Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Educação alimentar

Restaurantes de refeições rápidas do Estado de São Paulo têm dois meses para se adaptar...


Dgabc

04/03/2012 | 00:00


Artigo

Restaurantes de refeições rápidas do Estado de São Paulo têm dois meses para se adaptar à lei de minha autoria sancionada pelo governador Geraldo Alckmin em dezembro. No fim de abril, as chamadas redes de fast food já devem estar preparadas para divulgar em cardápios, embalagens e painéis os dados nutricionais e calóricos dos alimentos.

Mais do que oferecer ao consumidor o direito à informação sobre a quantidade de carboidratos, proteínas, gorduras e sódio que ingere a cada refeição, a lei é o primeiro passo para educar nossa população sobre a maneira adequada de se alimentar. É medida preventiva para evitar doenças relacionadas à obesidade, que já atinge 15% dos brasileiros.

O Ministério da Saúde alertou a sociedade no último ano, quando realizou pesquisa apontando que metade dos brasileiros (48%) está acima do peso. Isso, graças à nova era a qual vivemos e não podemos ignorar. A melhora da situação econômica no Brasil e as novas ferramentas de propaganda impulsionaram o consumo em todas as áreas. Opções atrativas no que se refere à alimentação rápida deram espaço ao consumo inadequado.

Neste cenário, crianças adaptadas à geração virtual e que não praticam atividades físicas são as principais vítimas. A exposição à refeição rápida, saturada de gorduras e excessivamente calórica, provocou sobrepeso no dobro dos meninos e quase triplicou entre as meninas nos últimos 20 anos - segundo pesquisas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O reflexo da nova lei será positivo em todos os sentidos: favorecerá pessoas em dieta, seja devido a doenças como diabetes e hipertensão ou para evitar a obesidade e, sobretudo, reduzirá os custos do Estado com Saúde pública.

Na Assembleia Legislativa, discutimos outras dezenas de projetos com a mesma intenção de evitar a obesidade porque entendemos que é preciso criar a cultura do conhecimento e educar o consumidor a se alimentar adequadamente.

Os estabelecimentos estão sob fiscalização da Vigilância Sanitária, se descumprirem a norma terão de pagar multa equivalente a R$ 7.000. Nosso objetivo não é prejudicar os empresários, mas mostrar que todos são parte fundamental neste processo de adaptação.

Alex Manente é deputado estadual pelo PPS, líder do partido na Assembleia Legislativa de São Paulo e coordenador da legenda no Grande ABC.

Palavra do Leitor

Campo do 7

Engraçado ou coincidência? Após a publicação neste espaço sobre o abandono do campo de futebol do Esporte Clube 7 de Setembro há quase três anos (Vila Valparaíso, dia 30/1), a Prefeitura resolveu mexer seus pauzinhos e está realizando obra para reativar o campo. Olhando os operários da empreiteira que realiza a obra trabalharem no alambrado do espaço pergunto-me: por que justamente neste ano, que teremos eleição para o cargo mais importante do município, resolveram realizar essa obra e não há um ou dois anos? Será que a licença ambiental para a derrubada das árvores só foi aprovada agora? Senhor prefeito, me desculpe, mas resolver fazer academias ao ar livre e reativar campos de futebol no último ano de mandato não dá, não é?

Euripes S. de Aquino Júnior

Santo André

Pobre, São Paulo...

Estou realmente assustada! Primeiro foi aquela baixaria na apuração do Carnaval. Agora a infeliz indicação de um pobre palhaço para prefeito da Capital, a maior e mais progressiva metrópole do mundo, que abraça, acolhe e respeita a todos que aqui chegam em busca de sobrevivência. São Paulo não merece tanto desrespeito. Onde estão os homens que, de verdade, amam São Paulo?

Maria Jose Castiglioni

Santo André

Conselheiros

Infelizmente é um descaso! Os vereadores de Santo André, que vivem pedindo altos aumentos de salário, e agora estão pleiteando se reunir apenas uma vez por semana, deveriam ter um pouco de misericórdia, de sensibilidade nessa situação dos conselheiros tutelares 3. Como que esses profissionais vão ajudar as pessoas em situações terríveis, as quais todos nós sabemos. Santo André tem inúmeros imóveis para alugar ou até para serem adquiridos pela Prefeitura para uso do conselho. Por favor, senhores, resolvam essa situação, que é de extrema urgência! Não tem o que esperar.

Dorgival J. dos Santos

Santo André

Carnaval

A Prefeitura de Mauá não convence quando explicita os motivos da não realização do Carnaval pelo terceiro ano consecutivo, alegando que todo dinheiro está comprometido em investimentos e custeios e lista ações da gestão em investimentos concretos. Obras aditadas (precisaram de mais dinheiro que o orçado) e inacabadas. A gestão ‘quem ama cuida' cuida muito mais de concreto do que do humano, e não diz o quanto cuida.

Gecimar Evangelista

Mauá

WikiLeaks e a FAB

Com a palavra os petralhas que adoraram quando o WikiLeaks denunciou apenas problemas internos dos Estados Unidos! Agora o tal site mira sua metralhadora para as compras dos jatos da FAB, denunciando propinas, conchavos e falcatruas pelos altos escalões do governo brasileiro. E agora PT?

Beatriz Campos

Capital

Submissão?

A tentativa de impor a vontade do governo na nossa escolha do que ver na TV paga é típica de ditaduras, ou seja, além de não pagar as operadoras e cobrar impostos, quer determinar o que vamos ver. Não bastasse a Comissão da Verdade e outras aberrações, vem mais essa ‘coisa'. O governo é incompetente, arrecada muito e gasta muito mal, ou seja, não se administra mas quer nos administrar!

Mário A. Dente

Capital



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Educação alimentar

Restaurantes de refeições rápidas do Estado de São Paulo têm dois meses para se adaptar...

Dgabc

04/03/2012 | 00:00


Artigo

Restaurantes de refeições rápidas do Estado de São Paulo têm dois meses para se adaptar à lei de minha autoria sancionada pelo governador Geraldo Alckmin em dezembro. No fim de abril, as chamadas redes de fast food já devem estar preparadas para divulgar em cardápios, embalagens e painéis os dados nutricionais e calóricos dos alimentos.

Mais do que oferecer ao consumidor o direito à informação sobre a quantidade de carboidratos, proteínas, gorduras e sódio que ingere a cada refeição, a lei é o primeiro passo para educar nossa população sobre a maneira adequada de se alimentar. É medida preventiva para evitar doenças relacionadas à obesidade, que já atinge 15% dos brasileiros.

O Ministério da Saúde alertou a sociedade no último ano, quando realizou pesquisa apontando que metade dos brasileiros (48%) está acima do peso. Isso, graças à nova era a qual vivemos e não podemos ignorar. A melhora da situação econômica no Brasil e as novas ferramentas de propaganda impulsionaram o consumo em todas as áreas. Opções atrativas no que se refere à alimentação rápida deram espaço ao consumo inadequado.

Neste cenário, crianças adaptadas à geração virtual e que não praticam atividades físicas são as principais vítimas. A exposição à refeição rápida, saturada de gorduras e excessivamente calórica, provocou sobrepeso no dobro dos meninos e quase triplicou entre as meninas nos últimos 20 anos - segundo pesquisas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O reflexo da nova lei será positivo em todos os sentidos: favorecerá pessoas em dieta, seja devido a doenças como diabetes e hipertensão ou para evitar a obesidade e, sobretudo, reduzirá os custos do Estado com Saúde pública.

Na Assembleia Legislativa, discutimos outras dezenas de projetos com a mesma intenção de evitar a obesidade porque entendemos que é preciso criar a cultura do conhecimento e educar o consumidor a se alimentar adequadamente.

Os estabelecimentos estão sob fiscalização da Vigilância Sanitária, se descumprirem a norma terão de pagar multa equivalente a R$ 7.000. Nosso objetivo não é prejudicar os empresários, mas mostrar que todos são parte fundamental neste processo de adaptação.

Alex Manente é deputado estadual pelo PPS, líder do partido na Assembleia Legislativa de São Paulo e coordenador da legenda no Grande ABC.

Palavra do Leitor

Campo do 7

Engraçado ou coincidência? Após a publicação neste espaço sobre o abandono do campo de futebol do Esporte Clube 7 de Setembro há quase três anos (Vila Valparaíso, dia 30/1), a Prefeitura resolveu mexer seus pauzinhos e está realizando obra para reativar o campo. Olhando os operários da empreiteira que realiza a obra trabalharem no alambrado do espaço pergunto-me: por que justamente neste ano, que teremos eleição para o cargo mais importante do município, resolveram realizar essa obra e não há um ou dois anos? Será que a licença ambiental para a derrubada das árvores só foi aprovada agora? Senhor prefeito, me desculpe, mas resolver fazer academias ao ar livre e reativar campos de futebol no último ano de mandato não dá, não é?

Euripes S. de Aquino Júnior

Santo André

Pobre, São Paulo...

Estou realmente assustada! Primeiro foi aquela baixaria na apuração do Carnaval. Agora a infeliz indicação de um pobre palhaço para prefeito da Capital, a maior e mais progressiva metrópole do mundo, que abraça, acolhe e respeita a todos que aqui chegam em busca de sobrevivência. São Paulo não merece tanto desrespeito. Onde estão os homens que, de verdade, amam São Paulo?

Maria Jose Castiglioni

Santo André

Conselheiros

Infelizmente é um descaso! Os vereadores de Santo André, que vivem pedindo altos aumentos de salário, e agora estão pleiteando se reunir apenas uma vez por semana, deveriam ter um pouco de misericórdia, de sensibilidade nessa situação dos conselheiros tutelares 3. Como que esses profissionais vão ajudar as pessoas em situações terríveis, as quais todos nós sabemos. Santo André tem inúmeros imóveis para alugar ou até para serem adquiridos pela Prefeitura para uso do conselho. Por favor, senhores, resolvam essa situação, que é de extrema urgência! Não tem o que esperar.

Dorgival J. dos Santos

Santo André

Carnaval

A Prefeitura de Mauá não convence quando explicita os motivos da não realização do Carnaval pelo terceiro ano consecutivo, alegando que todo dinheiro está comprometido em investimentos e custeios e lista ações da gestão em investimentos concretos. Obras aditadas (precisaram de mais dinheiro que o orçado) e inacabadas. A gestão ‘quem ama cuida' cuida muito mais de concreto do que do humano, e não diz o quanto cuida.

Gecimar Evangelista

Mauá

WikiLeaks e a FAB

Com a palavra os petralhas que adoraram quando o WikiLeaks denunciou apenas problemas internos dos Estados Unidos! Agora o tal site mira sua metralhadora para as compras dos jatos da FAB, denunciando propinas, conchavos e falcatruas pelos altos escalões do governo brasileiro. E agora PT?

Beatriz Campos

Capital

Submissão?

A tentativa de impor a vontade do governo na nossa escolha do que ver na TV paga é típica de ditaduras, ou seja, além de não pagar as operadoras e cobrar impostos, quer determinar o que vamos ver. Não bastasse a Comissão da Verdade e outras aberrações, vem mais essa ‘coisa'. O governo é incompetente, arrecada muito e gasta muito mal, ou seja, não se administra mas quer nos administrar!

Mário A. Dente

Capital

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;