Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Familiares de acusado pedem justiça

Passeata reúne parentes de padrasto acusado de matar criança de 2 anos


Natália Fernandjes

15/11/2011 | 07:00


Revoltados com a morte de Nicolas Silva, 2 anos, e com a falta de ação do Conselho Tutelar de Ribeirão Pires diante das denúncias de maus-tratos feitas por eles, parentes do padrasto da criança, o pintor Valdenei Sabino Azevedo, 41, organizaram passeata pelo Centro do município, ontem à tarde. Junto com a mãe do garoto, a dona de casa Alessandra Pereira Silva, 22, o homem é acusado de espancar o menino até a morte.

A manifestação começou por volta das 16h na Vila do Doce, região Central de Ribeirão Pires, passou pelo Terminal Rodoviário Turístico e seguiu pela Avenida Brasil até o Distrito Policial. Com cartazes, apitos e megafone, cerca de 30 familiares de Valdenei pediam por justiça e condenavam o Conselho Tutelar. "Eles (conselho) foram omissos e permitiram que mais uma criança fosse morta em Ribeirão", diz a prima do suspeito, Kelly Castro, 31.

Antes da manifestação, os parentes estiveram no Conselho Tutelar municipal para pedir explicações, mas encontraram as portas fechadas. "É um absurdo que um órgão como esse fique fechado. Será que ninguém precisa deles só porque é feriado?", questiona Kelly. A equipe do Diário tentou por diversas vezes contato telefônico tanto com o órgão municipal quanto com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Ribeirão, mas nenhum dos dois atendeu.

CASO

Nicolas morreu na madrugada de anteontem. A suspeita é de que ele tenha sido espancado pelo padrasto e pela mãe, já que, na hora da morte, só os três estavam em casa, no bairro Quarta Divisão.

O corpo do garoto seguiu para Promissão, cidade de origem da mãe, no Interior do Estado, onde será enterrado.

O casal foi detido anteontem e teve pedido de prisão temporária de 30 dias aceito pelo juiz. Valdenei foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Mauá na manhã de ontem, enquanto Alessandra aguarda uma vaga em penitenciária feminina no Distrito Policial de Ribeirão Pires.

A expectativa do delegado de plantão, Davi Pimentel, é de que o laudo do Instituto Médico-Legal, necessário para instauração do inquérito policial, fique pronto até o fim da semana.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Familiares de acusado pedem justiça

Passeata reúne parentes de padrasto acusado de matar criança de 2 anos

Natália Fernandjes

15/11/2011 | 07:00


Revoltados com a morte de Nicolas Silva, 2 anos, e com a falta de ação do Conselho Tutelar de Ribeirão Pires diante das denúncias de maus-tratos feitas por eles, parentes do padrasto da criança, o pintor Valdenei Sabino Azevedo, 41, organizaram passeata pelo Centro do município, ontem à tarde. Junto com a mãe do garoto, a dona de casa Alessandra Pereira Silva, 22, o homem é acusado de espancar o menino até a morte.

A manifestação começou por volta das 16h na Vila do Doce, região Central de Ribeirão Pires, passou pelo Terminal Rodoviário Turístico e seguiu pela Avenida Brasil até o Distrito Policial. Com cartazes, apitos e megafone, cerca de 30 familiares de Valdenei pediam por justiça e condenavam o Conselho Tutelar. "Eles (conselho) foram omissos e permitiram que mais uma criança fosse morta em Ribeirão", diz a prima do suspeito, Kelly Castro, 31.

Antes da manifestação, os parentes estiveram no Conselho Tutelar municipal para pedir explicações, mas encontraram as portas fechadas. "É um absurdo que um órgão como esse fique fechado. Será que ninguém precisa deles só porque é feriado?", questiona Kelly. A equipe do Diário tentou por diversas vezes contato telefônico tanto com o órgão municipal quanto com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Ribeirão, mas nenhum dos dois atendeu.

CASO

Nicolas morreu na madrugada de anteontem. A suspeita é de que ele tenha sido espancado pelo padrasto e pela mãe, já que, na hora da morte, só os três estavam em casa, no bairro Quarta Divisão.

O corpo do garoto seguiu para Promissão, cidade de origem da mãe, no Interior do Estado, onde será enterrado.

O casal foi detido anteontem e teve pedido de prisão temporária de 30 dias aceito pelo juiz. Valdenei foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Mauá na manhã de ontem, enquanto Alessandra aguarda uma vaga em penitenciária feminina no Distrito Policial de Ribeirão Pires.

A expectativa do delegado de plantão, Davi Pimentel, é de que o laudo do Instituto Médico-Legal, necessário para instauração do inquérito policial, fique pronto até o fim da semana.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;