Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Cinco meses de espera para conseguir exame do coração


Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

27/03/2006 | 08:03


Cinco meses. Esse é o tempo que a dona-de-casa Ormiza Pereira dos Santos diz que o filho Mauro Toshihide Sonoda Júnior, 9 anos, aguarda para passar por um cardiologista na rede pública de Santo André. O filho, conta, às vezes tem o batimento cardíaco acelerado (taquicardia), mesmo estando em repouso. Em outubro do ano passado, o menino passou por atendimento pediátrico na US (Unidade de Saúde) Central do município, ocasião em que ocorreu a indicação para a consulta com um cardiologista. Somente após essa consulta é que será apontado o tipo de exame necessário.

A moradora do bairro Casa Branca afirma ter sido informada na US Central que a rede municipal dispõe de apenas 18 vagas mensais para exames cardiológicos, distribuídas nas 30 unidades de saúde da cidade. “Disseram que cada unidade atende apenas uma pessoa a cada três meses. Com muita sorte, talvez meu filho consiga fazer o exame no final deste ano.”

A Prefeitura informou que o menino ainda não foi atendido porque o caso dele não é considerado urgente e que cerca de 300 crianças estão em uma lista de espera para passar por cardiologista especializado na área infantil.

A demora no procedimento ocorre porque, conforme a própria Prefeitura admitiu, a rede municipal não conta com tal profissional. Portanto, quem está na fila tem de aguardar a chance de ser atendido no Hospital Estadual Mário Covas, referência na região para esse tipo de atendimento. Segundo a administração municipal, o garoto já está na lista, mas é dada prioridade a casos com pedido de urgência.

A Prefeitura informou que o hospital disponibiliza somente de 25 a 30 vagas por mês para esse atendimento e que para minimizar o problema deve contratar até o início de abril um cardiologista especializado na área infantil.

A Secretaria de Saúde do Estado rebateu dizendo que disponibiliza ao município 180 vagas/mês (entre consultas e retornos) e que o número foi estabelecido como ideal pelo próprio município em reuniões do Consórcio Intermunicipal.

Exames comuns – Segundo o cardiologista da Faculdade de Medicina do ABC, José Luís Aziz, o ecocardiograma e o eletrocardiograma são os exames mais comuns para se detectar eventuais problemas cardiovasculares. “Se, por exemplo, a taquicardia vem acompanhada de sintomas, como desmaios, pode ser algo grave. No entanto, é preciso fazer esses exames para dirimir qualquer dúvida”, avaliou.


Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;