Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Sugestões para o Dia das Crianças


Melina Dias
Do Diário do Grande ABC

04/10/2009 | 07:16


Dia das Crianças está aí. Lá vão duas sugestões de livros que brincam com formas, cores, palavras e emoções. A primeira, mais sofisticada, é essa versão pop-up de O Pequeno Príncipe (Editora Agir, 68 págs, R$ 99). O livro traz o texto integral de Antoine Saint-Exupéry e permite ao leitor brincar com as clássicas aquarelas do autor já que elas saltam das páginas ou podem ser manipuladas pelas linguetas da técnica de recorte.

Indiscutivelmente belo, mas para aqueles que quando ouvem falar do livro lembram de concurso de miss (houve época em que era best-seller entre as candidatas) - ou da grudenta frase ‘Tu és responsável por tudo aquilo que cativas' - alguns argumentos em defesa da obra lançada em 1943 e traduzida para 160 idiomas: o aviador Saint-Exupéry a escreveu no exílio da Segunda Guerra e, em sua narrativa poética, coloca um pouco da essência do ser humano nos personagens que seu principezinho encontra em sua jornada: o rei, o vaidoso, a serpente, a raposa, o vendedor, o empresário...

Essa reedição tem história. Qual é a Cor? (Editora Mercuryo, 30 págs., R$ 20, em média) é o primeiro livro escrito pelo também designer e ilustrador carioca Guto Lins, editado pela primeira vez em 1992. Foi o pulo do gato de Lins que, desde então, passou a controlar todo o processo criativo. Dezenas de livros para crianças e jovens depois, este acaba de voltar às prateleiras e é bom exemplo da essência do artista. 

Ele repete esse esquema ao ilustrar bem-humoradas perguntas como "qual a cor de um corinthiano roxo?" ou "qual é a cor da noite em que todos os gatos são pardos?". Essa obra é bacana para aquele momento na primeira infância em que as crianças começam a perceber a complexidade das expressões, o duplo sentido, como a combinação de palavras pode criar uma imagem inesperada, enfim, que na vida nem tudo é ao pé da letra. Se o pequeno está na fase em que se estressa por não entender piadas, essa ferramenta pode ajudar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sugestões para o Dia das Crianças

Melina Dias
Do Diário do Grande ABC

04/10/2009 | 07:16


Dia das Crianças está aí. Lá vão duas sugestões de livros que brincam com formas, cores, palavras e emoções. A primeira, mais sofisticada, é essa versão pop-up de O Pequeno Príncipe (Editora Agir, 68 págs, R$ 99). O livro traz o texto integral de Antoine Saint-Exupéry e permite ao leitor brincar com as clássicas aquarelas do autor já que elas saltam das páginas ou podem ser manipuladas pelas linguetas da técnica de recorte.

Indiscutivelmente belo, mas para aqueles que quando ouvem falar do livro lembram de concurso de miss (houve época em que era best-seller entre as candidatas) - ou da grudenta frase ‘Tu és responsável por tudo aquilo que cativas' - alguns argumentos em defesa da obra lançada em 1943 e traduzida para 160 idiomas: o aviador Saint-Exupéry a escreveu no exílio da Segunda Guerra e, em sua narrativa poética, coloca um pouco da essência do ser humano nos personagens que seu principezinho encontra em sua jornada: o rei, o vaidoso, a serpente, a raposa, o vendedor, o empresário...

Essa reedição tem história. Qual é a Cor? (Editora Mercuryo, 30 págs., R$ 20, em média) é o primeiro livro escrito pelo também designer e ilustrador carioca Guto Lins, editado pela primeira vez em 1992. Foi o pulo do gato de Lins que, desde então, passou a controlar todo o processo criativo. Dezenas de livros para crianças e jovens depois, este acaba de voltar às prateleiras e é bom exemplo da essência do artista. 

Ele repete esse esquema ao ilustrar bem-humoradas perguntas como "qual a cor de um corinthiano roxo?" ou "qual é a cor da noite em que todos os gatos são pardos?". Essa obra é bacana para aquele momento na primeira infância em que as crianças começam a perceber a complexidade das expressões, o duplo sentido, como a combinação de palavras pode criar uma imagem inesperada, enfim, que na vida nem tudo é ao pé da letra. Se o pequeno está na fase em que se estressa por não entender piadas, essa ferramenta pode ajudar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;