Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Comunidade pede solução para problemas da Av.Curió

Solicitações, feitas há 18 anos, apontam desde descarte de lixo até necessidade de lombada


Bianca Barbosa
Especial para o Diário

28/11/2018 | 07:00


 Grupo de moradores do Condomínio Alto da Boa Vista, na Avenida Curió, no Jardim Campanário, em Diadema, fazem reivindicações à Prefeitura há 18 anos. Entre os pedidos, estão a colocação de lombada eletrônica na via, poda de árvores e limpeza da área, visto que ao longo dos anos se transformou em ponto viciado de descarte de lixo.

Com um calhamaço de papéis nas mãos, a professora Eva Teixeira da Silva, 58 anos, representante do grupo de moradores, destaca as mais de 20 solicitações que o grupo fez ao longo dos anos à Prefeitura. “Pedimos ajuda há muito tempo, mas só de vez em quando resolvem atender um ou outro pedido”, falou. Entre as queixas, a que mais incomoda é a falta de limpeza da via, que acumula desde garrafas, móveis, pneus. “Você encontra de tudo por aqui”, disse Eva.

O funileiro Normando Félix, 69, que tem comércio na esquina da avenida, contou que os dias de maior acúmulo de lixo são aos fins de semana. “A gente fecha na sexta-feira e volta na segunda-feira com sofá, armário, porta”, falou. Outro incômodo para Félix é a faixa de pedestres apagada. “Essa é uma avenida perigosa. Os motoristas correm muito e a travessia apagada põe a gente em perigo”, lamentou.

Para Eva, a solução para diminuir a velocidade com que carros e ônibus passam na via é a colocação de uma lombada eletrônica. A porteira de prédio Alexandra Gonçalves de Lima, 39, concorda. “Muitos idosos têm dificuldade de atravessar a avenida por conta do perigo”, disse.

A última solicitação dos moradores foi protocolada na Prefeitura no dia 23 e tem como reivindicação todos os problemas citados acima. A equipe do Diário questionou a administração sobre as demandas dos moradores, mas até o fechamento dessa edição não houve resposta.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Comunidade pede solução para problemas da Av.Curió

Solicitações, feitas há 18 anos, apontam desde descarte de lixo até necessidade de lombada

Bianca Barbosa
Especial para o Diário

28/11/2018 | 07:00


 Grupo de moradores do Condomínio Alto da Boa Vista, na Avenida Curió, no Jardim Campanário, em Diadema, fazem reivindicações à Prefeitura há 18 anos. Entre os pedidos, estão a colocação de lombada eletrônica na via, poda de árvores e limpeza da área, visto que ao longo dos anos se transformou em ponto viciado de descarte de lixo.

Com um calhamaço de papéis nas mãos, a professora Eva Teixeira da Silva, 58 anos, representante do grupo de moradores, destaca as mais de 20 solicitações que o grupo fez ao longo dos anos à Prefeitura. “Pedimos ajuda há muito tempo, mas só de vez em quando resolvem atender um ou outro pedido”, falou. Entre as queixas, a que mais incomoda é a falta de limpeza da via, que acumula desde garrafas, móveis, pneus. “Você encontra de tudo por aqui”, disse Eva.

O funileiro Normando Félix, 69, que tem comércio na esquina da avenida, contou que os dias de maior acúmulo de lixo são aos fins de semana. “A gente fecha na sexta-feira e volta na segunda-feira com sofá, armário, porta”, falou. Outro incômodo para Félix é a faixa de pedestres apagada. “Essa é uma avenida perigosa. Os motoristas correm muito e a travessia apagada põe a gente em perigo”, lamentou.

Para Eva, a solução para diminuir a velocidade com que carros e ônibus passam na via é a colocação de uma lombada eletrônica. A porteira de prédio Alexandra Gonçalves de Lima, 39, concorda. “Muitos idosos têm dificuldade de atravessar a avenida por conta do perigo”, disse.

A última solicitação dos moradores foi protocolada na Prefeitura no dia 23 e tem como reivindicação todos os problemas citados acima. A equipe do Diário questionou a administração sobre as demandas dos moradores, mas até o fechamento dessa edição não houve resposta.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;