Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

São Bernardo grava cancioneiro italiano

Os italianos pioneiros que povoaram o Grande ABC na virada entre os séculos 19 e 20 já partiram. Hoje, nós temos os descendentes daqueles italianos imigrantes.


Ademir Médici

12/08/2017 | 07:07


O italiano quando vinha ao Brasil trazia um baú com algumas roupas, algumas ferramentas, algumas sementes agrícolas. Alguns traziam um livro de orações. E na cabeça traziam a música que era cantada nas aldeias, nos pontos mais distantes da velha Itália.

Os italianos pioneiros que povoaram o Grande ABC na virada entre os séculos 19 e 20 já partiram. Hoje, nós temos os descendentes daqueles italianos imigrantes.

Em São Bernardo existe o Circulo Italiano de Toscana de Riacho Grande. E ano a ano é realizado o encontro dos corais em língua italiana. O Bicchieri d’Oro recebendo corais do Interior de São Paulo e da Capital.

Entrou no ar, nesta semana, pela DGABC TV, mais um programa de memória, desta feita focalizando o 10º Encontro dos Corais em Língua Italiana, que São Bernardo patrocinou em julho. Marco Antonio da Silva, o Quico, presidente do Circulo Italiano de Toscana de Riacho Grande, apresenta trechos das músicas apresentadas.

“Desde julho de 2008 o encontro de corais nunca falhou, em dez anos seguidos, sempre em julho”, conta Quico no programa.

Num belo DVD, editado por Fernando Villafranca, de Santo André, perpetua-se o encontro, que lotou o Teatro Cacilda Becker, em São Bernardo. Aos corais participantes foram entregues flâmulas, troféus e certificados. E cada um deles levou para São Paulo, Piracicaba, Jarinu e Cordeirópolis, suas sedes, recortes das reportagens que publicamos aqui em Memória.

Fala, Quico
O Coral Bicchieri d’Oro surgiu em 1983 para que se resgatasse a missa italiana na Festa de São Bartolomeu. Reunimos o grupo. Fizemos o nosso ensaio. Conversamos com o pessoal da organização da festa. E falamos: “Vamos voltar com essa tradição”.

A missa já estava sendo rezada em português, porque o padre Fiorente Elena já não estava mais aqui. Na época estava na Itália. E a tradição retornou.

Em dezembro de 1991 foi criado o Circulo Italiano de Toscana de Riacho Grande e a ele incorporado o Coral Bocchieri d’Oro no Circulo.

O Circulo é reconhecido pela Região Toscana como circulo toscano no mundo. Ele tem algumas atividades com a Região Toscana. Jovens são para lá enviados para fazer curso de italiano, pago pela região Toscana.

Diário há 20 anos
Quarta-feira, 12 de agosto de 1987 – ano 30, edição 6518
Manchete – Conselho Monetário Nacional estuda como reduzir expansão monetária no País
Fotografia – Aberta no Centro Cultural do bairro Assunção, em São Bernardo, a exposição Memória da Villa nas Fotos
de Beltran Asêncio, o Fotógrafo da Cidade.

Em 12 de agosto de...
1917 – Tiro de Guerra nº 34, de São Bernardo, realiza exercício preparatório à parada de 7 de setembro
em São Paulo. Comparecem 150 atiradores.
Admitidos mais oito sócios.
A guerra. Do noticiário do Estadão: a batalha na Flandres, região Norte da Bélgica. Viva luta da
artilharia. Prelúdio da nova ofensiva dos aliados.
1930 – Inauguradas as instalações da General Motors em São Caetano.

Hoje
Dia Internacional da Juventude
Dia Nacional das Artes
Dia Nacional de Luta Contra a Violência no Campo e por Reforma Agrária

Santos do dia
Fredy Kunz, o padre Alfredinho (Suíça, 1920 – Santo André, 12-8-2000). Citado como santo no calendário da Milícia da Imaculada. E, de fato, ele é um santo, pela bondade, humildade, amor aos mais pobres.

Em Santo André, optou por morar numa favela. Seu barraco era uma capela, dedicada a Nossa Senhora Aparecida, localizado no interior do Núcleo Lamartine, entre as Vilas Guaraciaba e Luzita.

No Nordeste, viveu com as prostitutas e os flagelados da seca. Em Santo André, com os favelados e os moradores de rua.

Pertencia ao Instituto dos Filhos da Caridade e está sepultado no Memorial Jardim Santo André. Deixou vários livros e muitas horas de gravações, no Brasil e no Exterior.

Hilária
Joana Francisca de Chantal

Municípios brasileiros
Celebram seus aniversários em 12 de agosto:
No Espírito Santo, Anchieta
Em São Paulo, Cananeia
Na Bahia, Cansanção, Central, Itambé e Valente
No Ceará, Madalena
No Paraná, Prudentópolis Fonte: IBGE 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

São Bernardo grava cancioneiro italiano

Os italianos pioneiros que povoaram o Grande ABC na virada entre os séculos 19 e 20 já partiram. Hoje, nós temos os descendentes daqueles italianos imigrantes.

Ademir Médici

12/08/2017 | 07:07


O italiano quando vinha ao Brasil trazia um baú com algumas roupas, algumas ferramentas, algumas sementes agrícolas. Alguns traziam um livro de orações. E na cabeça traziam a música que era cantada nas aldeias, nos pontos mais distantes da velha Itália.

Os italianos pioneiros que povoaram o Grande ABC na virada entre os séculos 19 e 20 já partiram. Hoje, nós temos os descendentes daqueles italianos imigrantes.

Em São Bernardo existe o Circulo Italiano de Toscana de Riacho Grande. E ano a ano é realizado o encontro dos corais em língua italiana. O Bicchieri d’Oro recebendo corais do Interior de São Paulo e da Capital.

Entrou no ar, nesta semana, pela DGABC TV, mais um programa de memória, desta feita focalizando o 10º Encontro dos Corais em Língua Italiana, que São Bernardo patrocinou em julho. Marco Antonio da Silva, o Quico, presidente do Circulo Italiano de Toscana de Riacho Grande, apresenta trechos das músicas apresentadas.

“Desde julho de 2008 o encontro de corais nunca falhou, em dez anos seguidos, sempre em julho”, conta Quico no programa.

Num belo DVD, editado por Fernando Villafranca, de Santo André, perpetua-se o encontro, que lotou o Teatro Cacilda Becker, em São Bernardo. Aos corais participantes foram entregues flâmulas, troféus e certificados. E cada um deles levou para São Paulo, Piracicaba, Jarinu e Cordeirópolis, suas sedes, recortes das reportagens que publicamos aqui em Memória.

Fala, Quico
O Coral Bicchieri d’Oro surgiu em 1983 para que se resgatasse a missa italiana na Festa de São Bartolomeu. Reunimos o grupo. Fizemos o nosso ensaio. Conversamos com o pessoal da organização da festa. E falamos: “Vamos voltar com essa tradição”.

A missa já estava sendo rezada em português, porque o padre Fiorente Elena já não estava mais aqui. Na época estava na Itália. E a tradição retornou.

Em dezembro de 1991 foi criado o Circulo Italiano de Toscana de Riacho Grande e a ele incorporado o Coral Bocchieri d’Oro no Circulo.

O Circulo é reconhecido pela Região Toscana como circulo toscano no mundo. Ele tem algumas atividades com a Região Toscana. Jovens são para lá enviados para fazer curso de italiano, pago pela região Toscana.

Diário há 20 anos
Quarta-feira, 12 de agosto de 1987 – ano 30, edição 6518
Manchete – Conselho Monetário Nacional estuda como reduzir expansão monetária no País
Fotografia – Aberta no Centro Cultural do bairro Assunção, em São Bernardo, a exposição Memória da Villa nas Fotos
de Beltran Asêncio, o Fotógrafo da Cidade.

Em 12 de agosto de...
1917 – Tiro de Guerra nº 34, de São Bernardo, realiza exercício preparatório à parada de 7 de setembro
em São Paulo. Comparecem 150 atiradores.
Admitidos mais oito sócios.
A guerra. Do noticiário do Estadão: a batalha na Flandres, região Norte da Bélgica. Viva luta da
artilharia. Prelúdio da nova ofensiva dos aliados.
1930 – Inauguradas as instalações da General Motors em São Caetano.

Hoje
Dia Internacional da Juventude
Dia Nacional das Artes
Dia Nacional de Luta Contra a Violência no Campo e por Reforma Agrária

Santos do dia
Fredy Kunz, o padre Alfredinho (Suíça, 1920 – Santo André, 12-8-2000). Citado como santo no calendário da Milícia da Imaculada. E, de fato, ele é um santo, pela bondade, humildade, amor aos mais pobres.

Em Santo André, optou por morar numa favela. Seu barraco era uma capela, dedicada a Nossa Senhora Aparecida, localizado no interior do Núcleo Lamartine, entre as Vilas Guaraciaba e Luzita.

No Nordeste, viveu com as prostitutas e os flagelados da seca. Em Santo André, com os favelados e os moradores de rua.

Pertencia ao Instituto dos Filhos da Caridade e está sepultado no Memorial Jardim Santo André. Deixou vários livros e muitas horas de gravações, no Brasil e no Exterior.

Hilária
Joana Francisca de Chantal

Municípios brasileiros
Celebram seus aniversários em 12 de agosto:
No Espírito Santo, Anchieta
Em São Paulo, Cananeia
Na Bahia, Cansanção, Central, Itambé e Valente
No Ceará, Madalena
No Paraná, Prudentópolis Fonte: IBGE 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;