Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Catalunha tem novos protestos, após prisão de dois líderes pró-independência

MANU FERNANDEZ/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Magistrada decidiu que a dupla era responsável por orquestrar as grandes manifestações



17/10/2017 | 09:19


Manifestantes se reúnem nesta terça-feira para mais protestos em Barcelona, com a intenção de exigir a libertação de dois líderes do movimento pela independência da Catalunha, detidos acusados de sedição. Uma juíza em Madri, Carmela Lamela, determinou na segunda-feira a detenção provisória de Jordi Sànchez e Jordi Cuixart, lideranças respectivamente das entidades Assembleia Nacional Catalã e Òmnium Cultural.

A magistrada decidiu que a dupla era responsável por orquestrar as grandes manifestações em 20 e 21 de setembro em Barcelona que atrapalharam a operação policial contra os preparativos para o plebiscito de independência realizado em 1º de outubro.

Há manifestações convocadas para Barcelona, a capital catalã, ao meio-dia e também à noite. Cerca de 500 estudantes deixaram as salas de aula em uma das principais universidades de Barcelona para se unir aos protestos. "Nós exigimos a libertação de nossos prisioneiros políticos e pedimos às autoridades catalãs que revoguem a suspensão da declaração de independência e proclamem a república catalã", afirmou Aina Delgado Morell, representante da Universitats per la Republica, uma entidade estudantil que defende a separação da Espanha.

Milhares de pessoas se manifestavam após a prisão das lideranças pela independência na segunda-feira. A decisão judicial foi tomada quase 12 horas após o prazo dado pelo governo do premiê Mariano Rajoy para que o presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, esclarecesse se declarou ou não a independência da Espanha. Puigdemont fez uma declaração ambígua em discurso na semana passada, dizendo que declarava a independência, mas suspendendo seus efeitos para negociar com Madri. Agora, o líder catalão tem até a quinta-feira para recuar e, caso se recuse, o governo de Rajoy afirmou que usará de seu direito constitucional para intervir e reduzir a autonomia da administração catalã a fim de impedir a separação. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Catalunha tem novos protestos, após prisão de dois líderes pró-independência

Magistrada decidiu que a dupla era responsável por orquestrar as grandes manifestações


17/10/2017 | 09:19


Manifestantes se reúnem nesta terça-feira para mais protestos em Barcelona, com a intenção de exigir a libertação de dois líderes do movimento pela independência da Catalunha, detidos acusados de sedição. Uma juíza em Madri, Carmela Lamela, determinou na segunda-feira a detenção provisória de Jordi Sànchez e Jordi Cuixart, lideranças respectivamente das entidades Assembleia Nacional Catalã e Òmnium Cultural.

A magistrada decidiu que a dupla era responsável por orquestrar as grandes manifestações em 20 e 21 de setembro em Barcelona que atrapalharam a operação policial contra os preparativos para o plebiscito de independência realizado em 1º de outubro.

Há manifestações convocadas para Barcelona, a capital catalã, ao meio-dia e também à noite. Cerca de 500 estudantes deixaram as salas de aula em uma das principais universidades de Barcelona para se unir aos protestos. "Nós exigimos a libertação de nossos prisioneiros políticos e pedimos às autoridades catalãs que revoguem a suspensão da declaração de independência e proclamem a república catalã", afirmou Aina Delgado Morell, representante da Universitats per la Republica, uma entidade estudantil que defende a separação da Espanha.

Milhares de pessoas se manifestavam após a prisão das lideranças pela independência na segunda-feira. A decisão judicial foi tomada quase 12 horas após o prazo dado pelo governo do premiê Mariano Rajoy para que o presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, esclarecesse se declarou ou não a independência da Espanha. Puigdemont fez uma declaração ambígua em discurso na semana passada, dizendo que declarava a independência, mas suspendendo seus efeitos para negociar com Madri. Agora, o líder catalão tem até a quinta-feira para recuar e, caso se recuse, o governo de Rajoy afirmou que usará de seu direito constitucional para intervir e reduzir a autonomia da administração catalã a fim de impedir a separação. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;