Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

CHM desativa ginecologia no dia 3


Kelly Zucatelli
Do Diário do Grande ABC

24/10/2008 | 07:08


Todos os atendimentos de obstetrícia e ginecologia do CHM (Centro Hospitalar Municipal), de Santo André, serão transferidos para o recém-inaugurado Hospital da Mulher a partir do dia 3 de novembro. O objetivo é oferecer melhores condições para as gestantes e, desocupar o CHM que, possivelmente, terá o número de leitos ampliados com melhores condições para os atendimentos de emergência.

De acordo com o superintendente do Hospital da Mulher, Jairo Georgetti, a previsão é que sejam realizados cerca de 250 partos por mês. Trinta leitos, sendo 12 UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 18 unidades intermediárias, além de dois leitos de isolamento, estarão disponíveis para o atendimento.

"Nossa expectativa é receber toda a demanda de partos do SUS (Sistema Único de Saúde) de Santo André. Queremos evitar que a paciente tenha de sair de Santo André", disse Georgetti. Atualmente, segundo o superintendente, cerca de 5% das gestantes procuram hospitais de outras cidades para a realização do parto.

EQUIPE
Para atender à nova demanda durante as 24 horas de funcionamento do Hospital da Mulher, a equipe contará com 25 médicos neonatologistas, 25 obstetras e 15 anestesistas. Em cada plantão, dois enfermeiros obstetras serão escalados para o centro de parto, a fim de oferecer melhores condições para a realização do procedimento, como, por exemplo, orientações sobre a importância do aleitamento materno nos primeiros meses de vida da criança.

Durante todo o tempo de internação da mãe e do recém-nascido no hospital, um acompanhante poderá ficar ao lado dos pacientes, em quartos.

VISITA
Antes da internação para o parto, as gestantes poderão fazer uma visita monitorada no hospital (como acontece em centros particulares), de segunda à sexta-feira, às 10h ou às 14h. O hospital, que foi inaugurado em agosto deste ano, já realiza cirurgias ginecológicas como retirada de mioma, continência urinária e nódulos de mama, entre outras.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

CHM desativa ginecologia no dia 3

Kelly Zucatelli
Do Diário do Grande ABC

24/10/2008 | 07:08


Todos os atendimentos de obstetrícia e ginecologia do CHM (Centro Hospitalar Municipal), de Santo André, serão transferidos para o recém-inaugurado Hospital da Mulher a partir do dia 3 de novembro. O objetivo é oferecer melhores condições para as gestantes e, desocupar o CHM que, possivelmente, terá o número de leitos ampliados com melhores condições para os atendimentos de emergência.

De acordo com o superintendente do Hospital da Mulher, Jairo Georgetti, a previsão é que sejam realizados cerca de 250 partos por mês. Trinta leitos, sendo 12 UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 18 unidades intermediárias, além de dois leitos de isolamento, estarão disponíveis para o atendimento.

"Nossa expectativa é receber toda a demanda de partos do SUS (Sistema Único de Saúde) de Santo André. Queremos evitar que a paciente tenha de sair de Santo André", disse Georgetti. Atualmente, segundo o superintendente, cerca de 5% das gestantes procuram hospitais de outras cidades para a realização do parto.

EQUIPE
Para atender à nova demanda durante as 24 horas de funcionamento do Hospital da Mulher, a equipe contará com 25 médicos neonatologistas, 25 obstetras e 15 anestesistas. Em cada plantão, dois enfermeiros obstetras serão escalados para o centro de parto, a fim de oferecer melhores condições para a realização do procedimento, como, por exemplo, orientações sobre a importância do aleitamento materno nos primeiros meses de vida da criança.

Durante todo o tempo de internação da mãe e do recém-nascido no hospital, um acompanhante poderá ficar ao lado dos pacientes, em quartos.

VISITA
Antes da internação para o parto, as gestantes poderão fazer uma visita monitorada no hospital (como acontece em centros particulares), de segunda à sexta-feira, às 10h ou às 14h. O hospital, que foi inaugurado em agosto deste ano, já realiza cirurgias ginecológicas como retirada de mioma, continência urinária e nódulos de mama, entre outras.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;