Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

General Motors tem PDV aberto até amanhã

Programa de demissão voluntária vale para dois setores de engenharia da montadora


Paula Oliveira
Especial para o Diário

02/11/2016 | 07:29


A GM (General Motors) está com PDV (Programa de Demissão Voluntária) aberto em sua fábrica de São Caetano desde segunda, e o prazo se encerra amanhã, dia 3, às 17h. A proposta vale apenas para funcionários do setor de engenharia.

Com base em informações recebidas por trabalhadores da montadora, a GM justifica que “esta decisão de adequar sua estrutura organizacional assegurará a sustentabilidade da empresa no mercado brasileiro”.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, Francisco Nunes, o PDV foi aberto devido ao excedente de funcionários em dois setores de engenharia. O sindicalista, no entanto, não informou o número de excedentes e nem quantos profissionais a GM busca aderir com a proposta.

Hoje, a montadora possui cerca de 9.000 empregados em sua fábrica da região, sendo 5.000 na linha de produção e, o restante, nas áreas de engenharia e administrativa, entre outras.

“A expectativa é que os funcionários que queiram sair se manifestem, e que não haja uma pressão para que isso ocorra”, diz Nunes.

Conforme o documento ao qual o Diário teve acesso, é oferecida, além da rescisão, verba adicional que cresce de acordo com o tempo de casa. Será pago um salário a mais para quem tem entre um e quatro anos na companhia. De cinco a dez anos, 1,5 vencimento. De 11 a 13, são dois. De 14 a 16, são 2,5. De 17 a 19, são três. De 20 a 22, são 3,5. De 23 a 25, quatro. E partir de 26, cinco.

Para quem tiver até um ano de carteira assinada na GM, porém, não haverá benefício extra. Quanto ao plano de saúde, a montadora oferece quatro meses a mais de cobertura a todos.

Em relação aos aposentados, o PDV propõe acréscimo de dois rendimentos mensais. Em relação ao convênio médico, a extensão oferecida é de 12 meses.

FÉRIAS COLETIVAS - Os trabalhadores da GM também já foram informados sobre suas férias coletivas. Empregados horistas e mensalistas saem no dia de dezembro e ficam afastados até 3 de janeiro, totalizando 13 dias de desconto de férias, com retorno previsto para 4 de janeiro.

A exceção fica por conta ramo de engenharia de manufatura que, devido a trabalhos com fornecedores, as férias coletivas serão de 26 de dezembro a 8 de janeiro, retornando ao trabalho no dia 9 de janeiro, totalizando igualmente 13 dias de descontos de férias.

Procurada para comentar as informações obtidas, a GM afirmou que não iria se manifestar.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

General Motors tem PDV aberto até amanhã

Programa de demissão voluntária vale para dois setores de engenharia da montadora

Paula Oliveira
Especial para o Diário

02/11/2016 | 07:29


A GM (General Motors) está com PDV (Programa de Demissão Voluntária) aberto em sua fábrica de São Caetano desde segunda, e o prazo se encerra amanhã, dia 3, às 17h. A proposta vale apenas para funcionários do setor de engenharia.

Com base em informações recebidas por trabalhadores da montadora, a GM justifica que “esta decisão de adequar sua estrutura organizacional assegurará a sustentabilidade da empresa no mercado brasileiro”.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, Francisco Nunes, o PDV foi aberto devido ao excedente de funcionários em dois setores de engenharia. O sindicalista, no entanto, não informou o número de excedentes e nem quantos profissionais a GM busca aderir com a proposta.

Hoje, a montadora possui cerca de 9.000 empregados em sua fábrica da região, sendo 5.000 na linha de produção e, o restante, nas áreas de engenharia e administrativa, entre outras.

“A expectativa é que os funcionários que queiram sair se manifestem, e que não haja uma pressão para que isso ocorra”, diz Nunes.

Conforme o documento ao qual o Diário teve acesso, é oferecida, além da rescisão, verba adicional que cresce de acordo com o tempo de casa. Será pago um salário a mais para quem tem entre um e quatro anos na companhia. De cinco a dez anos, 1,5 vencimento. De 11 a 13, são dois. De 14 a 16, são 2,5. De 17 a 19, são três. De 20 a 22, são 3,5. De 23 a 25, quatro. E partir de 26, cinco.

Para quem tiver até um ano de carteira assinada na GM, porém, não haverá benefício extra. Quanto ao plano de saúde, a montadora oferece quatro meses a mais de cobertura a todos.

Em relação aos aposentados, o PDV propõe acréscimo de dois rendimentos mensais. Em relação ao convênio médico, a extensão oferecida é de 12 meses.

FÉRIAS COLETIVAS - Os trabalhadores da GM também já foram informados sobre suas férias coletivas. Empregados horistas e mensalistas saem no dia de dezembro e ficam afastados até 3 de janeiro, totalizando 13 dias de desconto de férias, com retorno previsto para 4 de janeiro.

A exceção fica por conta ramo de engenharia de manufatura que, devido a trabalhos com fornecedores, as férias coletivas serão de 26 de dezembro a 8 de janeiro, retornando ao trabalho no dia 9 de janeiro, totalizando igualmente 13 dias de descontos de férias.

Procurada para comentar as informações obtidas, a GM afirmou que não iria se manifestar.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;