgação de bingo ilegal que seria realizado no dia 16, no Estádio 1º de Maio, liga o São Bernardo FC ao evento. O número é de propriedade do Tigre, inclusive consta na divulgação da página do clube no site da Federação Paulista de Futebol, mas o presidente Edinho Montemor nega envolvimento com a WP Promoções, organizadora da jogatina, e com o Centro Comunitário das Crianças Nossa Senhora de Guadalupe do Jardim Laura, promotora da ação.

“Esse número de telefone é do São Bernardo desde que o clube foi fundado. Fica na nossa sala no 1º de Maio. A empresa que iria organizar o bingo me pediu autorização para usar, já que eles iriam montar um QG (Quartel General) no estádio e não vi problema”, explicou Edinho Montemor.

Segundo o dirigente, a WP Promoções procurou o clube para promover o bingo, mas foi orientada a falar diretamente com a Secretaria de Esportes da Prefeitura, que administra o estádio. “Passei os contatos e eles entraram em acordo. A empresa iria pagar os R$ 10.157,70, que é o preço público para o uso do espaço e verbalmente se acertaram. Neste momento, como estava em cima do evento, fizeram os cartazes e pediram autorização para usar o nosso número de telefone, já que teriam equipe no estádio. Depois, veio a negativa oficial da Prefeitura e eles cancelaram tudo”, explicou.

Edinho nega que o São Bernardo esteja envolvido na organização do evento. “Assim que houve a negativa da Prefeitura, parou tudo. Até indiquei o pessoal do Água Santa, em Diadema, eles tinham se acertado, mas como estava muito em cima resolveram cancelar o evento neste ano. Nós não promovemos bingo nenhum, não somos donos nem administradores do 1º de Maio e, por isso, não poderíamos emprestar algo que não é nosso. Isso é um absurdo. Não posso ceder algo que não é meu. Apenas indiquei com quem os organizadores deveriam falar na Prefeitura”, ressaltou Edinho.

Mesmo que tenha negado qualquer participação no evento, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo proibiu o São Bernardo FC de ceder o 1º de Maio para a realização do bingo, sob pena de R$ 100 mil. De acordo com documento emitido pela juíza Ida Inês Del Cid, da comarca de São Bernardo, o Tigre teve permissão de uso da praça esportiva revogada em julho e o clube só pode usá-la para fins esportivos mediante pagamento de preço público. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cartaz de bingo revela telefone do S.Bernardo

Número usado na divulgação do evento ilegal é de linha que fica no Estádio 1º de Maio

Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

07/12/2018 | 07:00


Telefone usado em cartaz de divulgação de bingo ilegal que seria realizado no dia 16, no Estádio 1º de Maio, liga o São Bernardo FC ao evento. O número é de propriedade do Tigre, inclusive consta na divulgação da página do clube no site da Federação Paulista de Futebol, mas o presidente Edinho Montemor nega envolvimento com a WP Promoções, organizadora da jogatina, e com o Centro Comunitário das Crianças Nossa Senhora de Guadalupe do Jardim Laura, promotora da ação.

“Esse número de telefone é do São Bernardo desde que o clube foi fundado. Fica na nossa sala no 1º de Maio. A empresa que iria organizar o bingo me pediu autorização para usar, já que eles iriam montar um QG (Quartel General) no estádio e não vi problema”, explicou Edinho Montemor.

Segundo o dirigente, a WP Promoções procurou o clube para promover o bingo, mas foi orientada a falar diretamente com a Secretaria de Esportes da Prefeitura, que administra o estádio. “Passei os contatos e eles entraram em acordo. A empresa iria pagar os R$ 10.157,70, que é o preço público para o uso do espaço e verbalmente se acertaram. Neste momento, como estava em cima do evento, fizeram os cartazes e pediram autorização para usar o nosso número de telefone, já que teriam equipe no estádio. Depois, veio a negativa oficial da Prefeitura e eles cancelaram tudo”, explicou.

Edinho nega que o São Bernardo esteja envolvido na organização do evento. “Assim que houve a negativa da Prefeitura, parou tudo. Até indiquei o pessoal do Água Santa, em Diadema, eles tinham se acertado, mas como estava muito em cima resolveram cancelar o evento neste ano. Nós não promovemos bingo nenhum, não somos donos nem administradores do 1º de Maio e, por isso, não poderíamos emprestar algo que não é nosso. Isso é um absurdo. Não posso ceder algo que não é meu. Apenas indiquei com quem os organizadores deveriam falar na Prefeitura”, ressaltou Edinho.

Mesmo que tenha negado qualquer participação no evento, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo proibiu o São Bernardo FC de ceder o 1º de Maio para a realização do bingo, sob pena de R$ 100 mil. De acordo com documento emitido pela juíza Ida Inês Del Cid, da comarca de São Bernardo, o Tigre teve permissão de uso da praça esportiva revogada em julho e o clube só pode usá-la para fins esportivos mediante pagamento de preço público. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;