Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Vaguinho leva disputa para o 2º turno contra Lauro

Montagem/Marina Brandão/Divulgação   Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em Diadema,candidatos do PV e PRB avisam que vão duelar pelo apoio de Taka, do PSD


Vinícius Castelli
Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

03/10/2016 | 07:00


O resultado das urnas em Diadema foi surpreendente. O vereador Vaguinho do Conselho (PRB) levou 21,85% dos votos válidos (42.596 do total), contra os 48,10% (93.772) do atual prefeito Lauro Michels (PV), provocando o segundo turno. Esta é a primeira disputa no município em que o PT, que elegeu seu primeiro prefeito na cidade, não alcançou sequer a etapa final.

A legenda ficou com o terceiro lugar, já que o candidato Manoel Eduardo Marinho, o Maninho, teve 16,37% dos votos válidos (confira votação completa ao lado).

Animado para o segundo turno, Lauro disse que “a única batalha que se perde é a que você desiste”. Para ele, a nova etapa não significa derrota, mas sim vitória, já que teve mais do que o dobro de votos de Vaguinho. “Não tenho problema nenhum em fazer mais 30 dias de campanha.”

Para Vaguinho e sua equipe, o resultado não foi surpresa. “Trabalhamos para isso e acreditamos que estaríamos disputando o segundo turno. Os moradores da cidade demonstram por meio dos votos que não estão satisfeitos com o atual governo. É hora de mudança.”

Lauro não perdeu a força e declarou para os militantes e companheiros de partido que o “trabalho segue firme e forte”, tudo sem perder o clima de festa. Segundo ele, eleição de segundo turno é começar do zero, tudo novo. “A população deu recado, não foi uma eleição em que fui para o segundo turno apertado. Fui com uma folga, quase que com uma vitória no primeiro turno”. Agora, ele e sua equipe devem fazer uma avaliação para decidirem o que muda na tática para a nova etapa da eleição e com quem conversar para reforçar a campanha. <EM>

Segundo Vaguinho, as possíveis alianças políticas serão verificadas nesta semana, apesar de enfatizar que isso não é sinônimo de abrir mão do plano de governo de seu partido. “Não vamos lotear a Prefeitura”. Ele ressaltou que, a partir de agora, todo apoio é bem-vindo, e que o segundo turno é uma nova eleição, é como “começar do zero”.

Após o resultado de ontem,moradores e apoiadores de Vaguinho se reuniram em comitê. O clima, entre as cerca de 1.000 pessoas, era de festividade.

INESPERADO
Tanto para a equipe de Vaguinho quanto para a de Lauro, algo que chamou atenção foi em relação ao desempenho do candidato Taka Yamauchi (PSD), que teve 23.518 votos, o que corresponde a 12,06% do total. Ambos avisaram que devem brigar por esse apoio.

Para Lauro Michels, os votos brancos e nulos foram recado aos políticos. “É o que nós vamos tentar conquistar. É o pessoal que não queria nenhum desses que estão aí, nem eu, nem o Vaguinho nem o Maninho”, disse. “O que surpreendeu a gente foi o Taka. Ele saiu de 800 votos (para vereador, em 2012) para 23 mil. Vamos conversar com ele”. Na cidade os votos em branco somaram 9,13% e os nulos, 17,26%.

Por nota, o PT agradeceu os votos recebidos e criticou os ataques da mídia. Maninho evitou falar em apoio nesta etapa.

CENÁRIO
Verde prega humildade e rivais descartam 1º turno
Chefe do Executivo fala em pés no chão, enquanto adversários projetam reta final

Prefeito de Diadema e postulante à reeleição, Lauro Michels (PV) pregou humildade ao ser questionado sobre possibilidade de vencer no primeiro turno. O verde registrou o voto na EE Filinto Muller, no Centro, ao lado da mulher, Caroline, da mãe, Vilma, e da irmã, Bruna.

“O pé tem que estar no chão, né. É lógico que estou confiante, a campanha foi muito boa, produtiva, as propostas foram colocadas e, se Deus quiser, e Ele há de querer, vai vencer quem colocou as melhores propostas”, disse. Sem pressa, ele foi cumprimentando os eleitores desde a rua, que estava forrada de papéis, até o interior da escola. Antes de ir votar, o prefeito acompanhou a mãe à seção de votação e em seguida foi registrar seus votos. Na sala de votação ele foi rápido e fez pausa para fotos. Em seguida e animado, saiu para aguardar o resultado das urnas.

Rivais de Lauro, vereadores Vaguinho do Conselho (PRB) e Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), votaram pela manhã. Os prefeituráveis se disseram confiantes, e acreditam que seguem na disputa em provável segundo turno.

Vaguinho votou por volta das 10h15, na EE Doutor Osvaldo Giacóia, e estava acompanhado da família. Caso dispute segundo turno, a campanha deverá seguir os mesmos moldes. Ele não descartou apoio dos demais candidatos. “A primeira coisa a fazer ao me eleger é diagnosticar a Prefeitura, em todos os aspectos, já que está há três anos meio parada, sem avanços. Farei auditoria dos cofres públicos, vou rever todos os contratos, ver todos os prédios que estão alocados no nome do município. Além disso, vamos enxugar algumas secretarias, até fundir algumas, mas ainda não sabemos quais. É preciso, primeiro, fazer um levantamento disso tudo.”

Maninho chegou à EE Padre Anchieta por volta das 11h15, na companhia dos ex-prefeitos Mário Reali e José de Filippi Júnior, ambos do PT. “Espero seguir no segundo turno para poder dialogar com a população com mais força, além de buscar novas alianças. O que a gente sente é que a cidade precisa de uma reviravolta, a começar com as creches, que devem voltar a oferecer o turno de 12 horas por dia. Não podemos retroceder, mas, sim, avançar.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vaguinho leva disputa para o 2º turno contra Lauro

Em Diadema,candidatos do PV e PRB avisam que vão duelar pelo apoio de Taka, do PSD

Vinícius Castelli
Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

03/10/2016 | 07:00


O resultado das urnas em Diadema foi surpreendente. O vereador Vaguinho do Conselho (PRB) levou 21,85% dos votos válidos (42.596 do total), contra os 48,10% (93.772) do atual prefeito Lauro Michels (PV), provocando o segundo turno. Esta é a primeira disputa no município em que o PT, que elegeu seu primeiro prefeito na cidade, não alcançou sequer a etapa final.

A legenda ficou com o terceiro lugar, já que o candidato Manoel Eduardo Marinho, o Maninho, teve 16,37% dos votos válidos (confira votação completa ao lado).

Animado para o segundo turno, Lauro disse que “a única batalha que se perde é a que você desiste”. Para ele, a nova etapa não significa derrota, mas sim vitória, já que teve mais do que o dobro de votos de Vaguinho. “Não tenho problema nenhum em fazer mais 30 dias de campanha.”

Para Vaguinho e sua equipe, o resultado não foi surpresa. “Trabalhamos para isso e acreditamos que estaríamos disputando o segundo turno. Os moradores da cidade demonstram por meio dos votos que não estão satisfeitos com o atual governo. É hora de mudança.”

Lauro não perdeu a força e declarou para os militantes e companheiros de partido que o “trabalho segue firme e forte”, tudo sem perder o clima de festa. Segundo ele, eleição de segundo turno é começar do zero, tudo novo. “A população deu recado, não foi uma eleição em que fui para o segundo turno apertado. Fui com uma folga, quase que com uma vitória no primeiro turno”. Agora, ele e sua equipe devem fazer uma avaliação para decidirem o que muda na tática para a nova etapa da eleição e com quem conversar para reforçar a campanha. <EM>

Segundo Vaguinho, as possíveis alianças políticas serão verificadas nesta semana, apesar de enfatizar que isso não é sinônimo de abrir mão do plano de governo de seu partido. “Não vamos lotear a Prefeitura”. Ele ressaltou que, a partir de agora, todo apoio é bem-vindo, e que o segundo turno é uma nova eleição, é como “começar do zero”.

Após o resultado de ontem,moradores e apoiadores de Vaguinho se reuniram em comitê. O clima, entre as cerca de 1.000 pessoas, era de festividade.

INESPERADO
Tanto para a equipe de Vaguinho quanto para a de Lauro, algo que chamou atenção foi em relação ao desempenho do candidato Taka Yamauchi (PSD), que teve 23.518 votos, o que corresponde a 12,06% do total. Ambos avisaram que devem brigar por esse apoio.

Para Lauro Michels, os votos brancos e nulos foram recado aos políticos. “É o que nós vamos tentar conquistar. É o pessoal que não queria nenhum desses que estão aí, nem eu, nem o Vaguinho nem o Maninho”, disse. “O que surpreendeu a gente foi o Taka. Ele saiu de 800 votos (para vereador, em 2012) para 23 mil. Vamos conversar com ele”. Na cidade os votos em branco somaram 9,13% e os nulos, 17,26%.

Por nota, o PT agradeceu os votos recebidos e criticou os ataques da mídia. Maninho evitou falar em apoio nesta etapa.

CENÁRIO
Verde prega humildade e rivais descartam 1º turno
Chefe do Executivo fala em pés no chão, enquanto adversários projetam reta final

Prefeito de Diadema e postulante à reeleição, Lauro Michels (PV) pregou humildade ao ser questionado sobre possibilidade de vencer no primeiro turno. O verde registrou o voto na EE Filinto Muller, no Centro, ao lado da mulher, Caroline, da mãe, Vilma, e da irmã, Bruna.

“O pé tem que estar no chão, né. É lógico que estou confiante, a campanha foi muito boa, produtiva, as propostas foram colocadas e, se Deus quiser, e Ele há de querer, vai vencer quem colocou as melhores propostas”, disse. Sem pressa, ele foi cumprimentando os eleitores desde a rua, que estava forrada de papéis, até o interior da escola. Antes de ir votar, o prefeito acompanhou a mãe à seção de votação e em seguida foi registrar seus votos. Na sala de votação ele foi rápido e fez pausa para fotos. Em seguida e animado, saiu para aguardar o resultado das urnas.

Rivais de Lauro, vereadores Vaguinho do Conselho (PRB) e Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), votaram pela manhã. Os prefeituráveis se disseram confiantes, e acreditam que seguem na disputa em provável segundo turno.

Vaguinho votou por volta das 10h15, na EE Doutor Osvaldo Giacóia, e estava acompanhado da família. Caso dispute segundo turno, a campanha deverá seguir os mesmos moldes. Ele não descartou apoio dos demais candidatos. “A primeira coisa a fazer ao me eleger é diagnosticar a Prefeitura, em todos os aspectos, já que está há três anos meio parada, sem avanços. Farei auditoria dos cofres públicos, vou rever todos os contratos, ver todos os prédios que estão alocados no nome do município. Além disso, vamos enxugar algumas secretarias, até fundir algumas, mas ainda não sabemos quais. É preciso, primeiro, fazer um levantamento disso tudo.”

Maninho chegou à EE Padre Anchieta por volta das 11h15, na companhia dos ex-prefeitos Mário Reali e José de Filippi Júnior, ambos do PT. “Espero seguir no segundo turno para poder dialogar com a população com mais força, além de buscar novas alianças. O que a gente sente é que a cidade precisa de uma reviravolta, a começar com as creches, que devem voltar a oferecer o turno de 12 horas por dia. Não podemos retroceder, mas, sim, avançar.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;