Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Reunião sobre fechamento de Sesi Itapark é agendada

Ricardo Trida/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pais dos alunos pedem cancelamento da decisão, anunciada no dia 26 de setembro devido a dificuldades com transporte


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

04/10/2016 | 07:00


 Representantes do Sesi-SP (Serviço Social da Indústria de São Paulo) se reuniram com pais de alunos da unidade localizada no Jardim Itapark, em Mauá, na tarde de ontem, para tratar sobre o fechamento da unidade e a transferência dos alunos. Mediante reivindicação dos responsáveis pelos estudantes, nova reunião foi marcada para o dia 14.

De acordo com o superintendente do Sesi-SP, Valter Vicioni, a decisão de fechar a unidade de ensino é baseada em questões técnicas.“Na maioria dos casos, precisamos reformular as escolas do ponto de vista arquitetônico para maior qualidade do currículo. Em Mauá, não foi possível fazer isso, e para eles contarem com uma estrutura melhor a curto prazo implicaria ir para outro espaço”, disse.

A decisão apresentada pela instituição é a de transferência dos 400 estudantes para outras unidades da cidade. O espaço no Jardim Adelina receberia os alunos do Ensino Fundamental e do 2º e 3º anos do Ensino Médio. Para fazer o trajeto, são necessárias três integrações de ônibus, principal reclamação dos pais.

“Tenho perfeita compreensão dos problemas e preciso considerar seriamente como vamos resolver isso. Mas garanto que vai ser de forma muito compreensiva”, afirmou Vicioni.

Conforme o soldador de manutenção e integrante de comissão Anderson Albuquerque Brito, 35 anos, a mudança seria impossível. “Explicamos que os alunos têm passagens gratuitas. Mas e os pais? Minha esposa tem de levar três crianças. Temos quatro filhos que estudam em horários diferentes.”

Os pais também preparam abaixo-assinado para que o Sesi reconsidere a decisão de fechamento. O documento já conta com 1.500 assinaturas. “A gente não quer transporte de graça. Como moramos próximos à unidade, é importante que os nossos filhos estudem aqui. Queremos impedir o fechamento”, disse Brito.

O anúncio de fechamento foi feito aos pais no dia 26 de setembro. O comunicado, que não informa os motivos do encerramento das atividades em dezembro, pegou todos de surpresa.

A diretora da regional do Sesi em Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, Scarlett Angelotti, disse aos familiares dos estudantes na ocasião que a decisão precisou ser tomada em razão das dificuldades financeiras em manter o funcionamento, porém o Sesi justifica que a decisão é para a melhora do currículo escolar.

“A intenção é aprofundar e estudas as questões neste tempo e chegar a uma solução. Eu entendi que há um problema de transporte, mas não tenho solução para isso vamos ter que analisar tudo”, disse Vicioni.

Questionada sobre a reunião, a Prefeitura de Mauá se limitou a comentar que aguarda posicionamento do Sesi sobre o anunciado fechamento da unidade do Jardim Itapark.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Reunião sobre fechamento de Sesi Itapark é agendada

Pais dos alunos pedem cancelamento da decisão, anunciada no dia 26 de setembro devido a dificuldades com transporte

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

04/10/2016 | 07:00


 Representantes do Sesi-SP (Serviço Social da Indústria de São Paulo) se reuniram com pais de alunos da unidade localizada no Jardim Itapark, em Mauá, na tarde de ontem, para tratar sobre o fechamento da unidade e a transferência dos alunos. Mediante reivindicação dos responsáveis pelos estudantes, nova reunião foi marcada para o dia 14.

De acordo com o superintendente do Sesi-SP, Valter Vicioni, a decisão de fechar a unidade de ensino é baseada em questões técnicas.“Na maioria dos casos, precisamos reformular as escolas do ponto de vista arquitetônico para maior qualidade do currículo. Em Mauá, não foi possível fazer isso, e para eles contarem com uma estrutura melhor a curto prazo implicaria ir para outro espaço”, disse.

A decisão apresentada pela instituição é a de transferência dos 400 estudantes para outras unidades da cidade. O espaço no Jardim Adelina receberia os alunos do Ensino Fundamental e do 2º e 3º anos do Ensino Médio. Para fazer o trajeto, são necessárias três integrações de ônibus, principal reclamação dos pais.

“Tenho perfeita compreensão dos problemas e preciso considerar seriamente como vamos resolver isso. Mas garanto que vai ser de forma muito compreensiva”, afirmou Vicioni.

Conforme o soldador de manutenção e integrante de comissão Anderson Albuquerque Brito, 35 anos, a mudança seria impossível. “Explicamos que os alunos têm passagens gratuitas. Mas e os pais? Minha esposa tem de levar três crianças. Temos quatro filhos que estudam em horários diferentes.”

Os pais também preparam abaixo-assinado para que o Sesi reconsidere a decisão de fechamento. O documento já conta com 1.500 assinaturas. “A gente não quer transporte de graça. Como moramos próximos à unidade, é importante que os nossos filhos estudem aqui. Queremos impedir o fechamento”, disse Brito.

O anúncio de fechamento foi feito aos pais no dia 26 de setembro. O comunicado, que não informa os motivos do encerramento das atividades em dezembro, pegou todos de surpresa.

A diretora da regional do Sesi em Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, Scarlett Angelotti, disse aos familiares dos estudantes na ocasião que a decisão precisou ser tomada em razão das dificuldades financeiras em manter o funcionamento, porém o Sesi justifica que a decisão é para a melhora do currículo escolar.

“A intenção é aprofundar e estudas as questões neste tempo e chegar a uma solução. Eu entendi que há um problema de transporte, mas não tenho solução para isso vamos ter que analisar tudo”, disse Vicioni.

Questionada sobre a reunião, a Prefeitura de Mauá se limitou a comentar que aguarda posicionamento do Sesi sobre o anunciado fechamento da unidade do Jardim Itapark.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;