Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Feriado tem samba, rap e discursos


Tiago Dantas
Do Diário do Grande ABC

21/11/2009 | 07:00


Shows de música e discursos contra o preconceito marcaram as comemorações do Dia da Consciência Negra no Grande ABC ontem. Cerca de 500 pessoas foram à Praça do Carmo, em Santo André, segundo a Guarda Civil Municipal. Pelo menos 200 espectadores assistiram a grupos rap e à apresentação de Chico César no Paço Municipal de São Bernardo.

Os movimentos negros de Santo André se juntaram para organizar o evento, que começou às 12h, na Concha Acústica da Praça do Carmo, no Centro. "Fizemos reuniões com a Secretaria de Cultura e nos tornamos parceiros nesse processo", conta Jorge Dutra, produtor do espetáculo.

Dutra lembra que parte dos grupos que se apresentou durante a tarde não cobrou cachê. "Eles toparam fazer tudo em nome do movimento, em nome da causa", afirma o produtor. A apresentação dos grupos Oitava Nota, Filhos do Samba e Amigos do Samba, chamaram a atenção da plateia, que dançava ao ritmo dos batuques. À Prefeitura, coube levar ao palco o rapper Thaide e o DJ Bola 8, que se apresentaram no início da noite.

"Já fui em Diadema, São Bernardo e estou terminando aqui, em Santo André. Aqui está bem animado", disse Verah d'Osún, 42 anos, ligada ao grupo de religiões de matrizes africanas do Fórum das Entidades Negras, "Ainda temos que conscientizar mais o povo de nossa luta. Vinte anos atrás, não estávamos nem aqui, ocupando um espaço público", afirma.

Nem todos os espectadores eram ligados à militância. O operador de máquinas Marcos Antônio dos Santos, 38, foi atraído pela música enquanto fazia compras com a mulher e a filha de 1 ano. "Não sabia que ia ter comemoração. Passei aqui, ouvi o samba e, como gosto muito e minha mulher também, fui ficando", conta.

Em São Bernardo, onde o feriado foi aprovado pelos vereadores em março, a Prefeitura montou um palco no Paço Municipal, Centro, para a comemoração. A Polícia Militar estima que, por volta das 18h, cerca de 200 espectadores acompanhavam o evento, que terminou com o show de Chico César. Até políticos participaram da festa. "Ninguém tem que ser julgado pela cor da pele, mas pela competência e caráter", afirmou, no palco, o deputado federal Vicentinho (PT).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Feriado tem samba, rap e discursos

Tiago Dantas
Do Diário do Grande ABC

21/11/2009 | 07:00


Shows de música e discursos contra o preconceito marcaram as comemorações do Dia da Consciência Negra no Grande ABC ontem. Cerca de 500 pessoas foram à Praça do Carmo, em Santo André, segundo a Guarda Civil Municipal. Pelo menos 200 espectadores assistiram a grupos rap e à apresentação de Chico César no Paço Municipal de São Bernardo.

Os movimentos negros de Santo André se juntaram para organizar o evento, que começou às 12h, na Concha Acústica da Praça do Carmo, no Centro. "Fizemos reuniões com a Secretaria de Cultura e nos tornamos parceiros nesse processo", conta Jorge Dutra, produtor do espetáculo.

Dutra lembra que parte dos grupos que se apresentou durante a tarde não cobrou cachê. "Eles toparam fazer tudo em nome do movimento, em nome da causa", afirma o produtor. A apresentação dos grupos Oitava Nota, Filhos do Samba e Amigos do Samba, chamaram a atenção da plateia, que dançava ao ritmo dos batuques. À Prefeitura, coube levar ao palco o rapper Thaide e o DJ Bola 8, que se apresentaram no início da noite.

"Já fui em Diadema, São Bernardo e estou terminando aqui, em Santo André. Aqui está bem animado", disse Verah d'Osún, 42 anos, ligada ao grupo de religiões de matrizes africanas do Fórum das Entidades Negras, "Ainda temos que conscientizar mais o povo de nossa luta. Vinte anos atrás, não estávamos nem aqui, ocupando um espaço público", afirma.

Nem todos os espectadores eram ligados à militância. O operador de máquinas Marcos Antônio dos Santos, 38, foi atraído pela música enquanto fazia compras com a mulher e a filha de 1 ano. "Não sabia que ia ter comemoração. Passei aqui, ouvi o samba e, como gosto muito e minha mulher também, fui ficando", conta.

Em São Bernardo, onde o feriado foi aprovado pelos vereadores em março, a Prefeitura montou um palco no Paço Municipal, Centro, para a comemoração. A Polícia Militar estima que, por volta das 18h, cerca de 200 espectadores acompanhavam o evento, que terminou com o show de Chico César. Até políticos participaram da festa. "Ninguém tem que ser julgado pela cor da pele, mas pela competência e caráter", afirmou, no palco, o deputado federal Vicentinho (PT).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;