Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

PMDB deve se dividir em torno de Alckmin e Lula, diz Calheiros


Do Diário OnLine

03/10/2006 | 13:55


O PMDB está dividido e não irá declarar apoio a um candidato no segundo turno da eleição para presidente da República, que acontece dia 29 de outubro. Pelo menos é o que garantiu o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ao ser questionado se o partido com a maior bancada na Câmara dos Deputados e a segunda no próprio Senado apoiará ‘em bloco’ Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ou Geraldo Alckmin (PSDB).

“A tendência é que cada um dentro do PMDB mantenha sua posição: quem apóia  Alckmin ficará com ele, quem apóia Lula, votará nele. E cada qual vai trabalhar para atrair votos dos que não votaram nos dois no primeiro turno”, disse Calheiros, que faz parte da ala ‘prol-Lula’, juntamente com o senador recém eleito pelo Amapá, o ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP).

Desde o início das discussões do processo eleitoral, o PMDB ficou dividido em lançar ou não candidatura própria. Os aliados do governo federal (Calheiros e Sarney) queriam fechar aliança com o PT e trabalhar pela reeleição de Lula, que na época desfrutava de boa imagem diante o eleitorado.

No entanto, a ala dos que pediam uma maior ‘autonomia’ peemedebista buscou lançar candidato próprio. Germano Rigotto, governador do Rio Grande do Sul que perdeu as eleições para reeleição, e Anthony Garotinho, ex-governador do Rio de Janeiro, lançaram suas candidaturas. No entanto, o processo de escolha do candidato do PMDB foi barrada pelos ‘prol-Lula’.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PMDB deve se dividir em torno de Alckmin e Lula, diz Calheiros

Do Diário OnLine

03/10/2006 | 13:55


O PMDB está dividido e não irá declarar apoio a um candidato no segundo turno da eleição para presidente da República, que acontece dia 29 de outubro. Pelo menos é o que garantiu o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ao ser questionado se o partido com a maior bancada na Câmara dos Deputados e a segunda no próprio Senado apoiará ‘em bloco’ Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ou Geraldo Alckmin (PSDB).

“A tendência é que cada um dentro do PMDB mantenha sua posição: quem apóia  Alckmin ficará com ele, quem apóia Lula, votará nele. E cada qual vai trabalhar para atrair votos dos que não votaram nos dois no primeiro turno”, disse Calheiros, que faz parte da ala ‘prol-Lula’, juntamente com o senador recém eleito pelo Amapá, o ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP).

Desde o início das discussões do processo eleitoral, o PMDB ficou dividido em lançar ou não candidatura própria. Os aliados do governo federal (Calheiros e Sarney) queriam fechar aliança com o PT e trabalhar pela reeleição de Lula, que na época desfrutava de boa imagem diante o eleitorado.

No entanto, a ala dos que pediam uma maior ‘autonomia’ peemedebista buscou lançar candidato próprio. Germano Rigotto, governador do Rio Grande do Sul que perdeu as eleições para reeleição, e Anthony Garotinho, ex-governador do Rio de Janeiro, lançaram suas candidaturas. No entanto, o processo de escolha do candidato do PMDB foi barrada pelos ‘prol-Lula’.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;