Fechar
Publicidade

Sábado, 21 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Placas comprometem trânsito

Marina Brandão/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Com mau estado de conservação em pelo menos 4
cidades, sinalizações atrapalham o fluxo de veículos


Nelson Donato
Especial para o Diário

14/11/2016 | 07:00


Quem trafega pelas vias do Grande ABC encontra frequentemente placas de sinalização pichadas, entortadas e até de ponta-cabeça. O péssimo estado de conservação desses equipamentos atrapalha o fluxo de veículos e confunde motoristas. Responsáveis pela manutenção, as prefeituras podem ser processadas em caso de acidentes nos quais a falta de informação de trânsito tenha influência direta pelo ocorrido, segundo especialista.

A equipe do Diário percorreu importantes vias de quatro cidades e detectou problemas que impossibilitam que o motorista enxergue as orientações. Um dos locais onde as placas apresentam condições inadequadas é na Avenida Giovanni Battista Pirelli, em Santo André. Na importante via de ligação entre o município andreense e Mauá, trechos em ambos os sentidos apresentam sinalizações pichadas e encobertas por folhas de árvores.

A mesma situação acontece na Avenida dos Estados, onde a copa das árvores cobre informações sobre acessos e limite de velocidade.

Em São Bernardo, na Rua Mateus Demarchi, no bairro Demarchi, o vento entortou a sinalização de proibido parar e estacionar. Já em Mauá placas que indicam o limite de velocidade na Avenida Barão de Mauá, sentido Centro, foram viradas de ponta-cabeça.

Em Ribeirão Pires a situação é ainda mais complicada. Diversas placas estão ilegíveis, sendo impossível determinar qual a indicação que deve ser seguida. Um desses casos ocorre na Avenida Humberto de Campos, onde o estado do equipamento é tão crítico que a tinta vermelha da borda da chapa escorreu e cobriu a norma a ser seguida.

Na Rua Major Cardim o letreiro está torto, sendo que a 100 metros de distância não é possível identificar os dizeres sobre os acessos a Mauá e ao Centro.

Conforme explica o especialista na área de transporte e mobilidade urbana da UFABC (Universidade Federal do ABC) Humberto de Paiva Júnior, caso ocorram acidentes onde a sinalização não é adequada, as administrações municipais podem ser processadas. “Se ficar comprovado que houve falhas na sinalização, os envolvidos nos acidente podem indiciar a Prefeitura. Se uma placa estiver encoberta ou ilegível, o motorista pode alegar que não tem culpa por possíveis irregularidades”, afirmou.

Outro problema que pode ser ocasionado pelo mau estado dos equipamentos é o agravamento do trânsito. “Sem as informações corretas, os condutores podem perder o tempo de reação necessário enquanto dirigem. Caso ele não conheça o lugar por onde está trafegando, a situação pode ser pior ainda, o que pode gerar até acidentes.”

Paiva também indicou que a população pode ajudar a solucionar os transtornos. “É importante ligar para as secretarias de trânsito e informar onde está o problema”, disse.

PREFEITURAS

Questionadas sobre o assunto, somente as administrações de Santo André e Ribeirão Pires retornaram ao Diário. Mauá e São Bernardo não se posicionaram sobre o assunto até o fechamento desta edição.
Em Santo André a Prefeitura afirmou, por meio de nota, que realiza manutenção de acordo com planejamento prévio e que casos pontuais são atendidos quando há solicitações. Ainda de acordo com o Paço, o Departamento de Parques e Áreas Verdes foi acionado para a realização de poda das árvores nos casos citados em que as placas foram encobertas pela vegetação.

Já a Prefeitura de Ribeirão Pires informou que “trabalha com um cronograma de manutenções em placas e sinalização de solo. Os locais serão vistoriados e entrarão na ordem de serviço para reparos”. Porém, não informou quando será feito o reparo nos locais indicados. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Placas comprometem trânsito

Com mau estado de conservação em pelo menos 4
cidades, sinalizações atrapalham o fluxo de veículos

Nelson Donato
Especial para o Diário

14/11/2016 | 07:00


Quem trafega pelas vias do Grande ABC encontra frequentemente placas de sinalização pichadas, entortadas e até de ponta-cabeça. O péssimo estado de conservação desses equipamentos atrapalha o fluxo de veículos e confunde motoristas. Responsáveis pela manutenção, as prefeituras podem ser processadas em caso de acidentes nos quais a falta de informação de trânsito tenha influência direta pelo ocorrido, segundo especialista.

A equipe do Diário percorreu importantes vias de quatro cidades e detectou problemas que impossibilitam que o motorista enxergue as orientações. Um dos locais onde as placas apresentam condições inadequadas é na Avenida Giovanni Battista Pirelli, em Santo André. Na importante via de ligação entre o município andreense e Mauá, trechos em ambos os sentidos apresentam sinalizações pichadas e encobertas por folhas de árvores.

A mesma situação acontece na Avenida dos Estados, onde a copa das árvores cobre informações sobre acessos e limite de velocidade.

Em São Bernardo, na Rua Mateus Demarchi, no bairro Demarchi, o vento entortou a sinalização de proibido parar e estacionar. Já em Mauá placas que indicam o limite de velocidade na Avenida Barão de Mauá, sentido Centro, foram viradas de ponta-cabeça.

Em Ribeirão Pires a situação é ainda mais complicada. Diversas placas estão ilegíveis, sendo impossível determinar qual a indicação que deve ser seguida. Um desses casos ocorre na Avenida Humberto de Campos, onde o estado do equipamento é tão crítico que a tinta vermelha da borda da chapa escorreu e cobriu a norma a ser seguida.

Na Rua Major Cardim o letreiro está torto, sendo que a 100 metros de distância não é possível identificar os dizeres sobre os acessos a Mauá e ao Centro.

Conforme explica o especialista na área de transporte e mobilidade urbana da UFABC (Universidade Federal do ABC) Humberto de Paiva Júnior, caso ocorram acidentes onde a sinalização não é adequada, as administrações municipais podem ser processadas. “Se ficar comprovado que houve falhas na sinalização, os envolvidos nos acidente podem indiciar a Prefeitura. Se uma placa estiver encoberta ou ilegível, o motorista pode alegar que não tem culpa por possíveis irregularidades”, afirmou.

Outro problema que pode ser ocasionado pelo mau estado dos equipamentos é o agravamento do trânsito. “Sem as informações corretas, os condutores podem perder o tempo de reação necessário enquanto dirigem. Caso ele não conheça o lugar por onde está trafegando, a situação pode ser pior ainda, o que pode gerar até acidentes.”

Paiva também indicou que a população pode ajudar a solucionar os transtornos. “É importante ligar para as secretarias de trânsito e informar onde está o problema”, disse.

PREFEITURAS

Questionadas sobre o assunto, somente as administrações de Santo André e Ribeirão Pires retornaram ao Diário. Mauá e São Bernardo não se posicionaram sobre o assunto até o fechamento desta edição.
Em Santo André a Prefeitura afirmou, por meio de nota, que realiza manutenção de acordo com planejamento prévio e que casos pontuais são atendidos quando há solicitações. Ainda de acordo com o Paço, o Departamento de Parques e Áreas Verdes foi acionado para a realização de poda das árvores nos casos citados em que as placas foram encobertas pela vegetação.

Já a Prefeitura de Ribeirão Pires informou que “trabalha com um cronograma de manutenções em placas e sinalização de solo. Os locais serão vistoriados e entrarão na ordem de serviço para reparos”. Porém, não informou quando será feito o reparo nos locais indicados. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;