Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Guga faz partida dos ‘sem combustível’ em S.Paulo


Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

06/11/2003 | 00:02


Gustavo Kuerten inicia nesta quinta o seu último compromisso do ano. O brasileiro enfrenta o argentino Mariano Zabaleta, às 20h, no ginásio do Ibirapuera, pela segunda rodada do Tênis Espetacular (Sportv e Rede 21), torneio exibição que foi aberto nesta quarta e que vai até sábado. Prestes a entrar em férias, Guga confessou nesta quarta que está “queimando o último combustível”, mas seu adversário da noite não ficou atrás e afirmou que seu gás “acabou em junho”. A rodada terá ainda o confronto entre o chileno Fernando Gonzalez e o argentino Gaston Gaudio.

Animado com a conquista do Torneio de San Petesburgo, Guga classificou a temporada 2003 como “um ano muito bom”. “Foi um ano de recuperação em que me solidifiquei, voltei a ter o respeito da maioria dos tenistas”. Ele revelou também que, ao contrário de outras temporadas, irá encurtar seu período de descanso e iniciar antes a preparação para a temporada 2004. “Devo parar apenas uma semana para me dedicar à parte física, já que mentalmente estou muito bem”.

Guga tem duas metas para o próximo ano. No primeiro semestre, se dedicará aos torneios que fazem parte do circuito mundial, já na segunda parte do ano, seu principal objetivo será a conquista da inédita medalha olímpica para o tênis brasileiro. “Sei como a Olimpíada é importante para todos nós brasileiros. Já tenho a experiência de Sydney (2000) e isso vai me ajudar”, afirmou.

Apesar de ocupar a 16ª colocação no ranking da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais) – a meta era ficar entre os dez primeiros – Guga classificou como “bom” seu atual momento no tênis mundial. “Me encontro numa posição confortável. De repente, com uma boa atuação numa determinada semana, posso aparecer novamente entre os dez primeiros”, afirmou.

Na manha – Acostumado à tranqüilidade de Florianópolis (Santa Catarina), sua cidade natal, Guga afirmou que não se sente totalmente à vontade quando está na capital paulista. “Me sinto como um peixe fora d’água. Mas, para um torneio como este, não existe lugar mais apropriado. Não ando no ritmo dos paulistas, e quando estou por aqui, procuro ir na manha, me esquematizo para pegar pouco trânsito e procuro ficar perto do ginásio”, afirmou.

Após o jogo desta quinta, Guga volta à quadra sexta, também às 20h, contra o equatoriano Nicolas Lapentti. A final da competição está marcada para sábado, às 20h30.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Guga faz partida dos ‘sem combustível’ em S.Paulo

Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

06/11/2003 | 00:02


Gustavo Kuerten inicia nesta quinta o seu último compromisso do ano. O brasileiro enfrenta o argentino Mariano Zabaleta, às 20h, no ginásio do Ibirapuera, pela segunda rodada do Tênis Espetacular (Sportv e Rede 21), torneio exibição que foi aberto nesta quarta e que vai até sábado. Prestes a entrar em férias, Guga confessou nesta quarta que está “queimando o último combustível”, mas seu adversário da noite não ficou atrás e afirmou que seu gás “acabou em junho”. A rodada terá ainda o confronto entre o chileno Fernando Gonzalez e o argentino Gaston Gaudio.

Animado com a conquista do Torneio de San Petesburgo, Guga classificou a temporada 2003 como “um ano muito bom”. “Foi um ano de recuperação em que me solidifiquei, voltei a ter o respeito da maioria dos tenistas”. Ele revelou também que, ao contrário de outras temporadas, irá encurtar seu período de descanso e iniciar antes a preparação para a temporada 2004. “Devo parar apenas uma semana para me dedicar à parte física, já que mentalmente estou muito bem”.

Guga tem duas metas para o próximo ano. No primeiro semestre, se dedicará aos torneios que fazem parte do circuito mundial, já na segunda parte do ano, seu principal objetivo será a conquista da inédita medalha olímpica para o tênis brasileiro. “Sei como a Olimpíada é importante para todos nós brasileiros. Já tenho a experiência de Sydney (2000) e isso vai me ajudar”, afirmou.

Apesar de ocupar a 16ª colocação no ranking da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais) – a meta era ficar entre os dez primeiros – Guga classificou como “bom” seu atual momento no tênis mundial. “Me encontro numa posição confortável. De repente, com uma boa atuação numa determinada semana, posso aparecer novamente entre os dez primeiros”, afirmou.

Na manha – Acostumado à tranqüilidade de Florianópolis (Santa Catarina), sua cidade natal, Guga afirmou que não se sente totalmente à vontade quando está na capital paulista. “Me sinto como um peixe fora d’água. Mas, para um torneio como este, não existe lugar mais apropriado. Não ando no ritmo dos paulistas, e quando estou por aqui, procuro ir na manha, me esquematizo para pegar pouco trânsito e procuro ficar perto do ginásio”, afirmou.

Após o jogo desta quinta, Guga volta à quadra sexta, também às 20h, contra o equatoriano Nicolas Lapentti. A final da competição está marcada para sábado, às 20h30.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;