Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Pq.Celso Daniel reabre após revitalização

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeitura investiu R$ 2 milhões em melhorias; área
ganhou iluminação, segurança e atrações


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

12/04/2014 | 07:00


O Parque Celso Daniel, no bairro Jardim, em Santo André, reabre as portas à população hoje, a partir das 18h, após 23 dias fechado e quase oito meses de obras. A área verde de 70 mil m² recebeu diversas melhorias, como a instalação de 720 pontos de iluminação, o que inaugura o programa municipal Banho de Luz, com substituição de lâmpadas comuns por itens de LED. A equipe do Diário visitou o local ontem, com exclusividade.

Com investimento de cerca de R$ 2 milhões, segundo o secretário de Mobilidade Urbana, Obras e Serviços Públicos, Paulinho Serra (PSD), o parque passará a contar com moderno gerenciamento da iluminação, capaz de detectar lâmpadas com problemas e indicar pré-diagnóstico. Tudo via internet. Além disso, durante a madrugada, o entorno do espaço permanecerá aceso, o que contribuirá com a segurança da área.

Uma das principais mudanças, na visão de Paulinho, pode ser observada na área dos lagos, próximo da Avenida Industrial. “A gente tinha dois lagos e hoje temos seis. Criamos um circuito das águas, com instalação de dispositivo para realizar dança das águas, semelhante ao do Parque do Ibirapuera”, destaca. A ação foi possível a partir da reativação de mina de água e colocação de bombas para criar o percurso do recurso hídrico.

Na área da Segurança, o espaço passará a contar com 60 câmeras de monitoramento e duas bases para a GCM (Guarda Civil Municipal), localizadas nas duas portarias do parque. Diariamente, 12 guardas se dividirão em dois turnos para executar as rondas.

Tradicionalmente utilizado por praticantes de atividades físicas, o espaço manteve a academia ao ar livre, que foi ampliada, mudou de local e ganhou três percursos para corrida e caminhada, sinalizados com cores diferentes. A maior delas é a verde, com 1,8 quilômetro de extensão, a azul tem 1,1 quilômetro e a vermelha, 800 metros. Em cada uma delas foi disponibilizado um expressor de água.

Ainda na parte esportiva, houve reforma das duas quadras de futebol e construção da segunda quadra pública da cidade dedicada à prática de tênis. A primeira fica no Parque Regional da Criança, no Jaçatuba. Houve também reforma no ginásio localizado dentro do parque. Para as crianças, a novidade é a presença de brinquedoteca nas proximidades do playground, que foi reformado.

Entre as melhorias está a reativação de lanchonete no local. O aluguel do espaço – R$ 4.800 –, inclusive, será utilizado para manutenção do parque. “Estamos em busca de parceiros para manter outros espaços do parque, como a pista de corrida”, observa Serra. A PPP (Parceria Público-Privada), segundo ele, é maneira de evitar o mau uso do espaço.

O parque também beneficiará os cães, já que reserva área para a prática do agility (espécie de circuito para terinar os caninos), e amantes do slackline – atividade em que se amarra fita elástica esticada entre dois pontos fixos para andar por cima. Há espaço, inclusive, para quem deseja apenas estender sua rede entre duas árvores e descansar.

Após a reinauguração, o parque passará a funcionar entre 6h e 24h todos os dias.

Figueira centenária ganhará clone

Tradicional símbolo do Parque Celso Daniel, a figueira centenária terá oportunidade de renascer. Equipe do Depav (Departamento de Parques e Áreas Verdes) da Prefeitura conseguiu criar um clone da árvore a partir de testes realizados com o material genético.

Conforme explica o secretário de Mobilidade Urbana, Obras e Serviços Públicos, Paulinho Serra (PSD), uma tentativa entre dez realizadas surtiu resultado. “Vamos expor o clone em um balcão ao lado da figueira centenária e, dentro de 60 dias, a muda será plantada ao lado da figueira”, diz.

Em abril de 2011, a aposentada Leda da Silva Maubrigades, 68 anos, fazia caminhada junto ao filho e um amigo da família quando foi atingida por galho que despencou da figueira centenária. A idosa morreu no local e, após o incidente, a Prefeitura realizou poda da árvore e mantém o entorno cercado por faixa de segurança. “Deixamos os restos expostos, mas hoje não há nenhum risco”, destaca Serra.

MEMÓRIA

Outro resgate da memória do parque prevê colocação de busto do prefeito Celso Daniel (morto em 2002) ao lado da estátua do Duque de Caxias, patrono do Exército que deu nome ao parque até a morte do prefeito.

Os 500 trabalhadores que contribuiram para a execução da reforma do espaço também serão homenageados. Placa com os nomes dos funcionários será colocada na portaria da Avenida Dom Pedro II em forma de agradecimento, de acordo com o secretário.

Inaugurado há 37 anos, o parque estava sem passar por intervenções há 15 anos. Em abril de 2006, o IC (Instituto de Criminalística) elaborou inquérito que propunha limitar o funcionamento por falta de estrutura e segurança. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pq.Celso Daniel reabre após revitalização

Prefeitura investiu R$ 2 milhões em melhorias; área
ganhou iluminação, segurança e atrações

Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

12/04/2014 | 07:00


O Parque Celso Daniel, no bairro Jardim, em Santo André, reabre as portas à população hoje, a partir das 18h, após 23 dias fechado e quase oito meses de obras. A área verde de 70 mil m² recebeu diversas melhorias, como a instalação de 720 pontos de iluminação, o que inaugura o programa municipal Banho de Luz, com substituição de lâmpadas comuns por itens de LED. A equipe do Diário visitou o local ontem, com exclusividade.

Com investimento de cerca de R$ 2 milhões, segundo o secretário de Mobilidade Urbana, Obras e Serviços Públicos, Paulinho Serra (PSD), o parque passará a contar com moderno gerenciamento da iluminação, capaz de detectar lâmpadas com problemas e indicar pré-diagnóstico. Tudo via internet. Além disso, durante a madrugada, o entorno do espaço permanecerá aceso, o que contribuirá com a segurança da área.

Uma das principais mudanças, na visão de Paulinho, pode ser observada na área dos lagos, próximo da Avenida Industrial. “A gente tinha dois lagos e hoje temos seis. Criamos um circuito das águas, com instalação de dispositivo para realizar dança das águas, semelhante ao do Parque do Ibirapuera”, destaca. A ação foi possível a partir da reativação de mina de água e colocação de bombas para criar o percurso do recurso hídrico.

Na área da Segurança, o espaço passará a contar com 60 câmeras de monitoramento e duas bases para a GCM (Guarda Civil Municipal), localizadas nas duas portarias do parque. Diariamente, 12 guardas se dividirão em dois turnos para executar as rondas.

Tradicionalmente utilizado por praticantes de atividades físicas, o espaço manteve a academia ao ar livre, que foi ampliada, mudou de local e ganhou três percursos para corrida e caminhada, sinalizados com cores diferentes. A maior delas é a verde, com 1,8 quilômetro de extensão, a azul tem 1,1 quilômetro e a vermelha, 800 metros. Em cada uma delas foi disponibilizado um expressor de água.

Ainda na parte esportiva, houve reforma das duas quadras de futebol e construção da segunda quadra pública da cidade dedicada à prática de tênis. A primeira fica no Parque Regional da Criança, no Jaçatuba. Houve também reforma no ginásio localizado dentro do parque. Para as crianças, a novidade é a presença de brinquedoteca nas proximidades do playground, que foi reformado.

Entre as melhorias está a reativação de lanchonete no local. O aluguel do espaço – R$ 4.800 –, inclusive, será utilizado para manutenção do parque. “Estamos em busca de parceiros para manter outros espaços do parque, como a pista de corrida”, observa Serra. A PPP (Parceria Público-Privada), segundo ele, é maneira de evitar o mau uso do espaço.

O parque também beneficiará os cães, já que reserva área para a prática do agility (espécie de circuito para terinar os caninos), e amantes do slackline – atividade em que se amarra fita elástica esticada entre dois pontos fixos para andar por cima. Há espaço, inclusive, para quem deseja apenas estender sua rede entre duas árvores e descansar.

Após a reinauguração, o parque passará a funcionar entre 6h e 24h todos os dias.

Figueira centenária ganhará clone

Tradicional símbolo do Parque Celso Daniel, a figueira centenária terá oportunidade de renascer. Equipe do Depav (Departamento de Parques e Áreas Verdes) da Prefeitura conseguiu criar um clone da árvore a partir de testes realizados com o material genético.

Conforme explica o secretário de Mobilidade Urbana, Obras e Serviços Públicos, Paulinho Serra (PSD), uma tentativa entre dez realizadas surtiu resultado. “Vamos expor o clone em um balcão ao lado da figueira centenária e, dentro de 60 dias, a muda será plantada ao lado da figueira”, diz.

Em abril de 2011, a aposentada Leda da Silva Maubrigades, 68 anos, fazia caminhada junto ao filho e um amigo da família quando foi atingida por galho que despencou da figueira centenária. A idosa morreu no local e, após o incidente, a Prefeitura realizou poda da árvore e mantém o entorno cercado por faixa de segurança. “Deixamos os restos expostos, mas hoje não há nenhum risco”, destaca Serra.

MEMÓRIA

Outro resgate da memória do parque prevê colocação de busto do prefeito Celso Daniel (morto em 2002) ao lado da estátua do Duque de Caxias, patrono do Exército que deu nome ao parque até a morte do prefeito.

Os 500 trabalhadores que contribuiram para a execução da reforma do espaço também serão homenageados. Placa com os nomes dos funcionários será colocada na portaria da Avenida Dom Pedro II em forma de agradecimento, de acordo com o secretário.

Inaugurado há 37 anos, o parque estava sem passar por intervenções há 15 anos. Em abril de 2006, o IC (Instituto de Criminalística) elaborou inquérito que propunha limitar o funcionamento por falta de estrutura e segurança. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;