Fechar
Publicidade

Sábado, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Atrito entre Bonome e Aidan
fica cada vez mais evidente

Nos corredores do Paço corre informação de que retirada
de poder de Bonome foi o estopim para a rusga vir à tona


Fábio Martins
do Diário do Grande ABC

25/11/2011 | 07:01


Já não é novidade para ninguém o relacionamento conturbado entre o prefeito de Santo André, Aidan Ravin (PTB), e o secretário de Governo, Nilson Bonome (PMDB). Os dois se conheceram durante a campanha de 2008, durante a gestão a convivência profissional se intensificou, mas neste momento não falam a mesma língua.

Nos corredores do Paço corre informação de que a retirada de poder de Bonome, que acumulava o comando da Pasta de Saúde, foi o estopim para a rusga vir à tona. A influência do peemedebista vinha crescendo na administração até que o chefe do Executivo lhe retirou algumas atribuições.

O comentário de que Bonome fazia sombra à autoridade de Aidan era recorrente. Hoje não é mais, pois o prefeito retomou as rédeas da gestão. E incomodou o secretário. Comenta-se que o peemedebista não tem a reclamar, pois o quadro atual, com o titular da Pasta fazendo a articulação com vereadores, partidos e lideranças políticas, foi o combinado após a vitória na eleição há três anos.

O agravante é que, neste momento pré-eleitoral, há movimentações que nem sempre são favoráveis a um lado ou outro. Por exemplo, Bonome tenta se viabilizar para ser vice na chapa governista de reeleição de 2012. A redução de espaço e a indefinição sobre a dobrada deixam o panorama mais tenso.

O incômodo de Bonome com a situação na administração fica mais claro quando analisada sua atuação nos últimos meses. Pouco tem aparecido na Câmara e seu entusiasmo em resolver imbróglios políticos já não é o mesmo.

Os vereadores também sentiram a ausência da articulação. Ninguém fala abertamente, mas alguns parlamentares estão amuados. Procuram secretários diretamente, sem interlocutor, e, às vezes, o prefeito.

Apesar das evidências, Bonome nega a relação estremecida com Aidan. "Não há problema algum. Está tranquilo." O titular sustentou que a alteração na interlocução foi pequena. "Única coisa é que o prefeito também tem participado junto."

A gestão petebista também rechaça qualquer mal-estar entre o chefe do Executivo e o secretário. Por nota, informou que Bonome se mantém responsável pela articulação com a Câmara e secretariado.

Os vereadores desconversam quando incitados a oferecer análise pública sobre a situação. o governista Ailton Lima (PTB) disse que o secretário tem cumprido o papel de articulação, porém citou como "importante" o fato de o prefeito se inserir no contato com a Casa. "Era de se esperar essa postura. No começo, quando ganhou a Prefeitura, precisava de alguém para fazer esse serviço. Agora na véspera da eleição, com a cidade andando bem, a aproximação é benéfica. Esse convívio traz alinhamento e os vereadores têm gostado."

O líder do PT, Antonio Leite, por sua vez, considera que após o atrito os governistas estão "batendo cabeça na discussão de projetos". "Hoje não existe coordenação das ações da bancada de sustentação. O prefeito precisa legitimar alguém para fazer a articulação. E explicar se o Bonome continua sendo de confiança."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atrito entre Bonome e Aidan
fica cada vez mais evidente

Nos corredores do Paço corre informação de que retirada
de poder de Bonome foi o estopim para a rusga vir à tona

Fábio Martins
do Diário do Grande ABC

25/11/2011 | 07:01


Já não é novidade para ninguém o relacionamento conturbado entre o prefeito de Santo André, Aidan Ravin (PTB), e o secretário de Governo, Nilson Bonome (PMDB). Os dois se conheceram durante a campanha de 2008, durante a gestão a convivência profissional se intensificou, mas neste momento não falam a mesma língua.

Nos corredores do Paço corre informação de que a retirada de poder de Bonome, que acumulava o comando da Pasta de Saúde, foi o estopim para a rusga vir à tona. A influência do peemedebista vinha crescendo na administração até que o chefe do Executivo lhe retirou algumas atribuições.

O comentário de que Bonome fazia sombra à autoridade de Aidan era recorrente. Hoje não é mais, pois o prefeito retomou as rédeas da gestão. E incomodou o secretário. Comenta-se que o peemedebista não tem a reclamar, pois o quadro atual, com o titular da Pasta fazendo a articulação com vereadores, partidos e lideranças políticas, foi o combinado após a vitória na eleição há três anos.

O agravante é que, neste momento pré-eleitoral, há movimentações que nem sempre são favoráveis a um lado ou outro. Por exemplo, Bonome tenta se viabilizar para ser vice na chapa governista de reeleição de 2012. A redução de espaço e a indefinição sobre a dobrada deixam o panorama mais tenso.

O incômodo de Bonome com a situação na administração fica mais claro quando analisada sua atuação nos últimos meses. Pouco tem aparecido na Câmara e seu entusiasmo em resolver imbróglios políticos já não é o mesmo.

Os vereadores também sentiram a ausência da articulação. Ninguém fala abertamente, mas alguns parlamentares estão amuados. Procuram secretários diretamente, sem interlocutor, e, às vezes, o prefeito.

Apesar das evidências, Bonome nega a relação estremecida com Aidan. "Não há problema algum. Está tranquilo." O titular sustentou que a alteração na interlocução foi pequena. "Única coisa é que o prefeito também tem participado junto."

A gestão petebista também rechaça qualquer mal-estar entre o chefe do Executivo e o secretário. Por nota, informou que Bonome se mantém responsável pela articulação com a Câmara e secretariado.

Os vereadores desconversam quando incitados a oferecer análise pública sobre a situação. o governista Ailton Lima (PTB) disse que o secretário tem cumprido o papel de articulação, porém citou como "importante" o fato de o prefeito se inserir no contato com a Casa. "Era de se esperar essa postura. No começo, quando ganhou a Prefeitura, precisava de alguém para fazer esse serviço. Agora na véspera da eleição, com a cidade andando bem, a aproximação é benéfica. Esse convívio traz alinhamento e os vereadores têm gostado."

O líder do PT, Antonio Leite, por sua vez, considera que após o atrito os governistas estão "batendo cabeça na discussão de projetos". "Hoje não existe coordenação das ações da bancada de sustentação. O prefeito precisa legitimar alguém para fazer a articulação. E explicar se o Bonome continua sendo de confiança."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;