Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Argentina explica troca da dívida


Do Diário OnLine

07/11/2001 | 00:00


O governo argentino explicou na noite desta terça-feira, por meio de um comunicado do Ministério da Economia, as condições da troca de títulos da dívida pública do país — principal ponto do novo pacote anunciado na quinta-feira passada. A proposta é trocar os títulos da dívida por outros — os Créditos com Garantia de Arrecadação — que terão uma taxa máxima anual de 7%. Os títulos que o mercado possui hoje têm juros anuais que variam de 11% e 16%.

Na prática, o governo promove um deságio de 30% nos juros pagos pelos títulos, isto é, as taxas dos Créditos equivalerão a 70% do bônus original, desde que isso não signifique juros anuais superiores a 7%.

Os Créditos com Garantia de Arrecadação são como um empréstimo dado ao governo que terá como garantia a cobrança de impostos. Os Créditos manterão o mesmo vencimento dos papéis antigos, mas o pagamento dos empréstimos com vencimento até 2010 será adiado três anos.

Os governadores das províncias receberam na noite desta terça um documento com as propostas do ministro da Economia argentina, Domingo Cavallo, para renegociar a dívida, mas ainda não omitiram nenhum parecer a respeito.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Argentina explica troca da dívida

Do Diário OnLine

07/11/2001 | 00:00


O governo argentino explicou na noite desta terça-feira, por meio de um comunicado do Ministério da Economia, as condições da troca de títulos da dívida pública do país — principal ponto do novo pacote anunciado na quinta-feira passada. A proposta é trocar os títulos da dívida por outros — os Créditos com Garantia de Arrecadação — que terão uma taxa máxima anual de 7%. Os títulos que o mercado possui hoje têm juros anuais que variam de 11% e 16%.

Na prática, o governo promove um deságio de 30% nos juros pagos pelos títulos, isto é, as taxas dos Créditos equivalerão a 70% do bônus original, desde que isso não signifique juros anuais superiores a 7%.

Os Créditos com Garantia de Arrecadação são como um empréstimo dado ao governo que terá como garantia a cobrança de impostos. Os Créditos manterão o mesmo vencimento dos papéis antigos, mas o pagamento dos empréstimos com vencimento até 2010 será adiado três anos.

Os governadores das províncias receberam na noite desta terça um documento com as propostas do ministro da Economia argentina, Domingo Cavallo, para renegociar a dívida, mas ainda não omitiram nenhum parecer a respeito.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;