Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

BC da China diz que ajustará política monetária à medida que condições exigirem



12/11/2018 | 04:57


O Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) disse que ajustará sua política monetária à medida que as condições exigirem, ao mesmo tempo em que manterá sua postura prudente e neutra, num provável aceno aos possíveis efeitos da atual disputa comercial do país asiático com os EUA, entre outras pressões negativas.

Em relatório trimestral sobre política monetária, o PBoC afirmou que pretende manter a liquidez "razoavelmente ampla". Além disso, uma frase que constava de documentos anteriores, sobre a instituição ser "firmemente contra fortes estímulos em larga escala", foi omitida no relatório mais recente, divulgado na sexta-feira (09).

Em boa parte do relatório, o PBoC se dedicou a refutar avaliações no mercado de que sua política monetária seria contida nos próximos trimestres pela aceleração da inflação e pela ameaça de uma "armadilha de liquidez", situação em que a política acomodatícia não consegue impulsionar o crescimento econômico.

Nos últimos tempos, reguladores chineses anunciaram várias medidas com o intuito de sustentar a economia, incluindo um novo corte nos compulsórios bancários no mês passado - o quarto este ano. O documento do PBoC ajuda a alimentar expectativas de que virão novas reduções no compulsório mais adiante.

O PBoC também parece ter amenizado seu tom sobre a campanha de desalavancagem de Pequim. O BC chinês ressaltou a importância de se atingir um equilíbrio entre esforços para conter o avanço de dívidas e iniciativas para manter o crescimento estável. Em relatórios anteriores, a instituição falava em seguir "firmemente adiante com a desalavancagem estrutural".

O PBoC reiterou ainda seu compromisso de "aprofundar o apoio financeiro" para pequenas empresas do setor privado e prometeu manter a taxa de câmbio basicamente estável, em "nível razoável e equilibrado", acrescentando que irá "fortalecer a gestão macroprudencial quando necessário", frase ausente de relatórios anteriores. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

BC da China diz que ajustará política monetária à medida que condições exigirem


12/11/2018 | 04:57


O Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) disse que ajustará sua política monetária à medida que as condições exigirem, ao mesmo tempo em que manterá sua postura prudente e neutra, num provável aceno aos possíveis efeitos da atual disputa comercial do país asiático com os EUA, entre outras pressões negativas.

Em relatório trimestral sobre política monetária, o PBoC afirmou que pretende manter a liquidez "razoavelmente ampla". Além disso, uma frase que constava de documentos anteriores, sobre a instituição ser "firmemente contra fortes estímulos em larga escala", foi omitida no relatório mais recente, divulgado na sexta-feira (09).

Em boa parte do relatório, o PBoC se dedicou a refutar avaliações no mercado de que sua política monetária seria contida nos próximos trimestres pela aceleração da inflação e pela ameaça de uma "armadilha de liquidez", situação em que a política acomodatícia não consegue impulsionar o crescimento econômico.

Nos últimos tempos, reguladores chineses anunciaram várias medidas com o intuito de sustentar a economia, incluindo um novo corte nos compulsórios bancários no mês passado - o quarto este ano. O documento do PBoC ajuda a alimentar expectativas de que virão novas reduções no compulsório mais adiante.

O PBoC também parece ter amenizado seu tom sobre a campanha de desalavancagem de Pequim. O BC chinês ressaltou a importância de se atingir um equilíbrio entre esforços para conter o avanço de dívidas e iniciativas para manter o crescimento estável. Em relatórios anteriores, a instituição falava em seguir "firmemente adiante com a desalavancagem estrutural".

O PBoC reiterou ainda seu compromisso de "aprofundar o apoio financeiro" para pequenas empresas do setor privado e prometeu manter a taxa de câmbio basicamente estável, em "nível razoável e equilibrado", acrescentando que irá "fortalecer a gestão macroprudencial quando necessário", frase ausente de relatórios anteriores. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;