Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Próximo destino: o ronco dos motores

Andrew Hone/Pirelli  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Apaixonados por automobilismo aproveitam os grandes prêmios para conhecer os arredores


Dérek Bittencourt

12/11/2015 | 07:00


A Fórmula 1 desembarcou em São Paulo nesta semana para a realização do Grande Prêmio do Brasil, que será disputado domingo, no autódromo de Interlagos. Apesar de o campeonato já estar decidido – o piloto britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, garantiu o título há quase 20 dias, nos Estados Unidos –, turistas de todo o território nacional e também viajantes de outras partes do mundo que acompanham a categoria chegaram ou chegarão à Capital paulista. E o intuito não é curtir apenas a adrenalina que o automobilismo proporciona, como também os demais atrativos que a maior cidade do País apresenta.

As atividades na pista de Interlagos começam logo cedo no sábado e no domingo, mas os fãs não se contentam em ficar apenas restritos às arquibancadas. Pesquisa de perfil de público realizada pelo Observatório do Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo durante o GP de 2014 mostrou que estrangeiros permanecem entre três e quatro dias na Capital e gastam cerca de US$ 2.459. Já os brasileiros ficam pouco mais de dois dias e deixam aproximadamente R$ 2.628.

Mas independentemente de serem daqui ou de fora, os turistas aproveitam para curtir, respectivamente, a gastronomia brasileira (churrascarias ficam praticamente sem reservas e, além dos visitantes, recebem pilotos, mecânicos, jornalistas e outros profissionais envolvidos na corrida), compras, vida noturna (bares e boates), museus, negócios, passeios turísticos e parques.

Com movimentação de R$ 296 milhões em 2014, o GP Brasil de Fórmula 1 é comprovadamente o maior evento anual em movimentação econômica com turismo da cidade. No ano passado, os hotéis registraram 90% de ocupação média no fim de semana que a Fórmula 1 passou pelo autódromo paulistano. Segundo dados da SPTuris (São Paulo Turismo), cerca de 40% das pessoas que vão às arquibancadas no fim de semana são turistas, sendo 15% deles estrangeiros vindos, principalmente, de Escócia, Índia, África do Sul, República Dominicana, República Tcheca, Angola entre outras nações.

Já informações do Sports Travel Insight, da Hoteis.com, apontam que a maior busca por hospedagem na cidade vem dos Estados Unidos, seguido por Reino Unido, Argentina, Chile e França. Ou seja, ambos os estudos apontam que o mundo vai se concentrar na Capital paulista nos próximos dias, situação que se assemelha à vivida por outras localidades que unem velocidade e turismo, cada uma à sua maneira, como Indianápolis, berço do automobilismo norte-americano, Mônaco (França), Spa-Francorchamps (Bélgica), Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos), Monza e Ímola (Itália). “Os fãs de automobilismo continuam acompanhando a categoria e fazem questão de ir ao evento”, destacou o gerente do Autódromo de Interlagos na SPTuris, João Mihalik.

INGRESSOS
Para quem tem interesse de acompanhar o GP Brasil de Fórmula 1 neste fim de semana, ainda há bilhetes disponíveis para quase todos os setores do autódromo de Interlagos – exceto o “M”. Os preços (entrada inteira) variam entre R$ 446 e R$ 2.630. Informações sobre formas de pagamento e locais de compra no site www.grbrasil.com.br.

Abu Dhabi: ‘brinquedo’ a 240 km/h
A ilha artificial Yas Island, localizada a 40 quilômetros de Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, vai receber a última etapa do calendário 2015 da Fórmula 1 no dia 29. O moderno circuito batizado de Yas Marina, desenhado pelo alemão Hermann Tilke – que também projetou pistas na Malásia, Bahrein, Venezuela e até mesmo o kartódromo do Beto Carrero World, em Santa Catarina –, foi inaugurado em 2009 com traçado desafiador e cercado de belezas naturais (ou nem tão naturais assim). Mas o que mais chama atenção é o Ferrari World.

O parque temático da montadora italiana, uma das mais tradicionais no cenário do automobilismo esportivo, é um complexo de 86 mil metros quadrados cheio de atrações. A mais imponente é a Formula Rossa, montanha-russa mais rápida do mundo, que simula um carro de corrida e chega a 240 km/h em cinco segundos. O espaço ainda tem simuladores, cinema 4D, restaurantes, lojas e outras atrações que remetem às corridas. O ingresso para um dia custa cerca de R$ 350 e algumas das experiências têm custo à parte.

Além de assistir à corrida e visitar o parque, a ilha ainda oferece outras atrações como parque aquático, shopping luxuoso, hotéis (entre três e cinco estrelas), campo de golfe, praia, marina, casa noturna e arena de shows. Caso estas alternativas não sejam suficientes, a capital Abu Dhabi – a meia hora dali – tem zoológico, passeio de camelo e outras aventuras das arábias.

Indianápolis, templo dos fanáticos
Quando se fala em automobilismo nos Estados Unidos, automaticamente se pensa em Indianápolis. A capital de Indiana abriga, desde 1909, o Indianapolis Motor Speedway, autódromo que recebe as 500 Milhas da Fórmula Indy. Em 29 de maio de 2016 será realizada a 100ª edição da corrida e os aficionados já se preparam ao evento.Caso do diagramador do Diário Demetrio Damiani, 39 anos, que garantiu seu lugar. “De todas as provas, a de Indianápolis é a mais emblemática. Estou planejando há três anos.” Damiani, aliás, já foi fiscal de pista (bandeirinha) por dois anos em provas realizadas em Interlagos.

O Grupo P2COM, especializado em viagens de incentivo, comercializa pacote de sete noites com diversas alternativas de atrações. O preço por pessoa, em apartamento duplo, é de US$ 2.867 – o ingresso está incluso; aéreo, não. “A procura está grande por ser a centésima edição. Todo mundo quer estar na história”, disse João Batista, do departamento comercial do grupo.

Entre as atividades estão volta no circuito a bordo de um Fórmula Indy (por US$ 1.000 a mais), visita ao estádio do Indianapolis Colts, time de futebol americano, e ida ao Hall of Fame Museum, que conta a história do automobilismo norte-americano e dá o direito a conhecer a pista, o pódio e a linha de chegada de tijolos. O destino acaba sendo bem esportivo, mas para quem quiser fugir disso, Indianápolis tem museus, parques, zoológicos o belo Teatro Repertory.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Próximo destino: o ronco dos motores

Apaixonados por automobilismo aproveitam os grandes prêmios para conhecer os arredores

Dérek Bittencourt

12/11/2015 | 07:00


A Fórmula 1 desembarcou em São Paulo nesta semana para a realização do Grande Prêmio do Brasil, que será disputado domingo, no autódromo de Interlagos. Apesar de o campeonato já estar decidido – o piloto britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, garantiu o título há quase 20 dias, nos Estados Unidos –, turistas de todo o território nacional e também viajantes de outras partes do mundo que acompanham a categoria chegaram ou chegarão à Capital paulista. E o intuito não é curtir apenas a adrenalina que o automobilismo proporciona, como também os demais atrativos que a maior cidade do País apresenta.

As atividades na pista de Interlagos começam logo cedo no sábado e no domingo, mas os fãs não se contentam em ficar apenas restritos às arquibancadas. Pesquisa de perfil de público realizada pelo Observatório do Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo durante o GP de 2014 mostrou que estrangeiros permanecem entre três e quatro dias na Capital e gastam cerca de US$ 2.459. Já os brasileiros ficam pouco mais de dois dias e deixam aproximadamente R$ 2.628.

Mas independentemente de serem daqui ou de fora, os turistas aproveitam para curtir, respectivamente, a gastronomia brasileira (churrascarias ficam praticamente sem reservas e, além dos visitantes, recebem pilotos, mecânicos, jornalistas e outros profissionais envolvidos na corrida), compras, vida noturna (bares e boates), museus, negócios, passeios turísticos e parques.

Com movimentação de R$ 296 milhões em 2014, o GP Brasil de Fórmula 1 é comprovadamente o maior evento anual em movimentação econômica com turismo da cidade. No ano passado, os hotéis registraram 90% de ocupação média no fim de semana que a Fórmula 1 passou pelo autódromo paulistano. Segundo dados da SPTuris (São Paulo Turismo), cerca de 40% das pessoas que vão às arquibancadas no fim de semana são turistas, sendo 15% deles estrangeiros vindos, principalmente, de Escócia, Índia, África do Sul, República Dominicana, República Tcheca, Angola entre outras nações.

Já informações do Sports Travel Insight, da Hoteis.com, apontam que a maior busca por hospedagem na cidade vem dos Estados Unidos, seguido por Reino Unido, Argentina, Chile e França. Ou seja, ambos os estudos apontam que o mundo vai se concentrar na Capital paulista nos próximos dias, situação que se assemelha à vivida por outras localidades que unem velocidade e turismo, cada uma à sua maneira, como Indianápolis, berço do automobilismo norte-americano, Mônaco (França), Spa-Francorchamps (Bélgica), Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos), Monza e Ímola (Itália). “Os fãs de automobilismo continuam acompanhando a categoria e fazem questão de ir ao evento”, destacou o gerente do Autódromo de Interlagos na SPTuris, João Mihalik.

INGRESSOS
Para quem tem interesse de acompanhar o GP Brasil de Fórmula 1 neste fim de semana, ainda há bilhetes disponíveis para quase todos os setores do autódromo de Interlagos – exceto o “M”. Os preços (entrada inteira) variam entre R$ 446 e R$ 2.630. Informações sobre formas de pagamento e locais de compra no site www.grbrasil.com.br.

Abu Dhabi: ‘brinquedo’ a 240 km/h
A ilha artificial Yas Island, localizada a 40 quilômetros de Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, vai receber a última etapa do calendário 2015 da Fórmula 1 no dia 29. O moderno circuito batizado de Yas Marina, desenhado pelo alemão Hermann Tilke – que também projetou pistas na Malásia, Bahrein, Venezuela e até mesmo o kartódromo do Beto Carrero World, em Santa Catarina –, foi inaugurado em 2009 com traçado desafiador e cercado de belezas naturais (ou nem tão naturais assim). Mas o que mais chama atenção é o Ferrari World.

O parque temático da montadora italiana, uma das mais tradicionais no cenário do automobilismo esportivo, é um complexo de 86 mil metros quadrados cheio de atrações. A mais imponente é a Formula Rossa, montanha-russa mais rápida do mundo, que simula um carro de corrida e chega a 240 km/h em cinco segundos. O espaço ainda tem simuladores, cinema 4D, restaurantes, lojas e outras atrações que remetem às corridas. O ingresso para um dia custa cerca de R$ 350 e algumas das experiências têm custo à parte.

Além de assistir à corrida e visitar o parque, a ilha ainda oferece outras atrações como parque aquático, shopping luxuoso, hotéis (entre três e cinco estrelas), campo de golfe, praia, marina, casa noturna e arena de shows. Caso estas alternativas não sejam suficientes, a capital Abu Dhabi – a meia hora dali – tem zoológico, passeio de camelo e outras aventuras das arábias.

Indianápolis, templo dos fanáticos
Quando se fala em automobilismo nos Estados Unidos, automaticamente se pensa em Indianápolis. A capital de Indiana abriga, desde 1909, o Indianapolis Motor Speedway, autódromo que recebe as 500 Milhas da Fórmula Indy. Em 29 de maio de 2016 será realizada a 100ª edição da corrida e os aficionados já se preparam ao evento.Caso do diagramador do Diário Demetrio Damiani, 39 anos, que garantiu seu lugar. “De todas as provas, a de Indianápolis é a mais emblemática. Estou planejando há três anos.” Damiani, aliás, já foi fiscal de pista (bandeirinha) por dois anos em provas realizadas em Interlagos.

O Grupo P2COM, especializado em viagens de incentivo, comercializa pacote de sete noites com diversas alternativas de atrações. O preço por pessoa, em apartamento duplo, é de US$ 2.867 – o ingresso está incluso; aéreo, não. “A procura está grande por ser a centésima edição. Todo mundo quer estar na história”, disse João Batista, do departamento comercial do grupo.

Entre as atividades estão volta no circuito a bordo de um Fórmula Indy (por US$ 1.000 a mais), visita ao estádio do Indianapolis Colts, time de futebol americano, e ida ao Hall of Fame Museum, que conta a história do automobilismo norte-americano e dá o direito a conhecer a pista, o pódio e a linha de chegada de tijolos. O destino acaba sendo bem esportivo, mas para quem quiser fugir disso, Indianápolis tem museus, parques, zoológicos o belo Teatro Repertory.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;