Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Rapaz de 21 anos é morto ao voltar de festa em Diadema


Fabio Berlinga
Do Diário do Grande ABC

17/09/2006 | 20:39


Um segurança de 21 anos foi morto com cinco tiros na madrugada de ontem, depois de voltar de uma festa próxima a casa onde morava, na Vila Lídia, em Diadema.

Hélio Alves Damaceno saiu de casa por volta das 20h do sábado para ir ao aniversário de uma amiga. Segundo a família, disse que voltaria logo, pois entraria cedo no trabalho no dia seguinte.

De acordo com a polícia, perto da 1h de ontem ele voltava a pé por uma viela paralela à avenida Ulysses Guimarães, local da festa, quando foi baleado pelas costas. O autor dos disparos fugiu num Gol branco.

Damaceno foi socorrido por pessoas que passavam pela viela logo após os tiros e levado ao HMD (Hospital Municipal de Diadema), mas não resistiu e morreu.

Nem a polícia nem a família sabem o que o motivo do crime, mas não descartam a possibilidade de execução, já que nada foi roubado do segurança. Damaceno morava em Itapecerica da Serra, mas estava morando na casa de parentes em Diadema para ficar mais próximo do trabalho, um laboratório de análises clínicas, no Centro da cidade.

"Todos nós estamos muito chocados. Ele era um menino bom, trabalhador, brincalhão. Não tinha atrito com ninguém. Ele iria entrar às 6h do domingo para trabalhar, por isso disse que não iria demorar na festa. Estávamos em casa quando ouvimos os tiros. Depois vieram avisar que era ele", lamenta uma das primas.

Damaceno trabalhava para o pai, dono de uma empresa de segurança em Diadema. Estava na cidade havia dois meses para cobrir férias de funcionários que faziam a segurança do laboratório. "Temos que pedir forças para Deus para agüentar a dor. Queremos saber o que aconteceu. Ele nunca reclamou de ameaças, nunca contou que brigou com alguém. Não sabemos se foi alguma desavença antiga da qual não soubéssemos", disse o pai.

O corpo do segurança passou pela perícia no IML de São Bernardo. Foi velado ontem e será enterrado hoje, às 9h, no Cemitério Municipal de Diadema.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rapaz de 21 anos é morto ao voltar de festa em Diadema

Fabio Berlinga
Do Diário do Grande ABC

17/09/2006 | 20:39


Um segurança de 21 anos foi morto com cinco tiros na madrugada de ontem, depois de voltar de uma festa próxima a casa onde morava, na Vila Lídia, em Diadema.

Hélio Alves Damaceno saiu de casa por volta das 20h do sábado para ir ao aniversário de uma amiga. Segundo a família, disse que voltaria logo, pois entraria cedo no trabalho no dia seguinte.

De acordo com a polícia, perto da 1h de ontem ele voltava a pé por uma viela paralela à avenida Ulysses Guimarães, local da festa, quando foi baleado pelas costas. O autor dos disparos fugiu num Gol branco.

Damaceno foi socorrido por pessoas que passavam pela viela logo após os tiros e levado ao HMD (Hospital Municipal de Diadema), mas não resistiu e morreu.

Nem a polícia nem a família sabem o que o motivo do crime, mas não descartam a possibilidade de execução, já que nada foi roubado do segurança. Damaceno morava em Itapecerica da Serra, mas estava morando na casa de parentes em Diadema para ficar mais próximo do trabalho, um laboratório de análises clínicas, no Centro da cidade.

"Todos nós estamos muito chocados. Ele era um menino bom, trabalhador, brincalhão. Não tinha atrito com ninguém. Ele iria entrar às 6h do domingo para trabalhar, por isso disse que não iria demorar na festa. Estávamos em casa quando ouvimos os tiros. Depois vieram avisar que era ele", lamenta uma das primas.

Damaceno trabalhava para o pai, dono de uma empresa de segurança em Diadema. Estava na cidade havia dois meses para cobrir férias de funcionários que faziam a segurança do laboratório. "Temos que pedir forças para Deus para agüentar a dor. Queremos saber o que aconteceu. Ele nunca reclamou de ameaças, nunca contou que brigou com alguém. Não sabemos se foi alguma desavença antiga da qual não soubéssemos", disse o pai.

O corpo do segurança passou pela perícia no IML de São Bernardo. Foi velado ontem e será enterrado hoje, às 9h, no Cemitério Municipal de Diadema.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;